sábado, 28 de agosto de 2010

Oração pelo Brasil


Senhor Jesus, Rei das nações, afastai do Brasil todo governo que vise implantar neste país valores contra a vossa doutrina e a vossa pessoa ou dai-nos a vossa graça para manifestar a nossa fé se por acaso um governo deste vier a comandar nosso país. Ouvi as preces da Virgem da Conceição Aparecida mãe e rainha de nossa nação junto a voosa presença. Amém.

sexta-feira, 27 de agosto de 2010

A Fé Simples e Firme de Santa Joana d´Arc

Em sua simplicidade Joana resumiu sua fé. Esta consistia segundo suas palavras: "Tudo espero de Deus MEU CRIADOR; eu o amo de todo meu coração" e "Confio em meu Juiz, Rei do Céu e da Terra." Proclamava a sua crença nas revelações de suas Vozes, porque acreditava sinceramente, que estas eram mandadas por Deus e estavam obedecendo ao Rei do Céu, Jesus. Por isso não temia em afirmar que acreditava nestas tal e qual acreditava que "Nosso Senhor Jesus Cristo sofreu e morreu na cruz para nos libertar das penas do inferno." Deus para Joana não um ente de análise teológica. Era o Deus que a fazia agir e a quem ela obedecia por amor. Era muito mais real, do que toda a realidade material que a envolvia. Ela agia na terra, em prol dos interesses de um reino terrestre mas sua alma estava no céu, em união mística com a vontade Deus. Toda sua ação política não teve nenhuma motivação de patriotismo, mas o amor a vontade Deus nascida de sua fé. Sua espiritualidade consistia em amar a vontade Deus manifestada, na ação em favor da França. Ela mesma afirmou que preferia ser amarrada e arrastada por quatro cavalos a ter vindo em ajuda do Rei, sem a ordem de Deus. A exemplo da Santa Virgem Maria, Ela era a serva do Senhor, disponível para cumprir a sua vontade. Que todos nós, revestidos da intercessão da Bendita Virgem Maria, possamos, a exemplo de Santa joana d´Arc servir em todas as nossas ações a Cristo Jesus, o Rei do Céu e da terra.

quinta-feira, 26 de agosto de 2010

A Originalidade do Cristianismo

Em sua essência ou fundamento, o Cristianismo não se diferencia das religiões antigas ou das atuais pela sua ética do amor ao próximo. Por pregar a paz e a cooperação entre as nações; Valores hoje defendidos por todos independentes de qualquer credo religioso. Mandamentos ou determinações morais, tais como não matar, roubar, adulterar, cometer depravações sexuais já estavam presentes no livro dos mortos do Antigo Egito. E até mesmo o amor aos inimigos está citado no livro dos Proverbios do Antigo Testamento. A originalidade do Cristianimso se resume em um aspecto. A Redenção universal da humanidade por Cristo e abolição de todo sacrifcio oferecido a Deus (Judeus) ou aos deuses de seres vivos, homens ou animais. Como afirma a carta aos hebrteus no capitulo 9, 11-14. Quase todas as religiões primitivas ofereciam sacrifícios de seres vivos aos deuses. Povos como os astecas e os maias ofeceriam seres humanos. Com a chegada do cristianismo cessaram estes sacrifícios,embora algumas religiões africanas e afro-brasileiras ainda mantenham em seus rituais sacrifícios de animais. O Cristianismo reforçou os valores do amor, da solidariedade e nos deu o exemplo maior em Jesus Cristo. Mas estes valores também estavam presentes na filosofia grega e oriental, nos escritos de Confuncio, de Zoroastro e no Bhagavan gita Hindu. Porem só o Cristianimo nos trouxe a doutrina de uma redenção universal e de um sacrifício único em que a vítima e o sacerdote são a mesma pessoa, Jesus de Nazaré, O filho de Deus. Só ele aboliu onde chegou o anúncio de sua pessoa, como o Redentor de todos, os sacrifícios cruentos. Leia Hebreus 9, 11-14

