sábado, 23 de março de 2013

O CRISTÃO E O POBRE


        O amor do cristão pelo pobre não nasce da ilusão de que é possível acabar com a pobreza no mundo. Ou da convicção de que o pobre em virtude da pobreza em si mesma é sempre uma pessoa de bem. O verdadeira amor pelo pobre para o cristão, é uma consequência da fé em Cristo. Nasce da certeza de que Cristo nos amou e enriqueceu com sua pobreza, voluntariamente assumida por amor. Ele que sendo rico se fez pobre. Para o verdadeiro cristão  o seu amor pelo pobre é  para com o  irmão na fé. Para com outro cristão. Porque o cristã autentico não suporta que haja um  cristão necessitado. Por isto os primeiros cristãos partilhavam os bens, quando ainda não exista votos de pobreza e nem religiosos. Para que  não houvesse necessitado entre eles.

       Uma nação que se orgulha de ser a maior nação católica do mundo mas ainda admite entre muitos irmãos católicos que vivem na miséria e na extrema pobreza não é verdadeira nação católica. Não pode amar de verdade um irmão na fé quem o deixa na miséria outro irmão. Pois como estaria nele o amor de Deus, se apenas reconhecesse que o irmão católico pobre tem o direito a ter uma vida digna porque  é filho de Deus tanto quanto ele, dizendo, vai te farta e te veste  e nada fizesse para tira-lo da situação de pobreza? Devemos amar os que são de nossa Igreja não só com palavras mas com obras. Por isto um rico que se diz católico mas não ama os pobres  ou seus empregados, e que fica indiferente à situação de pobreza destes, não é verdadeiro católico;  e é pior do que um pagão.

       O amor do cristão pelo pobre não é fruto de uma a ideologia ou de um projeto político. É fruto da fé que opera pela caridade. Esta o leva sempre a ter em mente os mais pobres assim como foi recomendado à são Paulo. Sabe que sempre teremos pobres em nosso meio,mas nunca ficará acomodado sem lutar contra a pobreza. Aquele que ama os pobres fazendo deles instrumentos de ideologia política, na verdade apenas inveja os ricos. Se porta como Judas que criticou a mulher que ungiu os pés de Jesus com um caríssimo perfume. Como se o dinheiro de um perfume fosse impedir de socorrer os pobres. Na verdade Judas amava seus próprios interesses com afirma o Evangelho. 

        Assim é todo aquele que instrumentaliza a pobreza colocando ricos e pobres uns contra os outros. Na verdade os ricos cristãos e ca é que devem acima de tudo lutar para que seus irmãos na fé não passem necessidade e viver partilha feito no amor, que nasce da convicção de que o único verdadeiramente rico é Nosso Senhor Jesus Cristo que quis por amor,  nos dar a vida Eterna.

Nenhum comentário:

Postar um comentário