terça-feira, 30 de maio de 2017

A Virgem Singular










Em 16 de maio Joana d´Arc foi Canonizada pelo Papa Bento XV no ano de 1920. Foi declarada santa como virgem e não mártir embora tenha sofrido uma morte cruel, ao ser queimada viva, pelos franceses vendidos aos ingleses, que se apropriaram da Inquisição por meio de maus clérigos. Morta em defesa da pureza da fé e não por ódio à fé; por isto não é considerada mártir pela Igreja.

 Dentre todas as virgens cristãs canonizadas, e há milhares, Joana é a única em sue gênero. Consagrou-se a deus por voto privado. Não se santificou em um convento junto a outras virgens, mas nos campos de batalha ao lado de guerreiros violentos. Esteve no meio de questões politicas e militares, em convívio com os nobres. Teve uma missão eminentemente politica e guerreira.  É a única heroína nacional guerreira canonizada. Santos guerreiros e heróis nacionais há muitos. Dentre eles São Nuno de Santa Maria e São Fernando rei da Espanha. Mas uma Virgem guerreira só há uma na história da Igreja. A donzela de Orleans, Joana d´Arc.

Dentre todas as santas, a única vitima de uma condenação pela própria Inquisição, uma instituição estabelecida pela Igreja Católica. Talvez daí venha o incomodo para o clero, quando se toca em sue nome. Sempre se tem que explicar porque foi homens da Igreja que a condenaram a morte. Ela, que tanto amava a Igreja. E para os pacifistas modernos, católicos da paz amor, a perplexidade em ver imagens de uma santa, com aparência masculina, vestida de armadura e espada na mão.  Realmente Deus neste aspecto como disse o papa Francisco, é o Deus das surpresas. Mas da surpresa que ao final é pura sabedoria, porque Deus escolhe o que o mundo despreza e o que é aparentemente frágil para agir na história. Foi assim que agiu ao enviar o Cristo como mero filho de Carpinteiro. E Joana compreendeu bem esta escolha de Deus em querer agir  não através do que o mundo glorifica. Perguntada porque ela e não outro. Disse. "Agradou a Deus agir assim; por meio de uma simples Virgem, expulsar os inimigos do rei" Queira Deus por sua intercessão, expulsar os inimigos da santa Igreja, infiltrados em seu interior. Amem.
 

segunda-feira, 1 de maio de 2017

O FILHO E O PAI

Quem tem o Filho tem o Pai. Quem nega o Filho, nega tambem o Pai.

         Não basta crer no Pai ou seja num unico Deus. Os judeus criam num só Deus, mas se recusaram a reconhecer em Jesus o unigênito de Deus. O seu unico Filho. Por isto Jesus disse a eles. Quem me rejeita rejeita tambem aquele que me enviou.  Quando Deus revelou-se pelo Filho e manifestou  o seu maior misterio, o de sua própria essencia, não basta adorar um unico Deus para ser uma religião verdadeira. O cristão não deve ser apenas um deista ou monoteista. É preciso reconhecer que Deus é unico mas tem um filho, expressão eterna de si mesmo e que neste Filho manifesta todo seu amor a si mesmo e à humanidade. E este amor é tambem uma pessoa. O Espirito Santo que procede do Pai e do Filho.
        Jesus disse claramente. Que todos honrem o Pai assim como honram o Filho. E quem me ver  vê o meu Pai. Eu e Pai somos um. É muito mais importante crer no Filho, porque crendo no Filho, aceitamos que o Pai o enviou ao mundo como um  ser humano, do que crer em Deus em rejeitar o Filho. Por isto muçulmanos e judeus de hoje não creem no mesmo Deus dos cristãos, apesar de crerem apenas num só Deus; porque rejeitam o Filho, que é unico, que estando no seio do Pai  o revela ao mundo. Só quem tem o Filho pode ter a verdadeira fé em Deus, porque Deus nos fala agora unicamente pelo Filho, que se fez homem, assumiu o nome de Jesus e como homem foi exaltado a condição de Rei e Senhor do mundo. Ninguem tem Deus se não crer no Filho, porque só pelo filho temos acesso ao Pai num mesmo Espirito. O Espirito Santo.E esta é a unica crença revelada pelo próprio Deus, mediante seu Filho unico.

sábado, 25 de março de 2017

O Verbo fez-se Carne




  





      Por que o Cristianismo é a única Religião verdadeira e as outras religiões são no mínimo apenas invenções humanas na procura dos homens de encontrar o verdadeiro Deus? Resposta simples para  o que crer. Porque o o próprio Deus entrou em nossa história e nos revelou quem era e como queria ser adorado. Quem crer que Jesus de Nazaré é o próprio Deus feito homem, não pode crer que outras religiões frutos do esforço humano, para buscar a divindade sejam iguais a este.