domingo, 22 de agosto de 2010

Senhor Jesus, vós sois Rei! Todo poder vos foi dado no céu e na terra. Vos sois o Senhor de todas as nações e de todos os homens. Mas dissestes, "Eu vos chamo amigos, porque vos dei a conhecer tudo o que ouvi de meu Pai". Senhor Jesus que sendo Rei vós tornastes amigo dos homens eu vos peço, concedei-me amar-vos como meu soberano Senhor e compartilhar da vossa amizade. Quero ser o amigo do Rei. Vos que dissestes que vosso fardo é leve e vosso jugo é suave. Que outro soberano na terra mostrou maior cuidado e amor para com os seus súditos? Só vós. Senhor meu Deus e meu mestre, quisestes fazer de vossos servos os vossos amigos. Quero sempre permanecer em vossa amizade, porque ser vosso amigo é a vida de todo aquele que vos reconhece como soberano Senhor de toda criação.E vos amar é viver conforme vossa vontade. Só vós Senhor, pelo vosso poder podereis conceder as forças para vos obedecer por amor. Eu vos peço dai-me a graça de por amor vos obedecer, porque também só nós pela nosso vontade livremente entregue ao vosso amor podemos fazer o que vos mandais. Senhor Jesus meu Rei, fazei-me amigo vosso e tornai-me instrumento do vosso amor para com todos. Amém.

domingo, 15 de agosto de 2010

Não é possível um governante catolico num estado laico

um governante católico e fiel não pode fazer separação entre a sua fé em Cristo e as leis que vão de encontro a esta fé. jamais poderia sancionar leis que aprovam o aborto, a união civil entre pessoas de sexo iguais, a profisionalização da prostituição e a instituição oficial do adultério. Sendo o Estado laico, ele teria então que escolher entre permanecer fiel a Cristo ou permanecer presidente ou chefe de estado em uma monarquia. Embora o estado não precisa ter uma religião oficial e tolerar a liberdade de outros credos, sem perseguir os que não são cristãos, porém em relação a moral e a ética , o Estado de maioria catolica, deve ser fiel a jesus Cristo sem que seja necessário interferência da Igreja sobre este ou deste sobre ela. A única ainda para um chefe de estado católico, num estado laico, em relação a leis anti-cristãs ou contra a moral de Cristo seria delegar ao congresso a promulgação da lei ou então ao presidente do congresso, se este não for católico.Alegando objeção de consciência. Não sendo isto possível melhor ele perder o cargo do que correr o risco de perder sua alma, pois seu rei é o cristo e ele deve obediencia a ele antes que aos homens.

sexta-feira, 13 de agosto de 2010

Oração da perseverança

Deus nosso Pai, concedei-nos o dom da perseverança na fé e no amor à nossa Santa Igreja, que vosso único Filho deixou na terra, como sinal de salvação e por meio da qual ele nos santifica no Espírito Santo. Que os pecados dos homens da Igreja nunca seja para nós causa de escândalo-lo, mas que firmes na fé permaneçamos na Igreja confiando que esta sempre triunfará dos maus pois o vosso Filho garantiu que os poderes malignos jamais irão prevalecer sobre ela. Dai-nos perseverar na fé católica e iluminai os que dela se afastaram para que voltem com mais fervor e que seu fervor e conversão seja luz para os outros. Por Cristo Nosso Senhor. Amém

quarta-feira, 11 de agosto de 2010


Santa Mãe do Cristo, assunta aos céus, rogai por nós na hora de nossa morte e que no céu glorfiquemos o Cristo Rei, vosso Filho.

