quinta-feira, 6 de janeiro de 2011

ECUMENISMO ECLETICO

"Hoje, em sua mensagem do Angelus, o Papa Bento XVI anunciou que, no 25º aniversário da visita do Papa João Paulo II a Assis para o encontro com líderes de diversas religiões em 1986, ele visitará Assis em outubro de 2011 para um encontro com “irmãos cristãos de diferentes confissões, líderes das tradições religiosas, e, idealmente, todos os homens de boa vontade”.Do site Fratres in Unum.
Houve um tempo em que eu também defendia um ecumenismo de mistura entre religiões com doutrinas diferentes. Havia valores maiores do que o credo cristão ou próprio de uma fé. Em nome da concórdia, da defesa da vida, da paz no mundo, eu defendia que Jesus fosse considerado importante apenas porque pregou o amor entre todos. Que a união entre as religiões, principalmente entre as que são cristãos, deveria acontecer, pois o que tínhamos em comum era mais, muito mais importante, do que as nossas diferenças. Mas refletindo sobre a fidelidade dos mártires cristãos, o fervor dos missionários que levaram até as extremidades da terra a fé em Nosso Senhor Jesus Cristo, e a radicalidade da pertença a Cristo, por ser este o único nome dado por Deus, pelo qual podemos ser salvos (At 4,12) eu vi que estava errado no meu ideal de confraternização universal entre religiões cristãs e não cristãs. Se há apenas um salvador, um filho de Deus feito homem, apenas uma Igreja deixada por ele neste mundo e sustentada por ele, a mistura de cultos em celebrações comuns com outros credos só traz prejuízo e confusão para a Igreja e os cristãos. Não me tornei um fundamentalista fanático, vendo todas as outras religiões do mundo como obras do demônio. Para estes, até a fé judaica do antes povo de Deus, é o instrumento do demônio agora . Não entendo assim. Em toda religião e inclusive na Igreja, satanás pode e se serve destas para trazer o mal, a discórdia e a confusão por meio de seus membros pecadores e imperfeitos. Como disse o próprio Apóstolo ele insiste em se disfarçar em anjo de luz.(2Cor. 11,14) E uma de suas manobras mais usadas é insuflar de soberba os pretensos salvadores da fé, de modo de que todos os outros sejam malditos e só estes os puros e os certos. Mas também é ardil de satanás fazer com Cristo fique em segundo plano por causa da paz universal, da concórdia, do amor entre os povos. Se há verdades no meio de muitas doutrinas falsas, estas não substituem a maior das verdades. A única verdade fundamental para a salvação: "Deus enviou o seu Filho ao mundo para que o mundo fosse salvo por ele"( Jo 3,16-18) e Cristo deixou uma só Igreja(Mt 16, 18) e não milhares de igrejas contraditórias entre si. Não só eu, não são apenas também os ultra tradicionalistas, são contra estes encontros ecumênicos. O próprio Evangelho não deixa espaço para tais celebrações ecumênicas. Com Cristo, temos tudo o que as demais religiões pregam: Amor, concórdia. solidariedade, enfim os ditos valores humanos. Mas com estes credos perdemos Cristo o único mediador entre Deus e os homens. O reduzimos a um mero mestre de sabedoria igualando-a a Buda, Confúncio e Zoroastro e outros do passado e de agora. Nunca os apóstolos de Cristo fariam estas celebrações.Estes cultos em que misturam o verdadeiro Deus com falsos deuses e falsos profetas, ou no mínimo, com doutrinas em flagrante contradição com tudo o que Cristo ensinou e que a Igreja professa. Se é verdade que o Cristo nos ordenou que fôssemos UM não foi para que nos misturássemos com quem não compartilha a nossa fé. Que haja unidade dentro da Igreja, entre os bispos e o papa e entre os padres e os bispos. Como procurar unidade com outros credos se estão divididos entre si. Conservadores, progressistas, tradicionalistas... e estes professam seguir o mesmo Senhor e esquecem da unidade verdadeira. Só a teremos pela subordinação absoluta a este mesmo e único Senhor e à sua Igreja. Também o apóstolo São Paulo diz que no que depender de nós vivamos em paz com todos.(Rm 12,18) Porem ele nunca aceitaria um encontro de cristãos com os adoradores da Diana de Éfeso ou com os sacerdotes de Júpiter. Para evitar mais escândalo-lo e confusão e tornar maior a divisão entre os católicos, seria bom que este encontro de Assis não se repetisse.Que não houvesse mais celebrações ecumênicas que alguns até chama de missa ecumênica. Roguemos a Deus para que não haja. Imploremos a Deus pela intercessão da Bendita mãe do Senhor e de todos os nossos irmãos do céu, para que não aconteça tal encontro. Para o bem da própria Igreja. Para a paz entre os católicos.

Um comentário:

  1. Ótimo texto!
    Budismo = heresia antropocêntrica derivada do Hinduismo.
    Hinduismo = bagunça degringolada em politeísmo.
    Politeísmo = feitiçaria + idolatria pagãs.
    Religiões "afro-brasileiras" = feitiçaria + idolatria (politeismo).
    Espiritismo = feitiçaria materialista (falso espiritualista como o budismo)sem redenção (ciclo infinito de expiações).
    Protestantismo = heresia farisaica.
    Feitiçaria = invocação de demônios (=maçonaria).
    Judaismo = farisaismo anticristão.
    Islamismo = barbárie anticristã.
    Fora ecumenismo e diálogo interreligioso!

    ResponderExcluir