        Por isto todo diálogo religioso que não tenha como único objetivo anunciar e testemunhar Jesus Cristo, Caminho, verdade e  Vida são infrutuosos, perigosos e contrario à própria essência cristianismo. Não pode haver  dois enunciados que se contradizem. Ou Cristo é Deus ou não é. E sendo Deus não poderia enganar-se ou enganar-nos. O verbo se fez carne, feito de Mulher e habitou entre nós. Este mistério deita por terra todas as outras religiões não cristãs, desde o início do mundo; pois apenas Cristo nos revelou o Pai e apenas Ele é o caminho que nos conduz a Deus Pai.

segunda-feira, 20 de março de 2017

José, filho de Davi, homem que acreditou.









O Justo São José nunca duvidou da fidelidade de Maria. Mesmo que muitos tenham entendido assim, porque ele quis divorciar-se em segredo. Na verdade José acreditou sim, que sua esposa havia concebido pelo Espírito Santo, o Cristo, filho de Deus. E que prova recebeu para isto? Deus em sua misericórdia revelou a Maria a gravidez da estéril Isabel. E por certo, para que ela fosse ao  encontro de Isabel, teve que  falar disto  isto aos seus parentes. Inclusive ao seu futuro esposo. Uma mulher judia  jamais poderia fazer uma viagem tão longa sem ser acompanha.  São José e os pais de Maria, ou sua mãe se fossem vivos, a acompanhou, bem como outros parentes. E ao ouvir de Isabel a revelação de que Maria trazia em seu ventre o próprio Senhor, acreditaram. (Lc 1,43) Tanto no que a Virgem dissera da gravidez inesperada  de Isabel, como na própria  surpreendente gravidez milagrosa de Maria.



São José não teve a ousadia de receber como esposa aquela que antes de se tornar sua mulher se tornara mãe do filho de Deus. Por sito o Anjo lhes diz. "Não temas receber Maria por esposa" mas não diz,  "Não  penses que Maria te foi infiel;" (Mt. 1,20ss) e o anjo o tranquiliza afirmando que ele deve sim, receber Maria como esposa e além disto assumir como sendo seu, o Filho que ela traz em seu ventre. 
Teria Deus autorizado a José e Maria viverem como marido e mulher após o nascimento de Jesus? Por certo Deus não pediu que eles renunciassem aos direitos que tinham com esposos. E por isto esta oferta de Maria e José, feita a Deus voluntariamente se fez muito mais agradável a Deus. Para se dedicar unicamente a Jesus, Salvaguardar a descendência  de Davi para Jesus, por ser tido como Filho de José  e preservar  honra de Maria, os esposos decidiram viver um matrimônio sem relações conjugais. Se a própria Isabel sem que Deus a houvesse pedido, para honrar a atenção que Deus deu a ela, escondeu-se cinco meses para agradecer, (Lc. 1,24) porque José e Maria, agraciados com o próprio filho de Deus, não fariam muito mais por amor a Cristo? Por isto estão equivocados os que pensam que São José e A virgem se tornaram um casal comum após nascimento de seu filho,  que era próprio Filho de Deus entre eles.

quarta-feira, 15 de março de 2017

Invocações à Mãe do Senhor Jesus



Maria é a Mãe de Deus quando concebe e dá a luz o próprio Deus sob a forma humana.

Maria é Nossa Senhora da Conceição porque foi concebida livre do  pecado original.

Maria  é Nossa Senhora da Assunção porque foi elevada pelo filho ao céu, em corpo e alma.

Maria é Nossa Senhora porque é mãe do único Senhor dos Senhores, Jesus Cristo. E nossa senhora Rainha porque é a mãe do Rei.

