quarta-feira, 5 de setembro de 2012

O CATAROS E A INQUISIÇÃO




Entre todas as heresias medievais,destacou-se uma,que passou a ser tida como a que heresia por excelência:o Catarismo.Cátaro e herege passaram a ser sinônimos.O Catarismo teve tal expansão que ameaçou o domínio da Igreja Católica na Europa.Os cátaros dominaram todo o Languedoc,a Provença,e tiveram muita influência no nordeste da Espanha,na Lombardia e no centro da Itália,na atual Yusgolavia e nos Bálcãs.Temporariamente vencidos pela Cruzadas de Simão Monfort  e de Luis Vll,combatidos pela Inquisição ,os cátaros procuraram ocultar-se para sobreviver.Difundiram suas idéias ,de modo velado,através de obras poéticas. Sob este ponto de vista,a história do catarismo  apresenta-se como uma longa luta de morte entre duas civilizações:a do norte e a do sul da França.Conforme Belperron,a máxima militar do norte era:”nenhuma terra sem senhor”;e no Midi é conservada a fórmula jurídica ,”nenhum senhor sem título “.Assim mostra o caráter diversificado do feudalismo militar do norte,e o jurídico ,sob a influência romana ,do Midi.No norte ,o homagium teve caráter religioso sacro,fundada sob os laços do feudalismo,enquanto era diminuído ou quase inexistente no Midi,já que a Igreja se encontrava d ebilitada pela heresia que proscrevia o juramento.
  
No Languedoc onde o catarismo se propagou ,no século Xlll,por todas as classes de sociedade  e encontrou defensores tanto nos castelos como nas choupanas.Os grandes senhores –a despeito da ligação exterior que mostravam em relação a Igreja Católica –eram  ainda mais  anticlericais ,mas por enquanto outras razões.O catarismo constituia,para eles,pretexto para ultrapassar o domínio de Roma.Gostavam de repudiar as mulheres quando assim os desejava;entrar em guerra qua ndo lhes apetecia,sem respeitar a" trégua de Deus";os judeus eram em toda a parte admitidos ,frequentementes em altas funções públicas.A opulência da Igreja Romana também favorecia a expansão da heresia cátara.Foi entre os cavaleiros  pobres,mercadores e artesões  que a heresia se tornou mais popular.
 Outro fator importante para o crescimento da seita não era a miséria,mas sim o desenvolvimento econômico  rapidamente crescente ,que produz uma destruturação da sociedade tradicional.É explicável o movimento herético como um subproduto das mudanças culturais,sociais e econômicas dos séculos Xl e Xll.Assim, a ordem dos comerciantes começava a opor-se à dos guerreiros,como o dinheiro a honra.A liberdade do “serviço livre “,sob o impulso catarista  do que  em vi rtude de um direito transmitido por direito de nascimento. Em 1250,Raynier  Sacconi conta doze igrejas ou bispados na França,na Occitania e na Itália:em França,a Igreja de França;na Itália ,a Igreja dos Albanenses,a Igreja de Concorezzo,as de Bagnolo,de Vicence,de Florença,do Val de Spoléte;na Occitania,as igrejas de Toulose,de Albi,de Carcassone.É preciso agregar as de Agen e de Razés ,cuja existência é revelada pelos dossiês interrogatórios da Coleção Doat.

 Os cátaros dividiam-se em Perfeitos e Crentes:só os Perfeitos,que recebiam o consolamentum(sacramento que uma pessoa se tornava um perfeito),faziam parte da Igreja Cátara ;os Crentes,como os catecúmenos da igreja primitiva ,estavam excluídos e não possuíam existência religiosa ,salvo se recebessem o consolamentum.Na presença de um Perfeito,deveria adorá-lo,ou fazer o seu melioramentum.Este rito consistia prostar-se diante do Perfeito,inclinar-se três vezes e solicitar por uma fór mula tradicional a sua benção .Nas crianças era negado o sacramento,pois não tinham o juízo da razão. [...]Todas as crianças estão condenadas sem esperança e serão punidas na outra vida como assaltantes e assassinos ,devido a sua maldade congênita .Apenas o consolamentum pode salvar os homens.BORST Arno. Les Cathares.

