sábado, 24 de setembro de 2011

CRISTO JESUS, O UNICO SENHOR!


O cristianismo não é apenas adesão a uma doutrina. O que diferencia o cristianismo das outras religiões é que este é o relacionamento com uma pessoa. E não com um mestre, um sábio, um professor, ou alguem que veio para nos mostrar o caminho. É a relação com uma pessoa que se apresentou como o único caminho para Deus e que afirmou ser um só com o próprio Deus. Por isso o cristão não pode de forma alguma limitar a sua vida apenas aos valores humanistas de solidariedade, confraternização universal, paz, tolerância absoluta em nome de uma paz mundana, se para isto ela deixa Cristo enquanto pessoa de lado. Alguns poderão dizer: Mas Jesus disse: "Nem todo aquele que me chama Senhor, Senhor entrará no reino dos céus." Observemos porem, que Jesus diz isto para cristãos, ou seja para aqueles que já o reconhecem como Senhor. Quem não reconhece Jesus como Senhor não iriam dizer Senhor, Senhor. É uma alerta de Jesus para os que se dizem seus discípulos.  Pois a prova concreta do reconhecimento da autoridade de uma pessoa é pronta obediência. Cumprimos os mandamentos de Jesus porque o reconhecemos como uma pessoa de autoridade e somos seus servos. 
O Cristianismo em vista do que é Jesus, de sua própria pessoa, é sectário por si mesmo, se entendermos por sectarismo, separação, seção, rompimento com o mundo e os senhores do mundo. O sectarismo nocivo, maléfico, e anti cristão é aquele que visa a destruição do outro, que pretende elimina-lo, que não admite de forma alguma, pelo menos, um pouco da verdade em outras religiões.  O verdadeiro sectarismo tem como  objetivo tudo unificar em Cristo, trazer para Jesus as outras  ovelhas, que de boa vontade o seguem mesmo sem o conhecer. Expressa o desejo de Paulo diante do rei Agripa. "Quisera eu, que todos se tornassem cristãos. como eu, mas sem estas correntes."At 26, 29 O fervor missionário de conduzir almas a Cristo, este é o verdadeiro e legitimo sectarismo. Não é ecumenismo, cujo o objetivo é tornar o hindu, um hindu mais fervoroso, o muçulmano, um muçulmano mais fiel, Não! De forma alguma.  O cristão em nome do humanismo, da concórdia e convivência fraternal humana, nunca deixará ou poderá deixar de anunciar, como  o fez São Pedro: "Sob o céu, nenhum outro nome nos foi dado pelo qual possamos ser salvos."At 4,12 Jesus veio para dividir no sentido, de que depois dele, haverá os que o aceitam como Senhor e salvador e os que o rejeitam quer por não se converterem ou porque não o  obedecem.

Nenhum comentário:

Postar um comentário