domingo, 25 de novembro de 2018

Domingo de Cristo Rei







Quando Nosso Senhor Jesus afirmou perante Pilatos que o seu reino não era deste mundo, quis esclarecer que não recebera o seu reino por causa da vontade dos homens. Não devia a nenhum poder deste mundo o fato de ser rei. Não negou sua realeza e poder, inclusive sobre este mundo, e sobre o próprio Pilatos já que também disse. “Nenhum poder terias sobre mim se do Alto não te fosse dado.”

 Jesus tem um reino que não é deste mundo não porque não o seja para este mundo. Mas pelo fato de que não foi a Onu, nem a vontade popular, que o fez ser rei, porem unicamente a vontade do Pai. Já que para isso ele nasceu; para ser  rei de todos. Inclusive doa políticos e dos que governam este mundo.

 Muitos renegam a realeza de Cristo sobre as leis e os Estado; porque separam o fiel  do cidadão, o Crente do contribuinte e querem relegar a religião aos templos e as sacristias. Mas o cristianismo foi a única religião que não se conformou a crer em mais um Deus como faziam os romanos e de modo geral os pagãos. Não só por anunciar o único deus verdadeiro como a salvação unicamente por meio de Cristo. E denunciou que todos os deuses antigos e pagãos eram falsos. Eis o único motivo de haverem sido perseguidos pelos romanos que eram muitos ecumênicos aceitando toda forma de religião contanto que não recusassem também a deles.

Jesus é rei não apenas sobre os corações. Mas sobre todas as nações e sociedades. E na medida em que somos seus verdadeiros súditos e servos deste rei devemos servi-lo como governantes, palitos, professores, ou seja, em qualquer profissão e  situação porque o amor a Deus deve estar acima de tudo e de todos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário