quinta-feira, 9 de fevereiro de 2012

O THEO CRISTOCENTRISMO DE SANTA JOANA D´ARC


O termo Theocristocentrismo pode até ser um neologismo estranho. Já conhecemos ou ouvimos referencias ao Teocentrismo (Deus é o centro) ou Cristocentrismo ( Cristo é o centro) mas eu nunca li e ouvi uma pessoa se referir a Teocristocentrismo. E que significado dou para este "neologismo?" Simples! CRISTO DEUS, É O CENTRO. E porque cheguei a esta percepção ou o que me fez chegar a ela? A personalidade de Santa Joana d´Arc em realação à sua missão e sua devoção as suas Vozes. Quem ler um bom livro sobre a Virgem guerreira perceberá que toda a  sua missão é revelada por anjos e santos. Ela é profundamente devota de duas santas do século IV. E santas tanto da Igreja latina como dos católicos orientais separados e dos unidos a Roma. Uma santa é  da África, Catarina de Alexandria e a outra da Ásia, Margarida de Antioquia. Neste aspecto Santa Joana d´Arc foi verdadeiramente ecumênica, no bom sentido que esta palavra deve ter. Venerou santas católicas da unica Igreja de Cristo; pois venerava e amava as santas que os mesmos cismáticos orientais veneravam demonstrando claramente que a Igreja antes era unica e unida, e que foram estes que saíram da unidade. Roma em sua época, estava separada de Constantinopla. Mas não é este o assunto do texto. Voltemos a ele. Temos Santa Joana d´Arc como uma católica devota de santos, o que é  tão comum em nossa terra, em que o povo é muito devoto de São Francisco, de Santa Edvirgens e tantos outros. Mas com uma grande diferença. Para Santa Joana o centro era  Cristo. E não o Cristo profeta ou homem. Mas o Cristo Deus. Ela sempre se refere a Deus como sendo Jesus e a Jesus como sendo Deus. Este se fez homem claro, para sofrer paixão e morte, a fim de nos redimir das penas do inferno; mas é sobretudo Deus. E todos estão subordinados a Ele. As santas recorrem a Ele para lhe dar ordens sobre o que deve fazer. A vitoria, fosse dela na batalha, do estardante ou da ajuda das anjos, tudo vinha de Deus ou de Cristo Jesus que para ela era o mesmo Deus. Os anjos são emissários de Deus e agem por vontade dele. Perguntada se São Miguel aparecia nu, ela com ingenua simplicidade, responde. "Pensais que Deus não teria RECURSOS para vesti-lo?" Até as roupas se os anjos  as usam, recebem de Deus. Até mesmo o glorioso e valente são Miguel, o Arcanjo chefe dos Arcanjos. Suas santas nada respondem a ela por si mesmas. Recorrem a Deus e por ordem de Deus dão a resposta. Estas são palavras suas.E Deus para Joana, é Jesus, o filho de Maria Santíssima. Não há referencia conhecida, dela,  à Santíssima Trindade. Certo que ela sabia que há sim, Deus Pai , Filho e Espirito Santo. Lembremos que fazia o sinal da cruz e antes das batalhas fazia o seu confessor reunir os guerreiros e cantar o Veni Creator Spiritus  (Vinde Espírito Criador) invocado o Espirito Santo. Mas sua atenção se volta para o  Deus Jesus. O Deus crucificado e o Deus Rei. A quem pertence o Reino da França. Pois é assim que ela se apresenta ao capitão do rei. "Vim por ordem do meu Senhor, o Rei do Céu. Na verdade o Reino não pertence ao Delfim ( o príncipe da França) mas ao meu Senhor. Mas ele que ele seja Rei."  E quando este perguntou, quem é o teu Senhor? Ela disse com firmeza: "O meu Senhor é o Rei do Céu." E  este Rei foi desenhado em seu estandarte, rodeado de dois anjos ajoelhados, oferecendo a ele a flor-de-lys, simbolo da França. A ele, o Rei do Céu,  pertence todas as nações do mundo e o que é mais importante, também  os governo das mesmas, e este faz rei ou retira do poder, a quem quer e como quer. Jesus para Joana reinava e mandava de verdade até no mundo do poderosos do mundo. (Sabemos que ele manda, mas não agimos como ela, que agia como ele mandava.)
Se para São Paulo, Jesus é o Cristo homem elevado à Filho de Deus pela ressurreição e manifestado como Deus por esta, Joana parte de cima para baixo. Ele é o Deus que se mostrou homem e o fez por amor. Para nos redimir da condenação Eterna. Por isso, em uma oração com suas próprias palavras, ela pede desta forma orientação: "Dulcíssimo Deus, em honra de vossa santa paixão, eu vos peço que me mostreis como devo responder a estes que me perguntam..." Se  refere a Jesus, crucificado, mas que é  Deus, mesmo no alto da cruz. 
Se há entre muitos católicos,  o temor e até a percepção de que a devoção aos santos afasta de Jesus e coloca outros em seu lugar, a vida e a devoção de Santa Joana d´Arc, são evidente prova de que isto não é verdade. A sadia devoção aos irmãos do paraíso, como ela também chamava suas santas, faz-nos aproximar mais ainda de Cristo. Reconhece-lo como o Senhor de uma multidão de servos e que estes servos por sua ordem estão a serviço de seus outros servos, porque, tal e qual Joana,  a Donzela, os santos, conforme ela mesma disse, só podem Amar o que Deus ama e querer o que Deus quer. Se for devoto de algum santo e até da própria Joana 
d´Arc, siga o seu exemplo. Seja um Católico Theo-cristocêntrico. Pelo menos de uma coisa você pode ter a certeza. Não será acusado injustamente de idolatria, como ela o foi, por seus juízes e esta foi uma das justificativas para sua execução na fogueira. Idólatra. Ela,  para quem Jesus era tudo e tudo era dele. Logo ela...Santa Joana tão injustiçada! Rogai por nós perante o Deus a quem tanto amastes e quem só servistes.

Nenhum comentário:

Postar um comentário