domingo, 7 de dezembro de 2014

Imaculada Conceição: Afinal, o que significa este titulo de Maria?






            Este titulo, ou invocação atribuído à Virgem Maria, mãe do Senhor Jesus é o menos compreendido, embora seja no Brasil o mais cultuado e o que tem mais capelas e imagens que o representem. A própria imagem da padroeira do Brasil é uma pequena estátua de Nossa Senhora da Conceição, depois chamada de A "aparecida." O recente livro Aparecida publicado pela Editora globo, da autoria de Rodrigo Alvarez, confunde Imaculada Conceição com concepção virginal, ou seja, afirma em duas partes do livro, respectivamente nas paginas 81 e 181/2 que Imaculada Conceição significa que Maria foi gerada sem que os pais dela tivessem relações sexuais. Nada mais incorreto.  O Autor que foi tão minucioso em pesquisar  fatos deveria ter consultado um Teólogo ou padre antes de formular um conceito deste que nunca foi ensinado pela Igreja. Só Jesus foi concebido sem que fosse fruto de relações entre os pais dele.
            Este título de Maria vai além de um fato história da vida dela. Penetra no mistério da predestinação de Deus. Assim como Deus nos predestinou antes de haver mundo a sermos santos e imaculados por Cristo, também determinou que a Mulher da qual Jesus seria a semente fosse Santa e Imaculada deste o primeiríssimo instante de sua Conceição no ventre da mãe dela.  Isto pelo destino que Deus daria a esta mulher. Gerar segundo a Carne o Verbo eterno de Deus. Torna-lo verdadeiro homem em tudo igual a cada um de nós. O Filho de Deus entrou no mundo sem pecado por merecimento próprio. Porque unido deste o primeiro instante a segunda Pessoa da Santíssima Trindade. Maria, como criatura apenas humana necessitava de um salvador porque era de raça de Adão tanto como nós. De forma que Deus a criou Imaculada não por merecimento dela mesma, mas por causa de Jesus, que dela haveria nascer. Eis o sentido do titulo e da Festa da Imaculada Conceição de Maria.
            Meditando sobre o mistério da Imaculada Conceição devemos tomar consciência da gravidade do pecado original e pessoal. É o pecado o que de pior pode acontecer na vida de uma criatura humana. Porque nos separa de Deus e nos faz merecedores do inferno eterno. Foi por causa do pecado que o Filho de Deus humilhou-se se fez homem e tomou a condição de escravo. E sendo tão puro jamais poderia ter uma relação moral e tão próxima como a relação filho e mãe com uma pecadora.  Se o próprio João Batista reconheceu que não era digno de se abaixar e desatar as sandálias do Cristo, o que dizer da mulher que não só pegou, mas que o amamentou e o carregou nove meses em seu ventre?  Sim. É certo que Jesus disse a uma mulher que elogiou sua mãe pela maternidade biológica, que os verdadeiros bem aventurados são os que ouvem e praticam a palavra de Deus. Mas aquela mulher não sabia nada do mistério da Encarnação. Não sabia que ele era o Filho único de Deus. Fez elogios à mãe de um profeta e por causa da fama dele. Jesus dispensa um elogio baseado apenas em critérios humanos. Certamente ele aceitou e aceitaria o elogio de Isabel a sua mãe. "Bendita é aquela que acreditou" Sim! Maria é a Cheia de Graça. A Bendita porque acreditou e por sua fé trouxe a Salvação para si mesma e para toda a humanidade ao nos dar o Cristo, o Verbo feito carne. Glorifiquemos e louvemos a Deus pela Imaculada Conceição de Maria e peçamos a Deus que assim com fez a mãe de seu filho, entrar neste mundo sem pecado nos faça sair dele, em sua Graça.
Professor Francisco Castro. 08/12/014.





           

Nenhum comentário:

Postar um comentário