terça-feira, 15 de março de 2011

JESUS CRUCIFICADO

Nem a cruz sem Jesus e nem Jesus sem  a cruz. Os convido a refletir sobre o mistério da cruz e a simbologia do crucifico. Vemos hoje todos os tipos de crucifixos; este tornou-se mais um objeto de adorno do que um testemunho de fé. E geralmente os crucifixos estão sem o Cristo. Alguns até justificam afirmando que Cristo ressuscitou e tanto em grupos pentencostais católicos como entre os protestantes acusam que durante grande período a Igreja pregou  e adorou um Deus morto. De forma alguma. 

Cremos que Jesus ressuscitou e está vivo e glorioso à direta de Deus. Mas aceitamos o que o mesmo Jesus afirmou para os discípulos que iam a Emáus. "Era preciso que o Cristo fosse rejeitado e crucificado para entrar em sua glória." Lc. 24,26 Jesus acolheu  o caminho da cruz e nunca se esquivou dele. Pela cruz fomos redimidos da lei do pecado e da morte. Não teria havido ressurreição se não houvesses antes a cruz.

Muitos antes de Cristo a cruz era sagrada para algumas civilizações. Havia cruzes de vários formatos. Usar a cruz sem Jesus ou expô-la sem o Cristo pode acobertar este grande testemunho de amor.  Jesus na cruz é a prefeita manifestação da obediência a Deus. Exemplo absoluto de fidelidade à vontade do Pai.  Cristo não se tornou a vitima inocente de um Deus cruel que nele descontou todos os pecado que mereciam os verdadeiros culpados. Esta linguagem indica para muitos, uma imagem cruel, de um Deus insaciável. É preciso entender que Cristão assumiu a cruz porque não se deixou desviar do caminho que Deus traçara para todo homem. O caminho do bem. Encarnando num mundo dominado pelo pecado e assumindo as limitações desta natureza,  embora sem o pecado,permaneceu firme até o fim no cumprimento da vontade Deus. A Redenção não se limita a uma mera solidariedade com todos os que sofreram. Vai muito além disto. Também não significa que Jesus foi  o  alvo de todos os castigos devidos à humanidade por causa do  pecado. A cruz veio pela maldade humana. Não pela vontade de Deus. Mas ao assumir a obediência com ao ponto do sacrifício da  própria vida, Cristo alcançou para nós o perdão e vitória sobre a morte. E para sua natureza humana a glória divina com afirma Paulo Apóstolo, na carta aos Filipenses, que  o Cristo obedeceu a´te a morte e morte de cruz, por isso Deus o exaltou e lhe deu o nome acima de qualquer outro nome. 

Na quaresma, em que revivemos o sacrifico de amor do Cristo por nós, tenhamos sempre presente a imagem do Senhor crucificado. Porque esta é a Imagem daquele que venceu a morte pela morte. Morte na cruz.

Nenhum comentário:

Postar um comentário