quinta-feira, 8 de março de 2012

OS RICOS E JESUS

Jesus não despreza os ricos pelo fato de os mesmos serem ricos. Mas reconhecia que a posse de muitos bens materiais é um grande perigo para a salvação, porque desvia o homem do seu fim ultimo e supremo que é Deus. Tornava a conquista de riquezas como o objetivo fundamental da vida como nos mostrou na parábola do homem que acumulava bens para si mesmo.
Entre os ricos que eram discípulos de Jesus, destaco, José de Arimatéia; conforme o evangelho de João era seguidor de Jesus mas ocultamente. (João 19,38)E de acordo com Mateus era um homem rico.(Mateus 27,57) Como Jesus poderia permitir que alguem o seguisse ocultamente quando ele mesmo disse: "Quem se envergonar de mim e das minhas palavras diante do meu Pai eu também me envergonharei dele perante os anjos de Deus quando vier em minha glória."(Marcos 8, 38) Por certo havia razões que justificavam esta permissão dada por Jesus a José de Arimatéia. Se ao jovem rico ele pediu publicamente, que  deixasse tudo e o seguisse, a José de Arimatéia ele permite que seja seu discípulo as ocultas. Havia necessidade de um homem rico influente junto a  Jesus e ao mesmo tempo fazer parte do conselho de anciãos e ter acesso ao governador Pilatos. Se não fosse por José de Arimateia o corpo de Jesus não teria sido sepultados porque os condenados a morrer na cruz eram jogados numa vala comum e sem identificação. Mas sem duvida, José não foi meramente um meio encontrado por Deus para assegurar a sepultura de Jesus. O mestre encontrou nele o  ideal do rico cristão. São Lucas faz questão de declarar que o mesmo era  justo e reto.(Lucas 23, 50) Sem dúvida, recebera instruções de Jesus para colocar o amor ao Reino de Deus acima de seus bens materiais. Não explorar e oprimir seus empregados. Alem de José de Ariamteia, havia outro membro da classe alta seguidor Jesus. Era Joana, esposa do procurador de Herodes. (Lucas 8, 3-4) Esta não seria uma senhora pobre, já que o marido era funcionário do odiado rei Herodes, imposto por Roma aos judeus. E outras mulheres serviam a Jesus com suas posses. Estes ricos assumiram a preferência de Jesus pelos pobres e pelo verdadeiro tesouro , o Reino de Deus. Não deixaram suas posses mas se desapegaram destas e estavam internamente dispostos a perder tudo, como muitos outros homens ricos e poderosos perderam, por causa de Cristo. Lembrando que nos tempos modernos, o Chanceler do Rei da Inglaterra Henrique VIII, Tomás Morus,  perdeu literalmente a cabeça, por se recusar a deixar a verdadeira Igreja de Cristo.
A Bem-aventurada e Bendita Mãe de Deus diz em seu cântico "Derrubou os poderosos de seu tronos e elevou os humildes".(Lucas 1,52 ) Entendo que esta profecia realizou-se no decorrer da história quando homens ricos e  poderosos curvaram-se diante de um filho de carpinteiro crucificado. Um homem que foi condenado a morrer como um escravo ou agitador político. Vindo de uma familia pobre como eram pobres a maioria de seus súditos. E porque admitiram isto? Porque acreditavam que aquele crucificado era Deus. Na verdade muitos destes ricos aderiram a Cristo, por  questões políticas, para não ser rejeitados pelo povo e pela a Igreja. Porem, a maioria,  o fez por amor e de coração, dentre estes, São Luis IX, rei da França e muitos outros monarcas. 
O único e verdadeiro rico que agrada a Deus é aquele que se reconhece diante do Senhor, que sendo rico se fez pobre, como o mais miserável e pobre  dentre os humanos.(2Cor. 8,9) Porque nada neste mundo verdadeiramente  pertence aos ricos. Nem a vida, nem o futuro, nem os bens. tudo poderá perder em um minuto. E Deus exaltou os humildes, ao fazer-se um operário, um simples carpinteiro sem posses. Assumindo a condição em que vive a maioria da população, muitos em extrema miséria. Porem, ambos, ricos e pobres, ficam de joelhos diante deste crucificado que é o Senhor mais rico de todos, na verdade o único porque Senhor do universo; diante deste, que se fez o mais pobre de todos, ocultando até a sua glória perante os homens.
Se os ricos entendessem e aceitasse, pelo menos os ditos católicos,  o que Deus quis nos ensinar ao enviar seu filho, não como um rei poderoso, um homem com muitas posses, mas como um simples trabalhador e se compreendessem  de coração e vontade, que este mesmo homem do povo, é na verdade o único Senhor de Verdade,  porque tudo pertence a Ele, no mundo haveria menos pobreza e menos miséria. Por amor ao Cristo, os ricos saberiam compartilhar os  bens principalmente com os irmãos na fé. Não ficariam contra as políticas econômicas, que permitissem maior distribuição de renda. Nem as que  trouxesse  acesso a saúde de qualidade para todos. Sem longas filas em corredores lotados, sem ausência de médicos e medicamentos. Isto não é ideologia marxista. É simplesmente o Evangelho. Se muitos não se apegassem desejassem tanto aos bens, alem do que necessário,  não haveria milhares a quem falta quase tudo.
Que o exemplo de José de Arimatéia, de Zaqueu e das mulheres ricas que seguiam Jesus, seja imitado pelos ricos de hoje, os  que  se curvam perante o filho de Maria, o Carpinteiro de Nazaré,  Jesus, Nosso Senhor e Nosso Deus.

