sábado, 12 de maio de 2012

MARIA SANTISSIMA


Em seu tratado A Verdadeira Devoção à Virgem Maria, São Luís Grignion de Monfort,descreve os falsos devotos de Maria. Entre estes, coloca os devotos críticos. São aqueles, segundo o santo,  criticam qualquer devoção ou orações dirigidas à mãe, por medo de que esta seja mais honrada do que o próprio filho. Por certo, se entendemos que a mãe do Senhor é a mais perfeita dentre todas as criaturas redimidas, dentre todos os que acreditaram em Jesus como Filho de Deus, e salvador, honra-la, venerá-la, celebrar com ritos a sua pessoa, nunca irá diminuir a pessoa e obra de Jesus. E isto porque contemplamos Maria como a mais perfeita obra da Graça, concedida a ela por Deus, em vista de Jesus, o nosso único e eterno mediador, entre Deus Pai e a humanidade. Mas se isolamos a Virgem da Redenção. Se a colocamos à parte, como  segunda Redentora, sem vinculo algum com o Salvador seu filho, esta devoção não só é falsa, como chega próxima à idolatria. Servir antes à criatura e não ao criador. E isto, é muito comum na religiosidade popular. Dia 13 de maio de cada ano, celebra-se uma festa muito popular, que nem se quer faz parte do calendário católico. É uma festa local, em que se comemora a primeira aparição da Virgem Maria em Fátima, Portugal. A Igreja aprovou as aparições de Maria em Fátima.  Mas esta não é dogma de fé. Posso muito bem não crer que a Virgem Maria apareceu em Fátima e nem por isso deixo de ser católico. Revelações particulares não são dogmas de fé. Elas são possíveis, mas também nada acrescentam ao que o Evangelho de Jesus já nos deixou. Não podem e não trazem nenhuma doutrina nova. A Igreja as aprova justamente por isto. Porque não contradizem o que a Igreja ensina e sempre ensinou. O que Maria pediu em Fátima foi conversão e oração pelos pecadores. Reforçou a existência do inferno e a importância de rezarmos uns pelos outros, para que nos livremos da condenação eterna. Solicitou a recitação do terço em que meditamos os mistérios da nossa Redenção. Tudo isto já era ensinado e praticado por alguns. A aparição veio para confirmar e reforçar o que já fazia parte da doutrina católica. Com o crescimento da devoção, foram criando praticas que a mesma Senhora nunca pediu. Missa toda dai 13 de cada mês as 12 horas; Vestir-se de branco todo dia 13. Conheço uma colega de trabalho que se veste branco todo dia 13, mas que diz com certa ufania “ para as missas, eu mesma, não vou não" Fez a crença na aparição de Nossa Senhora em Fátima,  esta pessoa ser católica? De certo que não. As pessoas procuram centros de devoção para pedir e pagar promessas. Este tipo de religião não incomoda ninguém. Nem amedronta governos. Por isto é que prefeituras incentivam procissões, erguem nas praças imagens de santos e santos, quando ao mesmo tempo, desejam tirar os crucifixos de repartições  públicas. Como se praças não fossem ambientes públicos pertencentes ao governo. E isto porque a cruz incomoda. Ela indica Redenção e pecado. Ela mostra o poder e a presença da Igreja Católica, que levou o mundo ocidental, a adorar um crucificado. Vejam com eles reagem  quando há uma marcha contra o aborto ou contra o casamento gay. Já chama os que participam de tais marchas de fanáticos e medievais. O governo não teme religião popular ou mágica. Não se incomoda com os terreiros de Candomblé ou de macumba. Porque visam apenas resolver problemas pessoais. Não exigem uma mudança de vida. Não exigem conversão! Devoção aos santos também são bem vindas. Desde que não façam as pessoas a viveram a santidade. E infelizmente é isto que acontece. São  devotos de Maria que se enquadram na falsa devoções apontadas por São Luís de Monfort,  interesseiros e os presunçosos. Que  permanecem no pecado e mesmo assim se dizem muito devotos de Nossa Senhora de Fátima. Aliás, para alguns pouco importam se é  a mãe de Jesus. Acredito que muitos não entendem isto a  vejam como outra santa, diferente de Nossa Senhora aparecida, já que se guiam pela visão e o que vem para os dois títulos são imagens diferentes. Muito diferentes. Não associam estas à mesma pessoa. No caso, a imagem branca e bela, que representa aparição de Fátima, é  muito mais querida e admirada do que a pequena e negra imagem aparecida em 1717. Pelo menos no nordeste do Brasil.  Mesmo que haja mais romarias à Aparecida, sem dúvida.  O que estou tentando, dizer é que os devotos de Nossa Senhora de Fátima, apreciam mais a imagem, do que a pessoa mesma da Virgem Maria. Creio que pelo escrevi até agora, muitos já me incluiriam entre os devotos críticos, apontados por São Luís Maria de Monfort. Mas eu vejo outra categoria de verdadeiros filhos da Santíssima Virgem. São os devotos ESCLARECIDOS. Aqueles que contemplam a Virgem  como a Mãe de Deus, Nosso Senhor Jesus Cristo. Que entendem, que ela, dentre todas as criaturas, é a mais santa e mais glorificada por Deus Pai, em vista dos merecimentos do filho único de Deus. Que a recebem em seu coração como verdadeira mãe. Que deixam em segundo plano seus milhares de  nomes e suas milhares de imagens. Sua devoção tem raiz bíblica e se fundamenta na autoridade da Igreja. São continuadores do grito, que Elisabete deu ao receber a saudação de Maria: "E donde a mim isto? Que venha me visitar a mãe do meu Senhor?" Estes sim, são católicos que entendem o papel de Maria no contexto da Redenção. Que nunca separam mãe do Filho. Que obedecem à Mãe quando adoram e louvam o Filho. E que alegram o Filho, quando reconhecem a graça e e fé que este concedeu à mãe. E que acima de tudo, defendem e vivem segundo a doutrina da Santa Igreja. Romarias, terços, novenas, imagens, são boas apenas se  produzirem bons frutos;  se houver uma verdadeira devoção à Santa Mãe de Jesus. E os sinais da verdadeira devoção são estes: Tem raiz bíblica; Contemplam Maria, à luz da redenção como a mais prefeita dentre os redimidos; (porque concebida sem pecado, pela morte de Cristo já em sua conceição) Percebem em cada título ou imagem, a mesma e única mãe de Deus; evitam o pecado e defendem a fé católica, mesmo que se prejudiquem por causa disto. Estes são os devotos que denomino esclarecidos e que nada tem a ver como os críticos, pois estes só enxergam os defeitos na devoção à santa Mãe de Deus. São como os protestantes que só se referem à Maria para criticar os católicos e ignoram tudo o que a Bíblia diz sobre Maria.  Os devotos esclarecidos procuram   mostrar a  verdadeira grandeza de Maria e as maravilhas que nela Deus realizou. Peçamos ao Espírito Santo que nos faça verdadeiros filhos desta Santa mãe, que recebemos de Jesus, na pessoa do discípulo amado. Sejamos verdadeiros filhos da  Mãe de Deus e nossa!

Nenhum comentário:

Postar um comentário