sábado, 14 de maio de 2011

AMOR À IGREJA

Para amar co sinceridade a Igreja Católica primeiramente é necessário amar a Cristo. Só um grande amor pessoal a Cristo Jesus, o esposo da Igreja pura, imaculada e santa nps faz amar a Igreja na terra que por seus filhos pecadores  muitos destes traidores da mesma Igreja, se apresenta para nós como imperfeita, contraditória, dividdia, em crisescontantes. 

No inicio do Cristianismo também houve problemas. Os apóstolos não sabiam com resolver a questão dos gentios que aceitavam Cristo como Salvador, mas não queriam ser judeus. A primeira crise da Igreja foi a formação de dois grupos. Os judaizantes aqueles que defendiam que a lei havia sido superada pelo Cristo mediante sua morte na cruz, representados por São Paulo, apóstolo dos pagãos. Para resolver esta questão os apóstolos se reuniram em Jerusalém e determinaram que os gentios não precisavam abraçar a lei cerimonial judaica. Mas as determinações dos apóstolos não eliminou o grupo oposto. Estes ainda evitavam os gentios convertidos. O que levou o próprio Pedro a tentar agradar ambos os grupos e por isso ser advertido por São Paulo. E o mesmo apóstolo Paulo escreve uma carta aos Gálatas porque estes estavam inseguros quando a observância da lei; por certo porque judaizantes haviam dito a estes que era necessário cumprir toda a Lei de Moisés. Vemos que mesmo um Concilio realizado pelos apóstolos não extinguiu grupos que ainda persistiam em suas ideia. Ocorre isto em nosso dias. A Igreja dividida em inúmeras vertentes: Conservadores, Tradicionalistas, progressistas;  ambos os grupos se apresentam como verdadeiros membros da Igreja. Mas como apenas católico nesta situação? É na serenidade compreender que a Igreja formada por homens pecadores nunca será perfeita mediante a perfeição de todos os seus membros. Nunca haverá uma Igreja em todos sejam perfeitas, compreendam a doutrina da mesma forma e ajam do mesmo modo. E se um grupo de pessoas se apresentar como a Igreja perfeita de homens fieis e sem imperfeição fugi desta. Não é o campo do Senhor. Porque o campo de Deus foi semeado o joio junto com o trigo. A boa semente com a má semente. Se o inimigo não infiltrou-se nesta Igreja, passando até por apostolo fiel, com aparência de piedade, entedei que o campo no caso é dele. Porque se não o fosse este estaria agindo para causar divisão, confusão e erros no meio do terreno em que Deus semeou a boa semente. E o campo do Senhor é a Igreja em que convivi até o final dos tempos santos e pecadores, bons e maus, sinceros e falsos pastores. 

Competi a nós para perseverar na Igreja visível amar o Senhor da Igreja, de certa forma como ele ama; jamais poderemos amar a Igreja como Jesus a mama, pois ele tem para com a Igreja uma amor intenso e puro. Mas podemos ama-la próximo do amor que ele tem por ela. Sofrendo por seus membros imperfeitos e rezando por eles. E ver primeiramente a Igreja como corpo místico de Cristo. De tal forma que um não pode estar sem o outro. 

Quem ousa amar Cristo e repudiar a Igreja, não ama verdadeiramente a Cristo. E de certa forma que se fazer juiz da Igreja. Nunca esqueçamos que somos filhos desta Igreja e que de certa forma, por causa de nós também, a Igreja é vista como imperfeita e pecadora para aqueles que a entendem apenas como uma entidade civil; uma instituição. Sim, nossas omissões, nosso conta testemunho, nossa falta de conhecimento, nossas intolerâncias e acima de tudo nossa denuncia contra os irmãos na fé, nossas divisões contribuem e muito para que a Igreja seja menos amada e compreendida. Somo membros deste corpo que é a Igreja. Que sejamos membros vivos e atuantes, mas voltados para nossa perfeição pessoal e mais preocupados em nos fazer melhores do que atentos apenas as falhas dos outros, sem que isto nos impeça de havendo necessidade chamar atenção de um irmão que erra na fé, assim como fez São Paulo em relação à São Pedro. Mas isto para o bem do irmão e da Igreja e não para difamar, agredir e aumentar mais a divisão. E professemos sempre como paz: Creio na Igreja Católica.

Nenhum comentário:

Postar um comentário