terça-feira, 10 de agosto de 2010

A Espiritualidade Beneditina e o Amigo da Realeza de Cristo

São Bento de Nursia, que nasce na Itália em 480 d. C e morreu em 547, escreveu uma Regra de vida para homens que tinham como objetivo servir a Deus em comunidade, sob autoridade de um superior, que era a presença visível do próprio cristo - O Abade - palavra que significa Pai. O fundamento da Regra de São Bento Abade é o obediência absoluta a Cristo manifestada na prontidão em fazer sua vontade,servindo-o pela oração e pelo trabalho. A Regra ,embora escrita para um grupo que vive em comunidade, pode ser aplicada individualmente, no que se refere ao amor a Cristo através do cumprimento dos deveres de sua condição pessoal no mundo. Se solteiro, viver como um solteiro cristão; se casado viver como um casado fiel a Cristo e aos seus mandamentos. Em síntese, com bem afirma São Bento no inicio de sua Regra "...renunciando as próprias vontades, empunhadas gloriosas e poderosíssimas armas da obediência para militar sob Cristo Senhor, verdadeiro Rei"(Regra, Prol 3) e também: "...porque em todo lugar se serve a um só Senhor, combate-se sob o comando de um só Rei." (Reg. 61,10). A Regra de São Bento para um amigo da Realeza de Jesus Cristo é um manual de aplicação prática do Evangelho. O Amigo da Realeza de Cristo encontra na Regra do Santo Abade Bento de Núrsia é uma direção espiritual para bem servir a nosso Senhor Jesus Cristo como seu unico e soberano Rei e por amor a ele servir as autoridade ligitimamente constituídas exceto naquilo em que agirem em desacordo com a lei de Deus com o afirma São Bento em "Por isso o Abade nada deve mandar ou ensinar que esteja fora do preceito do Senhor "(Reg. 2,4) É pois, a Santa Regra do Patriarca, pai dos Monges, a mestra de vida espiritual para o Amigo da Realeza de Cristo.

domingo, 8 de agosto de 2010

Renda-se ao Rei do Céu!

Com esta apelo santa Joana d´Arc intimou o capitão inglês, Glasdale, que fazia o cerco da cidade de Orleans a render-se após a vitória dos guerreiros franceses liderados por ela. Não disse, rendam-se ao Rei da França. E por que ao Rei do Céu? Pelo simples fato que Joana estava consciente de a missão que executava era ordenada por Cristo, Rei do Céu e da terra. E que rendem-se ao Rei do Céu significava aceitar a vontade de Deus para a França e para a Inglaterra. Que eles, os invasores voltassem ao seu próprio país, a Inglaterra. O amigo da Realeza de Cristo é aquele que se entregou por inteiro a vontade de Cristo Rei. Que o obedece tal e qual Santa Joana, pois só mesmo por Deus ela se fez guerreira. Seu amor à França vinha em segunda lugar, ou melhor estava subordinado a seu amor a Deus. O Marc, como movimento pela Realeza de Cristo é de ordem interna primeiramente. Consiste em reconhecer, aderir, e viver sob a realeza De Cristo. Amar e servir Cristo como Rei do céu e por isso rei de tudo. De nossa vida e senhor das nossa ações. Atendamos ai intimação da Santa virgem Joana. Rendamos todo nosso ser ao Rei do céu e só assim seremos livres porque estaremos sobre o jugo doa amor de Cristo que almeja o nosso bem maior:A Vida Eterna com ele na glória celestial.

