segunda-feira, 21 de novembro de 2011

O ESPIRITISMO E AS DISTORÇÕES DA DOUTRINA CRISTÃ

Houve um período em minha vida que me aproximei do Espiritismo. Li os cinco livros de Alan Kardec e vi na época, que o espiritismo dava repostas claras para situações que são esquecidas ou não respondidas com certa lógica pela doutrina da Igreja Católica e outras comunidades cristãs. É o caso de crianças que morrem logo após o parto ou antes da idade da razão. Como podem ser julgadas logo após a morte, se não foram capazes de crer ou de fazer o bem ou o mal? O espiritismo responde a esta situação, com a possibilidade destes espíritos mortos prematuras retornarem pela reencarnação. Entendi que isto fosse mais lógico e conforme a justiça. Mas o que me fez distanciar-me do espiritismo, mesmo que eu nunca tenha participando de uma sessão mediúnica, ou freqüentado nenhum centro espírita, foi a comprovação da adulteração da doutrina cristã que este faz. Se o mesmo se limitasse a divulgar suas doutrinas como puro espiritismo seria menos prejudicial. Pois Deus deu a todos os  homens, se não  o direito, pelo menos a possibilidade, de acreditarem no que quiserem. Mas fundamentar doutrinas erradas  sobre Jesus com textos dos Santos Evangelhos, isto é desonesto. É distorcer a verdade e confundir as pessoas. É isto que o espiritismo faz. Com sua linguagem de paz e fraternidade atrai a muitos e ao mesmo tempo, ensina doutrinas opostas,desconhecidas e contraditórias, sobre Jesus, sua pessoa e obra. 
Analisamos alguns aspectos, os essenciais, destas distorções, tendo o como fonte o livreto JESUS  E O ESPIRITISMO publicado como uma serie de um jornal de grande circulação no Ceará.
JESUS
"Jesus cansou de afirmar que era o filho de Deus. Em diversas partes do Evangelho Ele se refere às ordens que recebeu de Deus. Não  há duvida da individualidade do Mestres. Tampouco ele é unigênito. Eis que existem  muitos espíritos do nível de Jesus por esse universo infinito." Obra citada p. 32

A Igreja nunca ensinou que Jesus é a mesma pessoa do Pai. Recitamos no Credo "Creio em DEUS PAI todo-poderoso e em Jesus Cristo, Nosso Senhor seu ÚNICO  filho..."
Jesus sempre se diferenciou do Pai tanto por ser homem verdadeiro como também por ser Verbo de Deus. Mas estes mesmo Jesus atribuiu a si mesmo ações que só podiam ser realizadas por Deus. Agiu com autoridade sobre a Lei como Deus. E o Evangelho tanto de João como os sinóticos deixam bem claro. Jesus é sim, o unigênito de Deus. O Filho único como recitamos no credo.
Confira: Ev. de São Cap. 1,18; 3, 16. 35 Lucas 10,22; e em muitas outras passagem do Evangelho Jesus se apresenta como o Filho único de Deus. O unico formado de Deus mesmo. Jesus se arroga poderes divinos: Marcos 2, 5-7. 23-28 Para os judeus perdoar pecados e ser o Senhor do sábado era exclusivo de Deus e não de um simples homem. Jesus se colocou acima destas leis que eram promulgadas pelo próprio Deus. Se não fosse Deus teriam razão os judeus para condena-lo por blasfêmia.
"Exatamente para mantê-lo distante (Jesus) As pessoas o glorificam, idolatram e ficam temerosas de segui-lo. Porém, o espiritismo apresenta Jesus real, o amigo, o condutor, o pastor amado. E nós somos suas ovelhas." Obra citada  p. 16"
A Igreja e os cristãos glorificam Jesus porque ele mesmo exigiu ser glorificado e idolatrado. Ele mesmo disse: "Que honrem o Pai como honram o Filho" S. joão 5, 23 e também "quem me rejeita, rejeita também o meu Pai." E as pessoas sabem que Jesus é verdadeiro homem. Como explicar sua paixão e morte se não fosse verdadeiramente humano? E a devoção ao Sagrado coração de Jesus, tão forte entre os católicos, não transmite este amor e esta humanidade? E os santos que amavam Jesus como seu único e verdadeiro amigo, temiam Jesus? São Francisco de Assis, que devida unicamente a sua popularidade, os espíritas o puxaram para si, não foi um grande arauto do amor de Jesus? Teve ele medo de aproximar-se de Jesus e de ama-lo como seu Deus, Senhor e pastor? Precisou chegar o Espiritismo depois de 1800 anos de cristianismo para que as pessoas vissem Jesus como amigo e irmão. Esta grande maravilha e novidade do verdadeiro do cristianismo: A de Deus ter se tornado nosso irmão por amor!

O CONSOLADOR PROMETIDO

Eis o erro mais grosseiro e fácil de desmamascar do espiritismo. Confundem o consolador, o Espirito Santo, com a propria doutrina espírita.
"Um novo messias poderia vir à Terra nos dias atuais, no papel de Consolador promedito?
Não haveria necessidade. O retorno de Jesus se fez por meio da doutrina espírita que é justamente o  Consolador  que ele prometeu." Obra citada p. 29.

O Consolador que Jesus prometeu e de forma bem clara foi o Espírito Santo. Basta ler com atenção as referencias ao Espírito no Evangelho de São João e  entenderá que o Consolador, o Espírito Santo e o Espírito da verdade, são expressões que se referem a mesma pessoa. Uma pessoa e não uma doutrina.

