terça-feira, 1 de fevereiro de 2011

SANTA JOANA D´ARC E A IGREJA

A Igreja vive hoje uma grande crise. E muitos de seus pastores não crêem que o Cristo quis a Igreja. Amou e se deu a si mesmo por ela como o Apóstolo Paulo afirma.Ef 5,25-26. Há uma corrente que entende que Cristo só anunciou o Reino de Deus e depois de sua morte é que veio a Igreja. Outros, perante tantos testemunhos dos prelados, que defendem comportamentos e doutrinas contrárias ao que a Igreja sempre ensinou, acreditam que a Igreja apostatou e que na verdade só há um pequeno grupo fiel. Há também os que vêem a verdadeira Igreja nos carismas, na relação direta e pessoal com o Espírito Santo, paralela à Igreja institucional. Estes se denominam católicos renovados e os outros seriam os não renovados. Os que estariam preso ainda a uma Igreja instituição, identificada regularmente com o Papa, os bispos, os padres, religiosos e religiosas.

Na época de Santa Joana d´Arc, a Igreja estava se recuperando do terrível cisma do ocidente, em que se chegou a triste situação de haver três papas. E realmente houve muitas dúvidas sobre quem deveria ser o verdadeiro papa. Chegaram até a escrever um carta para a santa perguntando sobre a qual dos papa deviam obedecer. Em seu processo ela disse que não respondeu a carta por falta de tempo. E depois, perguntada pelos juízes, qual o verdadeiro papa, ela disse: "Há dois? Da minha parte creio que se deve obedecer ao papa que está em Roma." Com simplicidade demonstrou o que a historia já comprovara. O bispo de Roma é o verdadeiro sucessor do ministério de São Pedro; ministério que consiste em apascentar Ovelhas e cordeiros. De confirmar os irmãos na fé. E perguntada porque não submetia suas revelações à Igreja da terra Joana fez uma bela declaração de amor a mesma Igreja ao responder:"Eu amo a Igreja e a apoiarei de todo meu poder para nossa fé cristã.(...) Acredito que a Igreja e Nosso Senhor estão em união." Vejo em Santa Joana d´Arc, acusada de heresia e julgada por homens da Igreja, a quem ela amava e queria sustentar com todas as suas forças, um exemplo para todos os católicos de nossa época. Sejam eles tradicionalistas, carismáticos, e até mesmo os modernistas. A Igreja é muito maior do que sua organização visível. É também verdadeiramente maior do que o papa, pois este antes de ser pastor é filho da Igreja, como cada um de nós. Como afirmou Jesus, sempre haverá em seu Reino o joio misturado ao trigo. Sempre haverá o mau servo, mesmo aquele a quem ele confiou o cuidado dos outros servos, que em sua ausência dele maltratava os outros servidores do senhor. Lc 12,42-46.Então para perseveramos no amor a Igreja, devemos vê-la muito além de sues membros. Além de seus pastores, sejam eles bispos ou padres. Devemos vê-la como o corpo místico de Cristo. Corpo no qual ele, Cristo, é a cabeça e todos nós, sejam leigos ou clérigos, somos os membros.

Que a Virgem Santa Joana d´Arc, a quem as Vozes chamaram de Filha de Igreja, também nos alcance esta fidelidade à Santa Igreja em meio a esta crise de identidade, de direção, enfim de tantas coisas ao mesmo tempo; tantas idéias, tantas formas. Antes de sermos do grupo A ou B, do Movimento X ou Y, somos filhos da Igreja, da Jerusalém do Alto, unidos aos santos e santas de Cristo e unidos também aos membros visíveis da Igreja de Cristo; estes precisam de nossas orações para que sempre sirvam a Cristo em primeiro lugar, como fazia e pedia a nossa Santa Donzela, a Filha de Deus, Joana d´Arc.

Nenhum comentário:

Postar um comentário