segunda-feira, 4 de julho de 2011

A REGRA DE SÃO BENTO. REGULAMENTAÇÃO DA VIDA CRISTÃ

No Mês de Julho, precisamente no dia 11, a Igreja celebra a memória de São Bento. Para os Amigos da Realeza de Cristo, São Bento é o mestre da vida cristã, devido a sua Regra. Na verdade a regra máxima e única do cristão é o Evangelho de Nosso Senhor. E o próprio São Bento Reconhece na Santa Regra esta verdade. "Com efeito, que página ou palavra de autoridade, seja do Antigo, seja do Novo Testamento, não é NORMA seguríssima para a vida humana?" Regra capitulo 73, versos 2-3.

A Regra nada acrescenta ao Santo Evangelho. Mas regulamenta na vida diária as máximas gerais do Evangelho. É o mesmo Evangelho aplicado a situações concretas do dia a dia. Embora tenha sido escrita para regulamentar a vida de homens, que se retiravam do mundo para servir a Deus, não é indiferente a nenhum aspecto da vida no mundo. Pois tudo o que no mundo os homens realizam, no que diz respeito ao trabalho, organização social e as relações humanas é contemplado pela Regra. A Regra dispõe da organização do mosteiro estabelecendo horários para a oração, o trabalho e o estudo. A forma de governo da comunidade e as normas de gestão de pessoas, quando se refere ao Abade, o pai do mosteiro. A convivência fraterna, a utilização dos bens do mosteiro, as punições para as faltas; o vestuário,  até a alimentação, bem como a maneira de um monge se comportar, que nada mais é do que o  dever de um cristão, que vive o Evangelho na pratica. Tudo o que está estabelecido na Regra é vivido por cada um de nós no mundo. É a forma de vida de um cristão fiel, que  deve ser ao menos parecida com a vida do monge. Daquele que está no mundo, sem ser do mundo; daquele que faz de tudo na sua vida, um serviço a Deus. Do seu trabalho, de seus deveres sociais, das relações com os amigos; tudo é um oficio sagrado de louvor e adoração a Deus, cujo o eixo, o centro, de todos os afazeres que ele realiza no mundo, é a oração. Nas Regra as atividades diárias estão ligadas pelo oficio divino. A recitação dos salmos nas horas estabelecidas, sendo as principais: A oração da manhã e a oração da tarde. Para os monges que vivem em comunidade, esta parte é a mais fácil de ser praticada. Na verdade o mosteiro existe para o oficio divino. Mas o oficio divino pode ser adaptado para os que não são monges. A recitação individual, ou com a família, de uma hora do oficio divino é possível. Principalmente as completas, a  oração da noite. Desta forma o cotidiano é santificado. E mesmo no mundo, podemos viver o espírito monástico, quais os monges no mosteiro. 
A Regra estabelece como deve ser nossas relações pessoais no capitulo 72, quando numa frase, resume toda o esforço que devemos fazer na convivência com os outros:  "Suportem com imensa paciência as fraquezas dos outros, quer do corpo, quer da personalidade (...) com toda pureza entreguem-se ao amor fraterno." E não nos faltam ocasiões para que vivamos esta norma. No trabalho, em casa, nos passeios com os amigos...

A regra Beneditina é a regulamentação dos princípios do Evangelho de Nosso Senhor Jesus Cristo, em todos os aspectos do dia a dia, da rotina de uma pessoa. Nesta nada está esquecido. Trabalho, bens, horários,alimentação,  gestão de pessoas, convivência, tudo nela é estabelecido com equilíbrio e harmonia. É o manual do Evangelho na pratica. É de forma admirável, a santificação do cotidiano. É a vivência do Evangelho na rotina diária.  A Regra de São Bento não nos diferencia das pessoas do mundo quanto as necessidades desta vida. Mas torna diferente a nossa vida no mundo, porque todas as nossas ações, são um culto de adoração e louvor a Deus.

Nenhum comentário:

Postar um comentário