domingo, 26 de fevereiro de 2012

O CATOLICISMO: FUNDAMENTO DA REALEZA DE CRISTO


Que outra comunidade cristã possibilitou a realeza de Cristo sobre nações e reis se não a Igreja Católica? Nenhuma! Os hereges, apegados a aspectos da doutrina, só trouxeram divisões e disputas desde o inicio da Igreja. O primeiro grande conflito na Igreja foi iniciado pelo grupo de judeus cristãos, que desejavam obrigar os gregos e não judeus a se circuncidar e a observar a Lei de Moisés. Foi o Espírito Santo que revelou a são Pedro que os pagãos não estavam obrigados a se tornarem seguidores da lei de Moisés para receberam o batismo. E São Paulo se empenhou com todas as forças, para que o cristianismo se tornasse uma fé universal, isto é, verdadeiramente católica. Os pseudo-reformadores chefiados por Lutero, só trouxeram mais e mais divisão entre os cristãos e o surgimento de novas doutrinas, de modo que todas as chamadas igrejas evangélicas tenham só a Bíblia como única regra de fé,  porém cada uma destas diferem uma das outras em aspectos doutrinais importantes.
Que outra Igreja na História teve a audácia de enfrentar reis orgulhosos e de definir com toda a autoridade, que a fonte do poder temporal pertence a Deus e que o rei deve governar obedecendo à lei de Deus? Só a Igreja Católica foi capaz disto. A Igreja com uma liderança definida, uma autoridade única, sinal da invisível autoridade de Deus e de Cristo. Só esta Igreja, fez os reis se  tornarem representantes de Cristo rei, sem que os tornassem em  deuses, como o fez o paganismo romano. E se no decorrer da historia, houve uma distorção deste exercício  do poder real, devida à má compreensão da  teoria do direto divino dos reis, entendendo que os liberava  para fazer o que bem entendesse, no principio não foi assim. O rei por haver recebido muito mais, teria a temer o juízo de Deus;  Pois como está escrito na Regra de São Bento sobre o Abade, o mesmo nunca deveria esquecer de que todos os que estão sobre a sua autoridade, haverá de prestar contas a Deus pelo mal que causou, desta forma também o rei deveria ser o mais cioso de cumprir os mandamentos da lei de Deus e temer mais que os outros, o juízo de Deus sobre ele mesmo, pois como disse Jesus, a quem mais se deu mais será cobrado.
Só a Igreja Católica enfrentou o Imperador Teódosio, por meio do corajoso bispo Santo Ambrósio, não o permitido entrar na Igreja sem antes fazer penitencia pelo excesso de violência que praticou numa guerra; Só a Igreja católica, através do papa reagiu contra a interferência  dos reis em relação a intromissão destes na indicação dos prelados e fez o Rei Henrique IV ficar, ao relento sob  a neve, esperando pelo perdão do papa Gregório  VII, em Canossa.
Foi através da Igreja, que definido as esferas da competência de cada poder, o temporal e espiritual, tornou possível a profecia do Apocalipse. "Ele (Jesus) governará as nações com cetro de ferro." E  fez de Jesus é "o Rei dos reis e Senhor dos senhores na terra" por seu reinado social.
Por isso amar a Igreja visível de Cristo, é amar a sua realeza social sobre as pessoas e as nações. A fé deixa de ser individualista, como entende o protestantismo. Não! Jesus é Rei da sociedade cristã. Esta sociedade que na Idade Média, foi chamada de Cristandade. Porque reunia todas as nações em que os chefes  governavam submetidas a autoridade da Igreja sendo esta o fundamento da Realeza daquele, que veio ao mundo para ser o rei dos corações e das nações.
A melhor e mais perfeita forma de servir à realeza de Nosso Senhor Jesus Cristo é amar e fazer conhecida a Santa Igreja Católica. É compreende-la sob seus dos aspectos fundamentais e inseparáveis: Como corpo místico de Cristo e como sociedade visível sob a autoridade do papa, legitimo sucessor de São Pedro o primeiro líder máximo dos apóstolos, e que com seu sangue santificou com a sua presença e martírio  a igreja local de Roma  e fez desta a sê principal de todas as igreja locais, espalhadas por todo mundo. Sem a Igreja Católica o cristianismo  teria se tornado uma colcha de retalhos divididas em milhares de grupos ou em igrejas nacionais subordinadas ao Estado. Como bem afirmou Santa Joana d´Arc, é preciso amar a Igreja com todas as nossas forças, EM DEFESA DA NOSSA FÉ CRISTÃ.

Um comentário: