segunda-feira, 7 de dezembro de 2015

Reflexão sobre a Imaculada Conceição 02



Salvos da situação de Pecado pela graça e não por méritos pessoais. Pois não foi em atenção as obras precedentes que houvéssemos praticado que Deus enviou o seu Filho ao mundo para salvá-lo. Mas unicamente por amor gratuito. Como bem afirma São Paulo o amor de Deus excede toda compreensão porque Cristo morreu por nós quando éramos pecadores e estávamos sem a sua graça, destituídos da gloria de Deus.

Em Maria concebida em Graça, sem mérito algum, resplandece e se confirma a justificação pela graça como definiu a Igreja no concilio de Trento. Nossa passagem do estado de pecado para o de santidade não tem nada de nosso porque como condenados e culpados nada podíamos fazer nada por nós mesmos. Neste aspecto  no que diz respeito à nossa salvação realmente as obras não tiveram papel algum. E quem mais do que todos foi agraciada por Deus do que a Virgem Maria? O que fez ela antes para ser predestinada a tonar-se a mãe do Salvador? Não fez absolutamente nada. Foi eleita por Deus desde de sempre sem que houvesse  merecido esta eleição e adornada dos maiores esplendores da sua graça tendo em vista a encarnação do verbo eterno em seu seio. Recebeu de Deus a perfeição  por um ato soberano de amor, por isto pôde proclamar perante Isabel que Deus havia atentado par o nada que ela era por si mesma; no entanto elevada por Deus aos esplendores de uma santidade ímpar. Ver as perfeições de Deus em sua criatura não diminui a gloria que devemos dar ao criador, antes nos obriga a elevar nossa ação de graças a Deus que quis para mãe de seu filho único sobre a terra uma mãe que fosse mil vezes melhor do que as nossas, obra prima da sua graça e de seu amor. E é porque não vemos a Jesus como um homem que se faz filho de Deus ou se tornou grande, mas como o filho de Deus desde sempre, que entendemos que ele merecia ter como mãe a criatura mais perfeita dentre todas, na ordem da graça e mais santa do que todas as mulheres que já pisaram sobre esta terra. Quem ver Maria como uma crente igual as outras crentes não consegue entender a dignidade e a grandeza de Jesus e nem o poder de sua graça que preservou e santificou Maria no primeiríssimo instante de sua Conceição no ventre materno.

Ó Deus que predestinastes que mãe de vosso unigênito entrasse neste mundo sem culpa, dai-nos sair dele em vossa graça. Amem.

Nenhum comentário:

Postar um comentário