 "Mas recebereis poder, ao descer sobre vós o Espírito Santo, e ser-me-eis testemunhas, tanto em Jerusalém, como em toda a Judéia e Samária, e até os confins da terra"Atos 1,8

"Enquanto eles ministravam perante o Senhor e jejuavam, disse o Espírito Santo: Separai-me a Barnabé e a Saulo para a obra a que os tenho chamado." Atos 13,2

"e vindo ter conosco, tomou a cinta de Paulo e, ligando os seus próprios pés e mãos, disse: Isto diz o Espírito Santo: Assim os judeus ligarão em Jerusalém o homem a quem pertence esta cinta, e o entregarão nas mãos dos gentios." Atos 21, 11

 "eu rogarei ao Pai, e ele vos dará outro consolador, para que fique convosco para sempre." S. João 14, 15

"Mas o Consolador, o Espírito Santo a quem o Pai enviará em meu nome, esse vos ensinará todas as coisas, e vos fará lembrar de tudo quanto eu vos tenho dito." S. João 14,26

 "Quando vier o Consolador, que eu vos enviarei da parte do Pai, o Espírito da verdade, que do Pai procede, esse dará testemunho de mim"S. João 15, 26

Fica muito claro que o Ajudador prometido por Jesus, tanto é chamado de Espírito Santo e  o Espírito da verdade. Não se refere  a uma nova revelação como pretende  o Espiritismo. É uma pessoa distinta do pai e do Filho e uma missão. A de iluminar, santificar e guiar os verdadeiros cristãos. Não veio para os médiuns no século XIX e para Alan Kardec; veio sim, para os doze apóstolos no dia de Pentecostes e permanece até hoje com estes na Igreja.(Atos 2,1-4)
Este é a distorção mais evidente e descarada do espiritismo. Usar palavras de Jesus, que nunca na tradição cristã dos santos padres, foram entendidas deste forma, para anunciar que a própria doutrina Espírita é  o consolador prometido. Erro evidente demais que só os distraídos ou completamente desconhecedores da doutrina católica se deixam levar. Muito mais grave do que a mediunidade e a reencarnação que são  mais conhecidos e os mais combatidos. É preciso mostrar a doutrina perversa pela raiz. E a raiz do espiritismo é pretender ser uma terceira revelação quando tudo Deus nos revelou por meio do seu Filho. E ainda identificar-se como o consolador prometido por Jesus, que foi recebido pelos apóstolos em Jerusalém e não com a publicação do Livro dos Espiritos por Kardec.
Tambem há desconheicmento da doutrina espirtia por mueitos catolicos. É preciso investigar e conhecer a doutrian do outro e compreede-la para mostrar com justiça seus erros. O Espiritismo não é o mesmo que macumba ou candomblé. Este não usa imagens, não faz trabalhos para os outros, não recebe pretos velhos e não crer em orixás. Só tem em comum a mediunidade que nos centros espíritas é bem discreta e organizada. Isto é preciso entender para não ser injusto jogando espiritismo e espiritualismo tudo na mesmo saco.
Mas ele também desconhece e muito o que a Igreja esnina. O exemplo sobre o consolador, o Esprito Santo mostra bem isto, porem,  como muitos espíritas são pessoas intelctuais, creio ser mais grave não conhecer e perceber a contradição e distorção que fazem neste apecto do Esprito Santo. Eles se equivocaram pensando que a Igreja no dia dos santos comemora o nascimento destes como  o faz para com Jesus. É o que escreveram no livrinho na pagina 73.
"Da mesma forma que hoje comemroamos o natalicio de Jesus, seria válido comemorar o dia de nascimento de outros bons espiritos? (Maria, Pedro, Pasulo, etc)
"Poderia ser se soubessemos a data do nascimetno destes grandes trabalhadores do mundo espiritual. A Igreja Catolica indica dias para comemoração destes proceres religiososos mas ninguem sabe a data do nascimento destes grandes espíritos."

Com execção da virgem Maria e de São João Batista a Igreja comemora o dia dos santos no dia de sua morte e não de seu nascimento. E alem disso nem a data certa do nascimetno de Jesus sabemos. O que improta é o fato em si e não a data. A data da morte dos santos é mais fácil saber porque  os martires tinham a memória de seu maritrio sempre celebrada.
Há muitos outros erros como aceitar Jesus como caminho, verdade e vida,  mas omitir que o mesmo Jesus disse: "...ninguém vai ao PAI a não ser por mim." S. João 14,6
E afirmar que Jesus não veio destruir nenhuma religião. Ora se cristianismo não houvesse mudado as crenças pagãs ainda hoje estaríamos vendo sacrifícios de animais e até de seres humanos. Ainda cultuaríamos animais com o sagrados e ofereciaríamos comidas as estátuas dos deuses. Isto não foi uma grande mudança? Só o sacrifício de Cristo foi suficiente para fazer cessar todos os sacrifícios cruentos as divindades. Porque foi o sacrifício do Filho de Deus, imaculado. eterno e suficiente. Jesus veio sim para destituir as religiões cruéis e devassas do paganismo. Soube aproveitar o que de bom havia nestas, principalmente a sabedoria oriental ,mas reuni-las todos e submete-las a Cristo nosso Deus e Senhor. Sejamos fies a Cristo. Evitemos as falsa doutrinas. eu rendo graças a Deus que por sua misericórdia me livrou de me tornar espírita e rezo pelos espíritas, pois muitos tem reta intenção e são pessoas extremamente éticas, para que vejam em Cristo o Deus e salvador deles e possam, com sua boa vontade de servir ao próximo enriquecer a Igreja de Deus, voltando para a verdadeira fé.

Nenhum comentário:

Postar um comentário