sábado, 6 de agosto de 2016

Imagens e Superstição


As imagens dos santos devem ser utilizadas apenas para honrar a memória de quem as representa. Para informar sobre a vida dos santos. Infelizmente na religiosidade popular muitas vezes são vistas como objetos que possuem um poder próprio ou que confere poder aqueles que as possuem.  Possuir em casa uma imagem de São Miguel para alguns é como que ter o poder de se ver livre do maus espíritos; ter a imagem de santa Luzia é se ver livre de d e doença no olhos.  Virar o Santo Antonio de cabeça para baixo é conseguir ser atendido em algum pedido. Roubar o São José fará com que chova e muitas outras ações que indicam  uma crença supersticiosa. Oferecer velas e fitas como pagamento à imagem por alguma graça alcançada é como que oferecer uma espécie de sacrifício. Era assim que os pagãos faziam com os ídolos representados em estátuas. Faziam bolos e ofertavam a rainha dos céus.(Jer. 44,17-19)
 A Igreja considera legítimo o culto as imagens porque este se dirige à pessoa que esta representa e não a imagem enquanto objeto.  Quando rezamos diante de uma imagem elevamos nosso pensamento aquele que esta representa. Assim é que deve ser feito ao rezar perante o crucifixo. Ao pedir a intercessão de Maria perante sua imagem rogamos à própria virgem Maria,  pois acreditamos que ela está com Deus e que por vontade dede deus poderá conhecer nossos pedidos. Não falamos com uma imagem de barro ou outro material.
O concilio de Trento foi claro em determinar que não se deve crer que nenhuma imagem possua um poder próprio. Pode ser usadas e honradas unicamente porque indicam a memória de pessoas que amaram e serviram o único e verdadeiro Deus e porque creram em Jesus como Filho de Deus. A Igreja aceita que sejam expostas em altares nos templos e nas residências . Que  no dia em que se celebra a festa do santo sua imagem seja destacada e enfeitada e que sejam conduzidas em procissão. Mas esta é uma honra inferior à idolatria porque a mesma não consiste em oferecer sacrifícios de coisas vivas para os ídolos e suas estátuas, como faziam os pagãos e fazem no Candomblé, que oferecem comidas e animais aos orixás.  As sagradas imagens devem elevar nosso pensamento ao santo que esta representa estimular-nos  a conhecer suas vidas e a imitar suas virtudes e recusar toda foram de superstição e crendice em relação as mesmas.

Um comentário:

  1. Há muito tempo eu achava que era inaceitável a lembrança de mártires do passado em imagens de escultura!
    Por mais que sejam pessoas honradas e vivificadas,a Bíblia diz claramente para que não se faça imagens.Sob essa ótica eu fico duvidoso se pode ou não crer assim!
    Mas hoje em dia estou mais maleável quanto a isso,hoje um evangélico que não frequenta mais igrejas,mas que pensa em Deus e o cultue de maneira saudável...

    ResponderExcluir