segunda-feira, 14 de maio de 2012

CATÓLICOS PELA GRAÇA DE DEUS

Era comum os antigos se declararem católicos dizendo esta frase. "Sou católico, pela Graça Deus." Sim. Ser católico e perseverar no catolicismo é uma graça concedida por Deus. E muito mais em nossa época. Com um pluralismo religiosos intenso, em que da noite para o dia, surgem mais e mais correntes religiosas, e se fundam milhares  de denominações ditas cristãs.  

Por que ser católico é uma graça, se para muitos, o catolicismo é a Igreja mais permissiva,  que faz menos exigências para dela fazer parte? Quem não pratica nenhuma religião geralmente se denomina católico; assim como aqueles que além de freqüentar a Igreja, também freqüentam o espiritismo, terreiros de Umbanda e seguem outras crenças religiosas. É por isto mesmo, que  o Católico fiel e praticante, precisa da graça de Deus para viver o catolicismo, que na maioria das vezes fica restrito ao papel. Não  é estes seguido ou conhecido pelos seus irmãos na fé, que também se declaram católicos. E dentre os milhares e milhares de católicos, apenas de nome e que só receberam o batismo, alguns  só chegando à primeira comunhão, Deus como que escolhe alguns, para viver o catolicismo com fervor e fidelidade. Para estes a doutrina da Igreja é seguida com a plena adesão da inteligência, e as normas da Igreja são obedecidas com o pleno consentimento da vontade.
E em que crer o verdadeiro católico? Acredita este, que a Igreja dos Atos dos Apóstolos, aquela Igreja que sob a liderança de Pedro, o primeiro entre os apóstolos, escolheu Marias, para fazer parte do grupo dos doze, após a ressurreição de Jesus;(Atos 1,21-26) estabeleceu os diáconos para servir as mesas;(Atos 6, 2-6) aceitou os primeiros gentios com o batismo ode Cornélio,(Atos 10,34-43) para professar a fé em Cristo e teve a segurança de dizer após um concilio em Jerusalém, "pareceu bem ao ESPÍRITO SANTO  e a nós nos vos impor outra coisa além de..."(Atos 15,28) não acabou com a morte dos apóstolos de Cristo. Ficando em seu lugar apenas a Bíblia, que muitos interpretam para sua própria perdição, (2Pd 3,15-16) e fazendo desta uma fábrica de milhares e milhares das ditas  igrejas. Crer que Jesus quis, e fundou uma só Igreja, estabelecida sobre a autoridade dos apóstolos e  que estes hoje estão presentes em seus sucessores, os bispos,(Atos 20,28) que pela imposição das mãos, foram indicados pelo Espírito Santo, para apascentar a Igreja do Deus vivo, coluna e fundamento da verdade (1Tm 3,15) e que é por meio desta Igreja, viva e visível que Deus manifestou a sua sabedoria.(Ef 3,10)

Ser católico é pela graça de Deus reconhece-se salvo das penas eternas do inferno pela paixão e morte de Nosso Senhor Jesus Cristo, mas também, crer que todo aquele que fizer o mal, seja judeu ou pagão, escravo ou livre, será punido e condenado à separação definitiva da glória de Deus. E todo aquele que se omite em fazer o bem também comete pecado. Por que minha fé se prova por minhas obras.
A Igreja Católica não é a porta larga, que permite aos católicos fazerem tudo, como muitos pensam. A doutrina da Igreja sempre condenou e condena o adultério, o divórcio, a permissividade sexual. Afirma que as relações sexuais devem ser vividas no casamento e apenas entre pessoas unidas pelo sacramento matrimônio. A castidade não é obrigação só para padres e freiras. Esta o  é  para todo católico, seja ele um simples leigo ou não. Os solteiros, e os que não se sentem chamados ao matrimônio, não devem, sob pena de cometerem pecado, manter uma vida sexual ativa. Devem guardar a castidade ou se não suportarem a continência sexual,  que procurem casar-se.De modo que se fosse perguntado a um católico fiel, "Por não casastes?" Este responderia. "Porque Deus não me chamou ao matrimônio" E dissessem, "Mas tu tens uma vida sexual ativa, não? O mesmo responderia. "Sou católico. E para os católicos relações sexuais só devem existir no matrimônio, por isto guardo a castidade." Os namorados e noivos tem a obrigação de aproveitarem este período, para conhecer-se como pessoas, e não treinarem para fazer sexo. Praticar   sexo é muito fácil. Pode ser coisa de uma noite apenas. Conviver todo dia  com o outro é muito mais difícil. Por isto, tantos casamentos hoje, são desfeitos com tanta facilidade. Não são preparados pelo conhecimento e convivência recíproca, entres os casais, que se limitam apenas ao contato físico  ou então priorizam este. Os casados  ou as familias católicas, devem guardar a fidelidade e não impedir os filhos que Deus os quiser mandar. Seguir a doutrina da Igreja, e não meras opiniões, mesmo que seja de alguns padres ou bispos, no que diz respeito aos meios artificiais de controle da natalidade. Devem utilizar apenas os naturais. Mas isto não  é tudo. É na familia que um batizado católico deve receber a formação na doutrina Católica. É dever  mãe, principalmente,  educar os filhos na fé. Santa Joana d´Arc disse, em seu julgamento. "Não recebi a minha crença de outra pessoa,  mas de minha mãe." A  mãe dela a ensinou a ser uma fervorosa católica, que amava a Eucaristia e a Santa a Missa. Ela também compartilhou  a dor do próximo, em seu sofrimento, como se fosse sua. E esta fé, foi que a fez lutar e desejar a liberdade para o seu país dilacerado pela guerra.

Se procurarmos viver o que está no papel, que manda o catecismo da Igreja Católica iríamos comprovar como ser Católico não é nada fácil. É preciso verdadeiramente a Graça de Deus para sermos verdadeiros católicos, entre tantos católicos de nome e não de fé e pratica. E ser católico não depende de fazermos parte de um grupo de oração, de um movimento da Igreja, de uma ordem religiosa. Deve acontecer o  contrário. É o nosso catolicismo, abraçado com fervor, seguido com determinação, que deve nos  fazer aderir ou procurar um movimento, ou um grupo; para que no apoio recíproco de outros irmãos católicos, possamos viver de forma mais comprometida o nosso catolicismo. Sempre consciente, de que primeiramente somos filhos da Igreja. Somos católicos e por isto mesmo membros daquele grupo,de um  Movimento ou congregação religiosa. Que independentemente de participar destes, continuaremos a obedecer à Igreja.  Seremos  castos conforme nossa situação civil quer solteiros, quer casados, obedientes ao Papa, piedosos,determinados a fazer o bem a evitar o mal, como deve ser o verdadeiro católico.

Nenhum comentário:

Postar um comentário