segunda-feira, 25 de junho de 2012

JOÃO BATISTA E O ESTADO LAICO

João Batista havia dito a Herodes: "Não é permitido viveres com a mulher de teu irmão." Mc 6,18


Ontem a Igreja celebrou a memória de São João Batista. Um dos três únicos no cristianismo a ter o nascimento celebrado. além dele, a Igreja só comemora o nascimento  de Jesus e o de Maria Santíssima. João, o profeta que desafiou o poder politico em nome da lei de Deus. Para João, não existia Estado laico e as pessoas não podiam agir como se a lei de Deus não importasse, e reduzir a religião a dogmas e ritos de foro íntimo.

João Batista havia dito a Herodes: "Não é permitido viveres com a mulher de teu irmão." Mc 6,18

Quando a Igreja prega contra o divorcio, o adultério, à apologia ao homossexualismo, os poderosos da Terra dizem: A religião é questão de foro intimo. Deve ficar restrita aos templos e as residências. A lei dos homens se coloca acima da Lei de Deus. Quando a Igreja defende a vida desde o ventre da mãe, o Estado afirma que questões religiosas não devem interferir em decisões judiciais. Como se a Religião fosse apenas crendices, rituais, festas, puro folclore. Hoje, para muitos, Religião é paz e amor para com todos , principalmente para o pecado. João Batista é testemunho vivo de que a Religião verdadeira é um modo de viver. Exige praticar a Lei de Deus, mesmo que vá de encontro aos nossos interesses políticos e pessoais.

João Batista havia dito a Herodes: "Não é permitido viveres com a mulher de teu irmão." Mc 6,18

Quando a Igreja denuncia a opressão e a tirania dos poderosos, os famintos, e a situação de miséria que muitos vivem, os cristãos de meros ritos, gritam. Lugar de padre é nas sacristias. E desta forma , neste aspecto, se unem aos liberais, ateus e agnósticos. A Igreja tem que cuidar só da alma e nunca pode denunciar a avareza dos ricos. A Igreja tem o dever e a autoridade de denunciar as injustiças sociais; principalmente se os tais ricos se proclamam católicos. Mas deve ter também a coragem de exigir um vida cristã pura. Sem orgias, sem adultérios. Deve anunciar o que é dever de cada  pessoa, seja esta  casada, solteira, rico ou pobre. Foi isto que João Batista, ou batizador,  fez com aqueles que o procuravam pedindo orientação. Confira: Lucas 3,10-13.

João Batista havia dito a Herodes: "Não é permitido viveres com a mulher de teu irmão." Mc 6,18


O que joão Batista teria a dizer a um político que se declara católico e que participasse de uma parada gay e dissesse, nesta hora sou o governante, mais tarde serei o católico.? Certamente diria. Não te é licito aprovares e apoiares a impureza, o pecado. Não há como separar a pessoa que tem fé de seus atos. Não se pode dar a desculpa de que no governo, sou o cidadão que não crer e nem obedece. Na Igreja sou o católico que reza. Não tem como haver Estado laico absoluto no catolicismo. Só as religiões de fertilidade, de adoração da natureza, de escravização aos deuses das arvores, das matas, dos rios, servem aos interesses de um Estado laico. Religião que tem doutrina moral, que exige deveres sociais, que prega o que se deve evitar e o que se deve fazer, não interessa a um Estado laico, assim como não interessava ao Império romano no inicio. Um Deus  que exige Adoração absoluta e exclusiva, não suporta  que se adore outros deuses, num festival ecumênico de que toda religião é boa e todo ritual é correto.

João Batista havia dito a Herodes: "Não é permitido viveres com a mulher de teu irmão." Mc 6,18

João Batista tornou-se o mártir da verdade. Não teve medo de denunciar o adúlterio do Rei Herodes. Interferiu na vida particular de um rei. De uma autoridade política. Herodes era um judeu  tal qual ele, mas não estava seguindo a vontade de Deus. João teve a coragem de mostrar a ele que estava desobedecendo à vontade de Deus. A Igreja tem a mesma obrigação. Denunciar os que não cumprem a vontade de Deus em todos os aspectos. Em relação à vida sexual, social, política e profissional de todos. Sejam ricos ou pobres. Acolhendo com o coração de mãe os arrependidos, os pecadores, para que reconquistem a sua dignidade de Filhos de Deus. Porém, nunca silenciado, para agir politicamente correto. Nunca escondendo uma parte da doutrina e apenas se empenhando em questões sociais e ambientais, igualitárias e  econômicas. Mas defender os dez mandamentos. A vida nova em Cristo. Ter a coragem de mostrar o erro, principalmente das autoridades políticas, que se declaram católicas e praticantes. Ter a coragem de João Batista,  que perante Herodes, não teve  medo e perdeu a cabeça por amor à verdade, porque disse:

 "Não é permitido viveres com a mulher de teu irmão." Mc 6,18

Nenhum comentário:

Postar um comentário