Maria é Nossa Senhora da Anunciação quando recebe o anúncio do Anjo Gabriel.

Maria é Nossa senhora da Visitação quando visita Isabel mãe do Batista

Maria é nossa Senhora do desterro quando foge par o Egito

Maria  é Nossa senhora do Calvário quando está junto a cruz.

Maria é Nossa senhora das dores pelos sofrimentos que teve nesta vida

Maria é Nossa senhora de Nazaré porque nasceu e viveu em Nazaré da Galileia.

Maria é Nossa Senhora Medianeira porque por ela recebemos graças de Jesus

Maria  é nossa senhora das Graças porque alcança graças do filho para nós

Maria é Nossa Senhora da saúde porque os doentes a invocam para recebe a graça da saúde

Maria é Nossa Senhora dos prazeres pela Felicidade que desfruta no céu.

Maria é nossa senhora doa Navegantes porque os navegantes pedem sua proteção.

Maria é Nossa de Guadalupe porque apareceu no México a um índio e disse que queria ser chamada assim.

Maria é nossa Senhora de Lourdes porque apareceu na cidade Francesa de Lourdes

Maria é  Nossa Senhora da Salete porque apareceu na montanha da Salete na França.

Maria é nossa senhora de Fátima porque apareceu em Portugal na cidade de Fátima

Maria é Nossa senhora Aparecida porque a imagem de Nossa senhora da Conceição apareceu no Brasil na tarrafa  de três pescadores.

domingo, 12 de março de 2017

Oração e Vigilanica





Jesus na noite em que foi preso ainda teve preocupação em intuir os apóstolos que estavam cansados e  querendo dormir. Jesus disse-lhes. “Orai e vigiai para não caírdes em tentação, pois a carne é fraca.” Mt 26, 41.  Se ele, cordeiro imaculado e separado dos pecadores, sentiu todo o peso da fraqueza da carne, ante a angustia que sentiu em sua alma em vista de sua paixão próxima, imagine nós marcados pelo pecado e enfraquecidos por tantos pecados pessoais. Se não rezarmos constantemente e acima de tudo, se não vigiarmos evitando as ocasiões em que podemos cair, certamente cairemos. Quem pode por fogo em seu peito e não queimar suas vestes? Diz o livro dos provérbios. 6, 27.
Há muitos que ficam escandalizados quando pessoas religiosas,que vivem rezando cometem  pecados que estes  que não se sabe nem dos descrentes. Mas esquecem de que não basta apenas rezar. Não entendem que para muitos a  oração em si pode ser também mero formalismo ou repetição formulas. A autentica oração deve ir do coração e ser uma transbordação da intimidade com Deus. Não é um devocionismo. Até mesmo na oração devemos ter a intenção correta. Jesus disse que os fariseus não rezavam certo porque seu objetivo era ser visto pelos homens e  não  para agradar a Deus. Mt 23,5
Santa Joana d´Arc ensinou aos seus guerreiros que se eles quisessem a vitória deviam se certificar se estavam agindo de forma correta perante Deus. E mostrou em que consistia agir de forma correta. Proibiu as prostitutas nos campos de guerra, os jogos de azar, as blasfêmias e só permitiu se aproximar das orações, que se faziam antes das batalhas, os soldados que se confessassem.  A muito custo evitou pilhagens e a execução dos prisioneiros que não eram nobres, devido a brutalidade daqueles homens de guerra. Em relação também à nossa piedade religiosa, devemos nos perguntar se estamos agindo corretamente perante Deus. O que buscamos?  Por que rezamos? Temos em vista a Glória de Deus e a salvação das almas ou apenas o costume de repetir tantas devoções? Cremos que a força da oração estar em nossa confiança no amor de Deus ou na força ou quantidade de palavras, com se estas fossem mágicas?
E não basta rezar. Deve-se fugir das ocasiões de pecado. Não devemos tentar a Deus nos expondo ao perigo. Somos marcados pela concupiscência. Temos a carne fraca. Se Jesus nos ensinou a pedir na oração do Pai Nosso, que Deus não nos deixe cair na tentação, é porque sabia que a tentação é tão forte que só Deus pode nos livrar dela. Façamos como Jesus; oremos com intensidade e acima de tudo vigiemos, evitando as ocasiões de pecado para não cairmos pela fraqueza da carne.