sábado, 22 de dezembro de 2012

A ANALFABETA QUE ENTENDIA A MISSA E EM LATIM


         Existiu esta mulher? Sim e viveu na parte final da Idade Média. Era analfabeta em sua própria língua, a francesa. Nunca leu uma parte das Sagradas Escrituras. Mas sem dúvida, ouviu muitas vezes em forma de histórias contadas por sua mãe, fatos da Bíblia e ouviu com muita atenção. Guardou o essencial. Ela ansiava por assistir uma missa. E não era porque entedia o que o padre dizia. A missa em sua época era toda em latim, até mesmo as leituras bíblicas. Muitas missas nem sermão tinham. Eram celebradas  sem fieis. Esta mulher viveu no final da Idade Média, quando esta já não havia a mentalidade  cristã do tempo de são Francisco de Assis e de Santo Tomás de Aquino. Quando os reis já não queria uma federação de Países cristãos, comprometidos a adorar e servir a Jesus Cristo, sob a autoridade da Igreja na pessoa do papa. Eles queriam era  terras, poder... e alguns queriam ser o papa em seus países.
         Ela não tinha tradução simultânea das palavras da missa. De forma alguma. E como poderia entender a missa? Ela entendia e muito bem. Muito mais do que muitos católicos de hoje que leem, cantam nas igrejas aos domingos e ficam sem entender nada, mesmo quando a missa é adaptada à língua moderna, com os bons dias e olá tudo  bem?  Porque o que esta mulher entendia era que a missa tornava presente o mistério de sua redenção. Ela acreditava que Jesus Cristo HAVIA SOFRIDO PAIXÃO E MORTER PARA Livrá-la das penas do inferno E QUE NA MISSA,  ELA ASSISTIA AO VIVO,  A PAIXÃO E MORTE DE CRISTO. Ela também acredita que ao receber a hóstia, não recebia uma parte do corpo de Cristo, um pedaço de carne disfarçada de pão. Em suas próprias palavras ela disse que "não a permitiram receber “O MEU SALVADOR" O seu salvador vinha até ela na missa. A sua maior angustia, quando ficou três meses presa, foi não receber na missa, o seu salvador.
         ]
         Quando padres e agentes de pastoral falam hoje, que o povo, se afasta da Igreja porque na missa ainda se uma linguagem que não é popular e porque não entendem nada, que  esta ainda não imita o mundo chamando as pessoas de galera e aí moçada, todo mundo tá feliz e outras palavras moderninhas, houve uma mulher, que não era um senhora beata e velha, que não era uma esposa oprimida, que buscava refugio na religião, mas que entendia a missa. E o que é preciso para o povo entender a missa? Saber latim, saber as orações da missa decoradas? Não. O essencial é: saber que Jesus sofreu paixão e morte na cruz para salvar os pecadores. Saber que é pecador e foi libertado do pecado pela morte de Jesus. Saber que na missa, por meio de sua morte e ressureição Cristo, se entra em comunhão com o Cristo ressuscitado. Isto é o essencial para entender a missa: reconhecer que foi libertado do pecado pela morte de Cristo. Saber que Cristo entra em comunhão conosco como pessoa por seu corpo e sangue, sob as aparências materiais de pão e vinho  E isto  é o que e a missa. Esta é a missa que Santa Joana d´Arc entendia e que muitos clérigos não aceitam hoje. Porque quando entendemos e aceitamos o verdadeiro e único sentido da missa, não é preciso saber  latim, ler as Escrituras, cantar ,agitar os braços na Igreja e bater palmas. O Essencial é crer e saber que Jesus Cristo veio ao mundo, para salvar os pecadores dos quais eu sou o primeiro. Que recebo sob as aparências de pão e vinho o meu Salvador  Jesus Cristo, que guarda a minha pessoa para a Vida Eterna.  É ter a plena certeza interior de haver sido santificado e livre do pecado pela paixão e morte de Cristo e confessar que fomos salvos das penas eternas do inferno, pela cruz de Cristo; que ficamos unidos a Ele, por seu corpo e sangue, oferecidos para a remissão ode nossos pecados.
Prof. Francisco Silva de Castro
Em 22 de dezembro de 2012

Um comentário:

  1. Prezado Professor,
    Meu nome é Kleber, sou católico, sou militar e gostaria de saber se o Sr. possui mais informações sobre essa Sra. Medieval.
    Att.

    Kleber.
    kleberwar@yahoo.com.br

    ResponderExcluir