terça-feira, 1 de dezembro de 2015

FUNDAMENTALISMO E A VERDADE



     
Os valores importantes para a modernidade são a fraternidade, a tolerância à diversidade, o pluralismo cultural. Não se deve  crer em nenhuma verdade absoluta e que por si exclua os enunciados que a contradizem e que provoquem divisões, conflitos.  Mas para o cristianismo a verdade não é um mero valor humano como Fraternidade, tolerância e pacifismo a qualquer custo; em prol do qual se deve evitar todo enunciado de valor absoluto. Diante deste tipo de verdade não há conflitos porque todos almejam paz, concórdia e até união de doutrinas contraditórias. Mas para o cristão a verdade é uma pessoa. É muito mais do que sua doutrina. É ela mesma enquanto alguém que nos obriga a tomar uma posição frente a si mesma. Esta verdade é Jesus Cristo. Por isto Jesus disse que a sua própria pessoa iria trazer divisão ate entre os familiares. Entre pais e filhos, porque ou se aceita que Jesus é o filho de Deus, redentor e rei ou não se aceita; não há nesta questão meio termo. E até pelos pais, e irmãos, e parentes, e amigos sereis entregues; e matarão alguns de vós. E de todos sereis odiados por causa do meu nome. Lucas 21,16,17  E se aceitarmos Jesus como filho de Deus excluir as definições contrarias a esta. Não se trata de decidir que esta é a minha verdade sobre Jesus, mas de assumir que foi isto que ele disse de si mesmo é que ele não pode enganar  ou ter se enganado.

Por admitir que Jesus seja a Verdade única e absoluta aquele que crer não pode associar Jesus a Buda, Maomé, ou outro dito Deus neste mundo. Não reunir-se para cultuar Deus com estas pessoas e  nem lutar por uma religião fraterna universal no qual a união, paz, esteja acima da pessoa de Cristo e de sua Igreja. E isto é o verdadeiro fundamentalismo que não significa ódio ao quem não aceita Jesus, mas ao contrário, verdadeiro deseja que este creia e se faça seguidor de Cristo como o disse São Paulo ao rei Agripa: “E disse Paulo: Quisera  a Deus que, ou por pouco ou por muito, não somente tu, mas também todos quantos hoje me estão ouvindo, se tornassem tais qual eu sou, exceto estas cadeias. Consiste o fundamentalismo sadio crer que o fundamento da verdadeira paz é Jesus Cristo porque só ele pode dá-la como mesmo disse. E nada ele consegue antepor ao amor de Cristo o disse São Bento em sua regra. De modo que assim como uma casa não permanece se seu fundamento não estiver sobre a rocha também o Cristianismo poderia sobrevier se não estiver fundamentado em Cristo o uni Caminho, única VERDADE(João 8,32; João 14,6; João 18,37) e a única vida.

Nenhum comentário:

Postar um comentário