terça-feira, 3 de agosto de 2010

Nosso pacto pessoal com Cristo

Ser um Amigo da Realeza de Cristo é firmar com ele o compromisso consicente de viver a cada dia, em qualquer situação ou lugar as promessas feitas no dia do seu batismo. Reafirmar o Credo e renunciar a satanás e todos as suas manifestações no nível social e na vida pessoal, por adesão, apologia e ou pratica de atos que contrariam a doutrina de Nosso Senhor Jesus Cristo. É ser fiel aos deveres de seu estado. Se for solteiro viver na continência e na castidade; casado viver a fidelidade ao conjugue e obedecer ao ensino da Igreja em relação aos métodos de prevenção do controle de natalidade; ter consciência de que o matrimônio é indissolúvel e que para o católico não existe a palavra divorcio. Na vida social é não aderir, aceitar, defender nenhuma lei ou cultura que tente impor valores contra os princípios do cristianismo. Por isso o Estado não pode ser laico no sentido de promover uma moral anti cristã; oficializar o divorcio,o aborto e deturpando a familia induzido à promiscuidade e a devassidão sexual. Um chefe de governo deveria agir se uma lei que vai de encontro a sua consciência de Católico? Recusar-se a assina-la, mesmo com a possibilidade de perder o cargo. Antes obedecer a Deus que aos homens. Embora Estado e Igreja não precisem estar unidos e um intervir na ação um do outro, no que diz respeito a moral, o Estado tem a obrigação de submeter-se a soberania ide Jesus Cristo e o Católico, que exerce um cargo de poder, deve antes sujeitar-se a Jesus seu único e soberano rei do que a vontade da maioria. Mas é ter também o cuidado de não se deixar levar pela soberba, por acreditar que agindo assim é melhor do que os outros e desprezar os pecadores. Antes de pedir e a Deus pela oração a conversão dos mesmo e o dom da perseverança, pois quem pensa estar de pé deve vigiar sempre mais para não cair e confiar que pela graça de Deus, o que é dificílimo à natureza humana ferida pelo pecado é possível pela ação do Espírito Santo realizar-se em nós, fazendo de cada um um verdadeiro amigo da Realeza do Cristo Jesus pelo obediência absoluta a ele.

segunda-feira, 2 de agosto de 2010

Apelo aos irmãos Católicos e devotos de S. Joana d´Arc

Irmãos,Segue abaixa a introdução a um abaixo assinado solicitado ao Papa a inclusão de Santa Joana d´Arc no Calendário litúrgico para toda Igreja. Espero contar como apoio dos irmãos blogueiros católicos.



Nós Católicos Apostólicos romanos, brasileiros, abaixo assinados, nos colocamos humildemente perante vossa Santidade, para que se
digne aceitar nosso pedido, de incluir no Calendário litúrgico Universal da
Igreja Católica, no próprio dos Santos,
a memória de Santa Joana d´Arc (1412-1431) Virgem, celebrada todo ano aos dias
30 de maio. Fundamentamos nosso pedido na justificava abaixo exposta e nos
benefícios que a inclusão desta memória traria para toda os fieis da Santa
Igreja Católica.

JUSTIFICATIVA

Santa Joana d´Arc é o maior testemunho na história dos santos de fidelidade a Santa igreja e aos seus ministros mesmo sendo julgada por clérigos que eram seus inimigos mortais; porém ela nunca os rejeitou como padres e
desejava fervorosamente receber o corpo de Cristo e o sacramento da confissão
de seu próprio Juiz o bispo Pierre Cauchon. Um exemplo muito evidente de
fidelidade à Igreja e da compreensão desta como Corpo místico de Cristo em que apesar de haver muitos membros pecadores, a santidade da Igreja independe do contra testemunho de seus
filhos infiéis.A frase de Santa Joana d´Arc “ Para mim, Nosso Senhor e a nossa Igreja
são uma coisa só e o que os separa é ruim...” é
citada no Novo Catecismo da Igreja católica é apresentado como exemplo
desta união entre Cristo e a Igreja considerada como o seu corpo místico. (Cf. CIC (Catecismo da
Igreja Católica n° 223;435;795;2005 )

BENFÍCIOS

- Proporcionar ao povo de Deus o conhecimento da fidelidade heróica de Santa Joana d´Arc à Santa Igreja Católica mesmo perante o testemunho não conforme ao Evangelho de alguns
de seus ministros sacerdotes;

-Favorecer o amor para com a Santa Igreja Católica a exemplo da Santa Virgem Joana d´Arc que durante toda a sua vida, por amor a Jesus, disse amar e querer defender a Igreja com
todas as suas forças para o bem de nossa fé cristã. (cf. Processo de Joana
d´Arc sessão do dia;

-Tornar conhecida Sta. Joana d´Arc, como filha da Santa Igreja, fazer o Católico beneficiar-se de sua poderosa intercessão junto ao Senhor Jesus em favor da Santa Igreja e principalmente do clero,
para que fiéis ao Senhor Jesus possam servi-lo de todo coração.