2 comentários:

  1. O Departamento de Estado norte-americano acrescentou o Vaticano pela primeira vez a uma lista de outros 67 países potencialmente suscetíveis à lavagem de dinheiro. Em seu relatório anual sobre a estratégia para o controle do narcotráfico (International Narcotics Control Strategy), o governo dos EUA inseriu a Santa Sé na categoria dedicada aos países com "jurisdições preocupantes", juntamente, dentre outros, com Albânia, República Tcheca, Egito, Coreia do Sul, Malásia, Vietnã e Iêmen.

    A reportagem é do sítio Vatican Insider, 08-03-2012. A tradução é de Moisés Sbardelotto.

    A categoria na qual o Vaticano foi inserido é de um nível inferior à dos países que despertam "extremo alerta", uma lista negra de países como o Afeganistão, Austrália, Brasil, Ilhas Cayman, China, Japão, Rússia, Grã-Bretanha, e até mesmo os Estados Unidos, Uruguai e Zimbábue.

    O Vaticano, explicou um funcionário do Departamento de Estado que quis manter o anonimato, aprovou pela primeira vez em 2011 um programa antilavagem de dinheiro, mas será necessário um ano para ver o quanto será eficaz. Portanto, ele é "potencialmente vulnerável" ao problema por causa do maciço afluxo de dinheiro que circula entre a Santa Sé e o resto do mundo.

    O Papa Bento XVI criou, no dia 30 de dezembro de 2010, a Autoridade de Informação Financeira, que deverá permitir que o Vaticano se alinhe às normas internacionais de combate à lavagem de dinheiro e ao financiamento do terrorismo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O Vaticano por certo pertence a Igreja. Mas a Igreja é muito mais antiga do que o Vaticano. Quando este surgiu em 1929 a Igreja já tinha mais de 1000 anos de história. Não confundir organismos da Igreja e até alguns membros da Igreja, até mesmo papas, com a própria Igreja. Tal como uma vinha que dá uvas, pode também dar uvas estragadas mas não deixa de ser um videira e se transforma em um espinheiro.Assim a Igreja não deixa de ser a Igreja de Cristo por causa de seus membros pecadores. Jesus nunca prometeu que deixaria uma Igreja de perfeitos. Mas uma Igreja que apesar de seus membros pecadores jamis seria vencida pelas forças do mal. Santos temos aos milhares. Vaticano só existe um e pode deixar de existir a qualquer momento, assim como deixou de existir os Estados pontifícios que incluíam quase toda a Itália. Mas a Igreja sempre existirá até o ultimo dia.

      Excluir

AMIGOS DA REALEZA DE CRISTO