quinta-feira, 10 de janeiro de 2013

SANTA JOANA E A NOVA CRISTANDADE

        Ao final do século XV iniicou-se a formação dos Estados nacionais. Iniciava-se o  termino da Idade Média e  do regime sócio-economico do Feudalismo. Na França. a guerra dos 100 anos com a Inglaterra contribuiu para a centralização do poder real. O Rei de mais nobre  dentre os nobres e simbolo da soberania de Deus  se tranformará num governante de um território delimitado. Os individuos começam a se perceber não mais como cristãos franceses, ingleses, mas  primeiramente  como franceses, borgonheses ou ingleses.  A soberania do papa sob todo os reinos e contestada e mesmo na França há tendências a uma espécie de igreja nacional, como um clero autônomo.A Cristandade antiga começa a terminar.
     Digno de nota é que jsutamente no inicio oda formação dos Estados nacionais Deus tenha suscitado um jovem camponesa, para em nome dele, garantir a soberania do Reino da França. Quando perguntaram porque ela e não outro Joana respondeu com simplicidade "agradou  a Deus agir assim. Por meio de uma simples Virgem expusar os inimigos do Rei." e que outro individuo, se não um com fé e fidelidade a Deus, iria reivindicar a nova nação em nome de Deus e não em nome do patritotismo, do amor ao povo?. Para Joana Deus quer a França para os franceses na mesma proporção em que a França para Ele. Todos os reinos da Terra pertencem a Deus e ao seu Cristo afirma o Apocalipse. E mesmo que sejam uns relação aos outros soberanos, todos devem obediência absoluta a Deus. Deus na verdade, quis manfestar como deveria se constituir a nova crsitandde. Estados soberanos mas subodinados ao unico Deus. Ao  Santo evanglho. A Jesus Rei dos reis e Senhor dos senhores. Só Joana compreende que um nação só e verdadeiramente soberana quando o seu Deus é o Senhor, Rei dos céus. O contrário do irão fazer as novas  nações. Expulsam Deus do mundo da politica e da economia. Deixam-no restrito ao privado e pessoal, De modo que um governante pode dizer que age como catolico no domingo e como agnóstico ou ateu no gabinete, assim com agiu o Rei da Espanha ao sancioanr a lei que liberva mais ainda o aborto. Um rei deste tipo teria sido rejeitado com horror por Santa Joana d´Arc. Os reis terrenos são apenas lugar tenentes do Rei do Céu. Aliás, o  Rei de toda a Terra e não só da França. A formação dos Estados nacionais uniria os  soberanos dos povos, os governos  e autonomia de cada um relação aos outro à a lei de Cristo. O reconhecimento de sua realeza social. Hoje rejeitada  por todos inclusive clerigos. Para Joana Jesus é o unico e verdadeiro Rei da França, da Inglasterra do Brasil e até da China. Os poderosos das nações lhe pertencem.

       A Nova Cristandade aplicará a lei do Evangelho na política e na economia. Nunca poderá jamais separar o religioso do social. Porque é no dia a dia que o cristão vive a sua fé. E perante um caso de aborto que ele deve ser recusar a faze-lo com cristão. Num Estado ateu e laico, este será perseguido se for funcionário publico e se recusar a faze-lo. De certo modo querem fazer-nos retornar ao tempo do paganismo romano. Em que todas as religiões eram permitidas com tanto que adorassem também o Deus Estado e o Deus César. Os cristãos forma mortos porque se recusaram a absolutizar o Estado e o imperador. A queda do Império romano e a conversão dos bárbaros iniciou a antiga Cristandade que não tinha Estados nações, mas aglomerados de povos e terras. Ao final da Idade Média por sua missão Santa joana d´Arc anuncia a Nova Cristandade que será a fidelidade de todos os povos a Cristo e à sua Igreja, sem cruzadas e sem inquisição, mas com a determinação de dar a vida por a  amor a Cristo como ela mesmo  o fez. Por sito sua missão foi encerrada com o sacrifício de si mesma julgada em questões de Fé. O estado ingleses não admitia o que Deus estava querendo dizer a Estes;  que os mesmos deviam ser cristãos ingleses e os franceses cristãos franceses e ambos reinos de Deus. Colocaram o diabo do lado dos franceses mesmo sendo eles os invasores. Mas a mensagem de Joana ficou para todos e esta:  Deus é o Senhor tanto dos corações como das nações e os poderosos deste mundo lhe pertencem e o reino de Deus de  nações que o amem e o sirvam irá se estabelecer na Terra apesar de seus inimigos. Como disse Joana em relação ao seu rei francês, se pode dizer com muito mais razão do Rei do Céu. Ele  terá o seu reino memso que não o queiram os seus inimigos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário