domingo, 14 de dezembro de 2014

DEUS É UM SÓ



         Sempre esta frase é citada em um debate religioso para evitar atritos. É como se quisessem dizer. Há um só Deus não importando como o entendemos e o adoramos. Isto pode ser verdade para as religiões cósmicas e animistas que não dão nenhuma importância para um Deus pessoal e que se revelou aos homens. Mas para os cristãos desde o tempo dos apóstolos. Deus é um só, mas é o Pai, que enviou seu Filho ao mundo numa carne semelhante à nossa e que se revelou por meio dele como Ele é e como quer ser adorado.

"Deus falou-nos pelo Filho do Seu amor, a quem constituiu herdeiro de todas as coisas e por quem fez também o mundo". “Aos nossos pais, aos antigos, Ele falou pelos profetas, por sonhos, por anjos revelados, mas a nós falou-nos pelo Filho amado.”  (Hb 1, 2)

         E Jesus nos revelou a natureza intima de Deus: Ele é uma comunhão eterna de Amor. É pai, fonte, origem, É Verbo, comunicação, revelação Sabedoria e É Espirito Santo, Amor, Ação, Vida. E acima de tudo é Pessoa no sentido de que tem consciência de si mesmo do mundo que criou e do homem a quem quis salvar. É por isto que o verdadeiro cristianismo será um problema para se estabelecer a Fraternidade entre todas as religiões do mundo. Porque este não é apenas a religião do amor entre as pessoas, mas a Religião do Deus amor que falou ao mundo pelo Filho de modo que quem rejeita o Filho de Deus rejeita o próprio Deus.

         O próprio Jesus afirmou: “Não julgueis que vim trazer a paz à terra. Vim trazer não a paz, mas a espada. Eu vim trazer a divisão entre o filho e o pai, entre a filha e a mãe, entre a nora e a sogra, e os inimigos do homem serão as pessoas de sua própria casa.” Mateus 10:34-36 “ Não porque esta seja a Religião da divisão, do conflito em si mesmo, mas porque é preciso se decidir por Jesus como revelação de Deus. É preciso reconhecer Jesus com Encarnação humana de Deus na História. Só é verdadeiro Cristão o que aceita Jesus como filho único de Deus e que nos falou definidamente por meio dele. E não apenas o que ama o próximo. Isto os pagãos sempre fizeram e fazem. Jesus mesmo confirmou que os homens fazem o bem aos que lhes fazem o bem e por certo muitos outros ajudavam os que precisavam antes de Cristo. É certo que Cristo mandou amar os inimigos. Mas ate no Antigo testamento já encontramos o preceito de não deixar o animal do inimigo solto e de dar de comer e beber ao inimigo para ajuntar-lhes brasa em sua cabeça. O que mudou com Jesus é que este amor agora tem por modelo o próprio Deus. Não quis ele nos salvar enquanto nós éramos seus inimigos? Não veio Jesus dar a sua vida pelos seus inimigos,(Ef 2,4) por uma “mercadoria” que não valia nada materialmente falando? Sim, o amor só tem validade quando vem de Deus e está motivado pelo amor  a Deus. Por isto o cristianismo nunca será humanismo. Mas Teocentrismo sempre. Deus sempre será centro e nunca o homem.

         O Ser supremo é um só Certo. Mas ele revelou-se a nós por meio do Filho e por Este filho temos todo o acesso a Ele. Deus é O Pai Filho e O Espirito Santo (Mt 28,19) e como Trindade santa que Devemos adora-lo e é desta forma que Ele deve ser anunciado a todas a nações a da Terra.

Francisco Silva de Castro

14 de dezembro de 2014


Nenhum comentário:

Postar um comentário