quinta-feira, 24 de outubro de 2013

Imagens sacras e profanas




           Santo, sagrado na Sagrada Escritura significa separado do uso comum e reservado para o culto a Deus. Há no Antigo Testamento objetos e lugares sagrados como a Arca da Aliança, o candelabro de Sete bicos, a mesa e os pães da preposição e entre os lugares o monte Sião, o Templo e  o Santo dos Santos. Não  são santos apenas em um período e depois retornavam ao uso comum. Eram sagrados em definitivo porque reservados para o Culto ao Deus de Israel.
            O mesmo se poderia afirmar das imagens sacras que representam Jesus, A Virgem Maria e os santos. Lembro que nunca se dizia comprei a imagem do Santo Antônio, mas “troquei”. Imagens de santos não eram mercadorias para ser vendidas. E não eram enfeites ou utilitários. Não havia chaveiros com imagens de santos, nem porta joias, nem peso para papeis, no entanto é que hoje encontramos. E há relógios de paredes com imagens de santos no mostruário, há brincos e muitos outros utilitários para os quais as imagens são meros enfeites.. Há imagens em tudo o que usamos n o dia a dia menos nas Igrejas.
            E se tem o hoje o costume de fazer a imagem de um santo ficar sagrada só no dia de sua festa. Já vi em muitas igrejas as imagens enfileiradas em  cima de armários na sacristia. No dia do santo elas são colocadas no presbitério enfeitadas com flores. Mas depois da festa voltam a ser um mero objeto. Vejo que no oriente um ícone jamais se torna um objeto comum. Na verdade um ícone é sagrado desde a sua confecção. Nem todos podem fazer ícones que eles chamam de escrever. Só os monges escrevem ícones. E estas são sempre reservadas para o culto a Deus. Pertencem a Deus e se referem a Ele porque foi Deus quem agiu nos santos que estes ícones representam. Eles não enfeites, não  são obras de decoração.

            As imagens sacras católicos se tornaram-se objetos decorativos e  simples mercadoria. Nas lojas de artigos religiosos está lado como outros objetos comuns. Só depois de compradas se tornas imagens sacras em alguma Igreja. Em outras só em alguma época. Esta banalização das imagens fazem das mesmas simples objetos. E não itens sacros reservados para liturgia. Que voltamos a valorizar as santas imagens pelos quer estas representam Homens e mulheres de Deus. Que não se compre imagens deformadas como estão fabricando agora e imagens de santos bebes e de biscuit. Isto é um verdadeiro desrespeito a memória dos servos de Deus.


sábado, 12 de outubro de 2013

GRANDE É A SERVA DO SENHOR (Lc. 1,38)









         Se não fosse pela pessoa de Maria, a mãe do Senhor, o culto as deusas pagãos teria resistindo ao Cristianismo. O exemplo dos ourives de Diana em Éfeso comprova. Eles expulsaram o Apóstolo Paulo  de Éfeso aos berros de “Grande é a Diana dos Efésios” (Atos 19,25-27) Quatrocentos anos depois, nesta mesma cidade, o povo católico aclamava Maria Mãe de Deus. De nosso grande e único Deus feito homem em Maria, Cristo Jesus. Deus em sua infinita Sabedoria providenciou a figura da mulher, eterna inimiga da Serpente (Gn. 3,15) para por meio dela destruir todas as deusas pagãs. E se no culto externo se fazem rituais semelhantes aos que eram  feitos para deusas pagãs e suas imagens para Maria, ninguém mais se lembra destas deusas. É a pessoa da humilde esposa do carpinteiro que é venerada, louvada, enaltecida, como ela mesma profetizou: “Todas as gerações me proclamarão Bem-aventurada.”(Lc 1,45) E a profecia cumpriu-se. Em todas as épocas, em todo território Católico, Maria é proclamada Bem-aventurada porque Acreditou e porque nela Deus realizou grandes coisas.
         Por isto, o demônio tem tanto interesse em destruir  toda forma de referência a Maria. Ele suscitou as seitas que tem para com a Mãe do Senhor verdadeira rejeição e despeito justificados por um falso zelo ao Culto de adoração a Deus e a Cristo. Como se a Mãe de Jesus fosse a maior inimiga de Jesus; alguns chegam ao cumulo de anunciar que o demônio usa Maria para afastar as pessoas de Jesus. Como se o Filho permitisse que sua mãe fosse instrumento do demônio para retirar almas que ele salvou, por meio dela. O Demônio sabe qeu sem o culto  o Maria as deusas retornarão. Suas imagens voltarão. Como temos visto na Nova Era e em outros movimentos orientais e africanos. Porque o feminino faz parte da natureza humana. E o feminino exaltado por Deus resplandece unicamente na face de Maria. Nas deusas temos o feminino contra Deus, retomando o lugar de Deus. E é isto que  demônio quer ao suscitar inimigos da Mãe de Jesus. Fazer o povo retornar a cultuar as falsas deusas pagãs.

         Que no dia da eterna padroeira do Brasil, Maria, Maria no mistério de sua imaculada conceição, o povo brasileiro liberte-se de toda superstição e culto às deusas pagãs que ainda persistem em nossa pátria e proclame seu amor unicamente à Serva De Deus, à Virgem Imaculada de Nazaré, mãe de Nosso único Salvador Jesus.