 Os Crentes não tinham as obrigações religiosas dos Perfeitos e comparados a estes possuíam,pelo contrário,uma liberdade ímpar. Eles não eram responsáveis pelos seus atos e que deviam esperar,para o poderem ser,várias reencarnações.Assim,beneficiavam de uma  grande indulgência.Quando pecavam,era o diabo que pecava dentro deles.Não eram obrigados a viverem de maneira ascética ou mística:quando se casavam,eram avisados de que a sua alma corria perigo  e de poderiam ser reencarnados ainda muitas vezes.Para  os Perfeitos a castidade era uma obrigação absoluta .Praticavam o jejum e a abstinência de carne.A mulher era um  perigo permanente,e se fosse tocada,mesmo involuntariamente,expunha o Perfeito a três dias de jejum.O casamento era considerado um estado satânico porque se regularizava  no crime da carne e tinha como consequência natural a procriação.
A concubina era mais aceita do que a mulher casada,fato que levou as cátaros a acusação de terem hábitos promíscuos. [...]Os cátaros privavam-se[de comer carne]por causa de sua doutrina de metempsicose.A carne é suscetível de comer um fragmento da alma ligado a terra,que que então aí estaria mais ligada    ainda   pelo metabolismo.Parecia,aliás,aos católicos que os cátaros se preocupavam pouco demais com a castidade como disciplina corporal.Desde que elas não acarretassem a concepção de filhos,eles pareciam encorajar positivamente as relações sexuais ou,ao menos,não as contrariavam em nada,o que era o completo oposto da ideia católica.Em consequência,suspeitava-se que eles praticavam orgias contra a natureza,sob todas as formas imagináveis.Essas reprovações não eram totalmente injustificadas ,pois os próprios cátaros reconheciam francamente preferir a devassidão ao casamento,visto que o casamento era u m negócio bem mais sério,regulamentando oficialmente uma coisa má em si.RUCIMAN,Steve .Le manicheisme medieval

 Os Perfeitos passaram a ser a alma da seita cátara,consagrando integralmente o seu tempo a um intenso apostolado.Eles percorriam cidades e os campos ,pregando com a palavra e o exemplo.A finalidade dos Perfeitos era,por um lado,engrossar as fileiras de seus adeptos e,por outro,arrebatar seguidores da Igreja de Satã ,a Igreja Católica.Daí arremeteram com violência contra os sacramentos,as igrejas,a cruz e os cemitérios,contra o culto,as relíquias,enfim,contra o clero
Censuravam os poderes públicos e o direito de julgar e ordenar; não prestavam qualquer juramento ,base das relações humanas  da cristandade medieval,pois afirmavam que a autoridade descrita no Velho Testamento era obra do Deus -Mal e fora abolido por Cristo.
E´claro que tais doutrinas viam a vida com maus olhos e não só a vida,mas também a própria existência era tida como coisa má.Estava,então ,na lógica de seu sistema admitir o suicídio.A” endura” consistia geralmente  em se deixar morrer de inanição ou,mais raramente de frio.Prática muita divulgada no fim do século Xlll e sobretudo no condado de Foix,sob a influência do pastor Pedro Autier.
 A reação popular contra os crimes do catarismo foi violenta.O povo,não contaminado por esses erros,ao saber de algum crime causado por essa doutrina,massacrava os assassinos de mulheres grávidas e os que tinham provocados tais crimes.

Para coibir esses linchamentos,e para que houvesse um julgamento correto,é que a Igreja instituiu a Inquisição. Caso os cátaros tivessem dominado o mundo,nós,hoje,não existiríamos.Eles teriam extinguido a humanidade.Isso  tão evidente, que até protestante Henry Charles Lea, referindo-se aos cátaros, foi obrigado a afirmar: “Essa era a crença cuja rápida difusão através do midi da Europa encheu a Igreja de um terror plenamente justificado.Por mais horror que nos possam inspirar os meios empregados para combatê-la,por mais piedade que devamos sentir por aqueles que morreram vitimas de suas convicções ,reconhecemos sem hesitar que ,nas circunstâncias,a causa da ortodoxia era a da civilazação e do progresso.Se o catarismo se houvesse tornado dominante,ou pelo menos igual ao catolicismo,não há Dúvida de que sua influência teria sido desastrosa”(H.C.Lea.Histoire de I´Inquisition au Moyen-age.vol.I.Paris,1986-1988,P.121 apud J.B.Gonzaga.op.cit.p.111)
Na verdade,a base da doutrina cátara encerra o eterno mistério da coexistência e da relação entre o perfeito e o imperfeito,o absoluto e o transitório,o eterno e o temporal,o bem e o mal,o espírito e a matéria.Eles eram maniqueístas  e gnósticos .Consideravam que o  Mal tinha existência ontológica.É isto os que tornavam maniqueus.Apesar disso,consideravam ser  os verdadeiros e bons cristãos.
  
Para eles,a matéria teria sido criado pelo Deus do mal,para aprisionar o espírito do bom Deus.Portanto,todo o universo material seria maligno,e o Criador do mundo-que nos adoramos-seria o Deus do mal.O Deus-Bem,compadecido de seus anjos encadeados na terra pelo Deus-Mal,decidiu salvá-los e recuperá-los.Dentre os anjos,enviou um voluntário como emissário,que se tornou o Filho de Deus.O corpo mortal de Jesus Cristo foi apenas uma aparência,visto que uma emanação do Deus-Bem não pode ter contato com a matéria,obra impura do Deus –Mal. As consequências dessa teoria são evidentes,estando em primeiro plano a rejeição do Velho Testamento,obra de Jeová,Deus-Mal. O homem não foi criado à imagem de Deus,mas pelo Demônio .O  encargo de Cristo foi uma simples missão num mundo satânico,sendo negadas a encarnação,a paixão e a ressurreição..Daí o ódio dos cátaros pela cruz e pelo sinal da cruz que se relacionam aos sofrimentos de Cristo e o ligam à matéria impura.

 A mensagem levada por Cristo aos anjos decaídos,nos quais a alma divina se encontrava presa no corpo satânico dos homens,estava contida no Evangelho de São João,”E sem Ele nada foi feito”que recebia atenção na palavra nihilum(substantivo),o nada,uma”coisa”que não se encontra situada no mesmo nível ôntico que as essências criadas pelo verdadeiro Deus. Para os cátaros ,este “nada” significava o conjunto das coisas e dos espíritos maus. De acordo com a doutrina cátara,o Deus-Bem triunfará sobre o Deus-Mal, e conseqüentemente todos os homens serão ,por certo,salvos,pois o triunfo de Deus sobre Satã não poderiam ser completo enquanto a última criatura deste não abandonasse o seu invólucro carnal,para alcançar seu lugar no seio da milícia celeste.Em certos aspectos,o catarismo,afirma que esta vitória do Bem sobre o Mal será obtida”à justa”e ,de qualquer modo,não conduzirá à eliminação total do princípio do Mal,que é eterno e indestrutível.

 É o que já alguns controversistas  católicos censuravam os albaneses:”uma vez que as almas do Deus -bom,diziam,regressem ao seu reino e do Deus –mau ao seu,por que não recomeçarão as hostilidades entre os dois princípios?”a prova da Mistura,e sua derrota final,tornaram a obscuridade incapaz de renovar a sua tentativa de invasão do reino de Deus;a disjunção das duas naturezas,a superioridade do Bem,a segurança e a paz da luz,serão, então,definitivas. Como vê,a superioridade do bom princípio reside na sua eternidade.Enquanto o mau “dura”indefinidamente-porque  é princípio-,mas numa transformação perpétua e no caos(o inferno no sentido cátaro), o Deus do bem,esse que nunca muda e é capaz,uma vez que todo poderoso no bem,de acrescentar um pouco de existência aqueles que o Mal reduziu.Foi assim que Cristo fortaleceu o seu ser e se furta à corrupção universal.
Afinal,tinham a sociedade religiosa e as sociedades civis o direito de se defender contra esta conspiração da anarquia civil e religiosa? Reconheçamos que era um dever,pois que não se disputava somente sobre algum  ou alguns dogmas,mas que toda a ordem social se achava ameaçada.

Ednardo Cordeiro

2 comentários:

  1. Vale lembrar que a Inquisição foi instaurada permanentemente após a cruzada contra os cátaros, que foi considerado o primeiro genocídio da história ocidental. E as mais horríveis torturas foram criadas nessa época pela "santa" igreja católica.

    ResponderExcluir
  2. Houve abuso na perseguição aos cátaros? sim. houve, Ninguém nega que houve. Como também houve abusos nas duas guerras mundiais. Porem, só a modernidade cometeu o hediondo crime de lançar sobre civis, mulheres e crianças, duas bombas atômicas. E os cátaros não eram nem um pouco santinhos. Induziam mulheres grávidas a abortar e eram contra a procriação. Eis que afirma um historiador que não é católico: " "... A causa da ortodoxia Católica não era outra coisa senão a civilização e o progresso humano... Se essa crença, o Catarismo, tivesse conseguido recrutar a maioria dos fiéis, o resultado seria trazer a Europa de volta à mesma barbárie dos seus tempos primitivos..." (Léa, Henri-Charles, Historie de l'Inquisition au Moyen Age, Paris, Éd Jêrome Millon, 1986, 3 vols).

    ResponderExcluir