segunda-feira, 10 de janeiro de 2011

CATOLICISMO E DEVOÇÕES POPULARES

No aspecto exterior o que aparece do catolicismo é a devoção aos santos e aos títulos de Maria Santíssima. Digo títulos porque o povo tem mais dedicação a um nome e imagem da Santíssima Virgem do que a ela mesma como mãe de Jesus. É plenamente compreensível para o protestante de pouca formação e das comunidades fundamentalistas e pentencostais pensarem que o fundamento do catolicismo seja este. Cultuar os santos com promessas, romarias e novenas. Os principais fundamentos da Igreja católica são desconhecidos pela maioria do povo que se nomeia católico. E em que o catolicismo se distingue de outras agremiações que reconhecem Jesus como Filho de Deus e Salvador? O catolicimso crer e ensina que Jesus dexiou uma igreja vissivel que perdura na história desde do dia de pentencostes, num desenvolvimento orgânico e que apesar dos excesso, maus exemplos de seus lideres, preservou intacta a doutrina do Senhor veiculada pelas Sangradas Escrituras e a Tradição apostólica. A Igreja não é o conjunto dos que crêem em Cristo com fé autentica e conhecidos apenas por Deus espalhados em inúmeras comunidades ou igrejas locais unidos apenas pelo principio de que só a Sagrada Escritura ou Bíblia é suficiente. Uma igreja invisível. É uma organização solidamente instituída pelo próprio Cristo e sustentada pelo Espírito Santo. Ecoa na Igreja catolica até aos nossos dias as palavras de Pedro determinando as decisões do Concilio de Jerusalém: " Pareceu bem ao ESPÍRITO SANTO E A NÓS..." O catolicismo defende um magistério vivo, uma sucessão apostólica ininterrupta até aos nossos dias. Eis um dos pilares da Igreja Catolica que aliados aos outros dois -Magistério com poder de governar, interpretar e anunciar a Sagrada Escritura e a sucessão Apostólica- fazem do Catolicismo único em relação as denominações cristãs. Muitos tentaram copia-lo no decorrer da História, porém o que conseguiram foi a formação de igrejas locais ou nacionais; outros entendem que a Igreja na Idade Antiga fosse uma espécie de federação de Igrejas de origem apostólica (com exceção de Constantinopla)sendo estas Roma, Alexandria, Antioquia, Constantinopla e Jerusalém- formando um grupo de cinco grandes patriarcados com iguais poderes - A Pentarquia. Porem, só Roma defendeu sempre a primazia de da Sé romana em relação as outras, por entender que Pedro possuía uma primazia de jurisdição sobre toda a comunidade cristã apostólica e que tendo sendo martirizado em Roma, confirmou com sua presença e morte o bispo de Roma como o sucessor de seu ministério de unidade e confirmação dos irmãos na fé. Engana-se então quem limita-se a ver apenas o aspecto das devoções populares como marca inerente à Igreja Católica. Um catolicismo que tivesse o seu fundamento nestas devoções jamais teria conseguido ter como seguidores seus um John Henry Cardeal Newman e uma Ana Elzabeth Ann Seton, ambos protestantes convertidos ao catolicismo antes do Vaticano II; uma Edith Stein e um Filosofo como Jacques Maritain, este Filósofo e ela judia também Filósofa. As devoçoes populares são o que menos importa dentro da doutrina catolica. Na verdade podemos até observar que as inúmeras devoções a Maria vem e passam. Mas a glória de Maria, mãe de Cristo, nosso Deus, permanece sólida e eficaz. Ninguém lembra de devoções peculiares só à Idade Média. Quem ouviu falar de Nossa Senhora das Antigas? Tem uma imagem dela no santuário da Imaculada Rainha do Sertão em Quixadá Ceará. Mas não tenho conhecimento de devoção a este título mariano. Creio até que seja desconhecido. Houve uma epoca que se venerava Nossa Senhora da Rosa Mística. (Na verdade o correto seria Nossa Senhora Rosa Mística). Em toda loja de Artigos religiosos se encontrava imagens desta devoção. Hoje praticamente não vejo nenhuma. As devoções populares não podem ser eliminadas, mas são peculiares a uma época e a uma cultura. É dever dos pastores aproveitarem estas ocasiões para mostrar a face do catolicismo em sua plenitude. Mostrar-lhe a grandeza dos místicos, dos teologos, dos martires e acima de tudo sua doutrina que enfrentou perseguições e venceu a todas, porque seu alicerce á Rocha querida e inpalmentada por Jesus. Rocha que por vontade do Pai confessou: "Tu és o Cristo, o filho do Deus vivo." Nesta fé de Kefas a Igreja Catolica continua atrevessando so séculos e todos os seus inimigos e até mesmo suas aparentes contradiçlões e excessos no culto, na pastoral. E esta Igreja Chegará vitoriosa ao dia de Cristo Senhor confirmado o que o mesmo Senhor havia prometido: "Os poderes do inferno não prevalecerão contra ela."

Nenhum comentário:

Postar um comentário