sábado, 25 de outubro de 2014

O Governante Cristão

         É impossível um governante cristão em um Estado Laico. Porque se este é cristão ele deve governar como cristão e não como um pagão. Não tem o direito de reduzir a sua vida pessoal como cristão a um caráter privado. Não pode ser cristão apenas como cidadão entre as quatro paredes da Igreja, mas o deve ser como governante.

            Todo governante que se diz católico e age como se não o fosse enquanto governa é um verdadeiro apóstata de sua fé. Não pode ser considerado como verdadeiro católico. Por isto, um  Estado laico, no sentido de não reconhecer Jesus como Rei e Senhor e de não reconhecer a Igreja de Cristo, entendendo todas as religiões como verdadeira e iguais é impossível se a nação se diz toda cristão e católica.. Faz com que cristãos que governam renunciem à sua fé em Cristo para poderem governar. Para o bem de suas almas seriam melhor que renunciassem a todo governo mundano.

            O papel de um  Estado cristão em relação as outras religiões é não obrigar os seus seguirdes a se fazer cristão pela força. É tolerar que estas existam e facilitar por todos os meios lícitos, para estes conhecem Cristo, O  único  Caminho, a única Verdade e a  verdadeira Vida. Acima de tudo pelo testemunho do amor reciproco e pelo anuncio da Palavra.

            O Estado Laico recusa a realeza social de Cristo e age como os servos da parábola que Jesus contou. "Não queremos que este homem reine sobre nós." (Lc 19,14) Assim com fizeram os judeus recusam aquele que poderia trazer-lhes a paz. (Lc 19,42) E colocam outro fundamento no lugar de Cristo Rei dos reis e Senhor dos senhores. Se um governante conseguisse retirar todo um povo da miséria, mas aprovasse uma só lei contra a Lei de Deus seria um governante maldito e traria a desgraça para o seu povo, pois com disse Jesus a vida do homem não está nos bens que possui e não ajuntais para vós tesouros neste mundo, mas no céu onde ninguém poderá tira-los. Pensemos sobre isto nestas eleições.

Francisco Silva de Castro

Nenhum comentário:

Postar um comentário