segunda-feira, 31 de outubro de 2016

O oposto do liberalismo




"Não queremos que este homem reine sobre nós"  (Lc 19,14)



Sem dúvida o oposto do liberalismo, principalmente em sua vertente filosófica e política é o catolicismo puro. Mas o catolicismo até Pio XII e antes do Vaticano II. Porque a partir deste concilio o Catolicismo aderiu de certa forma a postura liberais. Determinou quase que a Liberdade religiosa é um valor absoluto e não deu o mínimo apoio a Estados que tivessem a Fé Católica como Religião oficial. Caso mais emblemático ocorrido na Colômbia e na Espanha que mudaram suas constituições para permitir um estado laico. De modo que se opor ao liberalismo apenas pelo fato de ser católico coloca este contra a corrente atual da Igreja e o faz ser tachado de reacionário e medieval. Ate porque muitos liberais se afirmam como catárticos convictos.
            A verdadeira oposição ao liberalismo em nossa época é a doutrina  da Realeza social de Cristo tal e qual com ensinada pelos papas antes do Concílio Vaticano II. Os católicos de forma geral não negam que Jesus seja rei. Mas apenas rei dos corações e das pessoas individualmente e não sobre a sociedade. De modo que um Chefe de Estado pode ir a missa de manhã e assinar uma lei liberando o aborto de tarde. Ou comparecer ao um casamento gay à noite. E participar de uma cerimonia de Candomblé e ainda assim se dizer católico.  No entanto quem reconhece Cristo como Senhor absoluto do mundo e Rei sobre a sociedade rejeita tudo o que vá de encontro ao que este mesmo Jesus ensinou. Reconhece que Jesus recebeu todo o poder do Pai também sobre a Terra e não apenas sobre o céu. Que ele foi destinado a governar as nações e não só os indivíduos e que os governantes devem governar submissos a sua lei. Esta é doutrina de Cristo Rei tal como a Igreja sempre a entendeu. E ela não é mais aceita hoje nem pelos bispos e até pelos papas posteriores ao Concilio. Que Jesus seja Rei depois do fim do mundo e no céu, sem problema. A terra pertence aos homens que a governam como desejam. Mas não é esta doutrina católica sobre a Realeza de Cristo. Na verdade hoje, se admite apenas a realeza escatológica (depois de sua volta) de Cristo; mas se recusa sua realeza social. Ser um antiliberal é defender com palavras e ações esta realeza social de Cristo, porque como afirmou Santa Joana d´Arc, os reinos do mundo não pertencem aos reis, mas ao Rei do Céu e ele é quem os governa, quer para o bem dos que o amam e o aceitam, quer para o mal dos que o rejeitam, permitido que venham maus governantes para puni-los.
Reconhecer Cristo como soberano dos reinos do mundo é recusar uma liberdade absoluta. E aceitar como único caminho para Deus, como único Senhor e legislador Jesus cristo; é admitir que só ele deve ser servido em primeiro ligar e acima de tudo. É favorecer a difusão e proteger a sua Igreja que é Católica e Apostólica e empenhar-se para ama-lo sobre tudo e todos. Este católico é o verdadeiro antiliberal em todas as formas.
Francisco Silva de Castro
31/10/016


Nenhum comentário:

Postar um comentário