quinta-feira, 10 de fevereiro de 2011

O ANO LITURGICO E AS FESTAS DOS SANTOS


O próprio dos santos apresenta as memória ou festas dos santos, que estão presentes no calendário católico para que sejam celebrados em todo mundo. Estas festas dividem-se em três categorias: Solenidades, Festas e memórias obrigatórias e memórias facultativas. A justificativa para a inclusão de um santo no calendário universal ou católico não é a devoção popular do povo a este ou a uma santa. Tem prioridade os santos apóstolos e evangelistas; os mártires, e os fundadores e fundadoras de ordens religiosas.No dia 10 de fevereiro temos a memória obrigatória de Santa Escolástica. Pouco conhecida no Brasil entre o povão, não é santa da religiosidade popular. A Justificativa para a inclusão de seu nome como memória obrigatória, é o fato da mesma ser a irmã de são Bento, o pai dos monges no ocidente ou Europa e escritor da Regra que é mais seguida pelos monges, principalmente na Idade Média. A familia Beneditina influenciou profundamente a Europa e espalhou-se pelo mundo. Enquanto que outras santas, como Santa Barbara, ou santa Filomena, tem muitos devotos mas não constam do calendário Católico para o mundo todo. Muitos Santos foram incluídos pelo fato de terem ajudado a estabelecer a Igreja católica em um país ou defendido a fé. E o caso dos santos monarcas, reis e imperadores. São Luís Rei é proposto com memória facultativa, muito mais por ter pertencido a ordem terceira de São Francisco de Assis, que teve grande importância na reforma da Igreja e santificou muitas pessoas inspiradas no exemplo do pobrezinho de Assis. Há duas formas de festejarmos os santos. Na religiosidade popular estes são lembrados como fazedores de milagres. Suas imagens são entendidas quase como se estas, fossem, elas mesmas, os próprios santos. Mas na liturgia própria da Igreja, a memórias dos santos é festejada com celebração própria no oficio divino ou oração das horas. O chamado antigo breviário, que os padres e religiosos devem rezar todos os dias. Consta da recitação dos salmos pela manhã, a tarde e a noite; além das nove, doze e quinze horas. Mas uma destas horas podem ser escolhidas pela ordem ou congregação. Quando um santo consta no calendário como festa ou memória obrigatória tem hino, antífonas(pequenas orações antes dos salmos) e oração própria. Quando é memória facultativa tem apenas a oração própria. O que não consta no próprio é retirado do comum que se divide em comum dos Apóstolos, da Santíssima Virgem Maria, dos mártires, das virgens, dos santos pastores e religiosos,doutores da Igreja, dos santos homens e das santas mulheres. (As viúvas) As festas da Virgem Maria ligadas a devoções surgidas de uma aparição praticamente não constam. Há apenas duas como memória facultativa. A de Nossa Senhora do Carmo pelo fato de ser venerada pela ordem doa frades da Bem-aventurada Virgem Maria do Monte Caramelo. Uma ordem que deu muitos santos e doutores para a Igreja. Santa Teresa d´Avila e Santa Teresinha eram desta ordem. E outra é de Nossa Senhora de lourdes, devido aos grandes milagres na gruta de Lourdes e a repercussão da aparição a Santa Bernandete. Outras devoções bem mais populares como, Nossa Senhora de Fátima, Nossa Senhora da Penha e da Saúde, não contam no calendário Católico para o mundo todo. Alerto para o fato de que um santo, ou festa da Virgem não ser registrado no calendário Católico, no próprio dos Santos, este seja menos santo do que os outros que nele aparece. De forma alguma. Apenas não foram incluídos por não atender certos critérios ou pelo fato de sua veneração ou sua vida, ter se limitado apenas a uma país ou região. Mas estes podem ser celebrados da mesma forma do que os outros e estão presentes nos calendários particulares ou próprios de uma país, cidade ou paróquia e no caso de os mesmos ser os padroeiros sua memória pode até chegar ao grau de solenidade. Devemos aprender a honrar os santos como os honra a Igreja em sua liturgia. Com as orações que constam na oração das Horas. Todas estas orações do Oficio divino ou liturgia das horas, como as da missa, são dirigidas a Deus Pai, incluindo o nome do santo ou da santa, por meio do Cristo, o Filho amado do Pai, nosso unico mediador de Redenção. Veja o exemplo da oração de hoje na memória de Santa Escolástica. "Celebrando a festa de Santa Escolástica, nós vos pedimos, ó Deus, a graça de imitá-la, servindo-vos, com caridade perfeita e alegrando-nos com os sinais do vosso amor. Por Nosso Senhor Jesus Cristo, na unidade do Espírito Santo. Amem.

Nenhum comentário:

Postar um comentário