sexta-feira, 17 de setembro de 2010

JESUS E A CRUZ

“foi necessário o Sacrifício da Cruz para satisfazer a Majestade Infinita de Deus ofendida pelos nossos pecados.” É justamente esta questão de um Deus irado que exige a satisfação de um inocente pelos pecados dos outros que a nossa época não entende e não aceita.E vê isto como o extremo dos absurdos. Claro que por nós mesmos estávamos impedidos de entrarmos em comunhão com Deus. O Pecado foi uma RUPTURA com Deus Pai, Filho e Espírito Santo. Com toda a Trindade. Então o significado da cruz é um grande ato de amor de Deus que aceita assumir a condição humana, para salvar do pecado, pela obediência à Trindade. Para que houvesse um homem puro e inocente, necessariamente se fez a união da Natureza Divina a um homem verdadeiro no mesmo instante da concepção no ventre materno, resultando daí o único mediador entre Deus e os homens, o homem Jesus, como o afirma o apóstolo Paulo. Enfocar este aspecto de misericórdia infinita de Deus, mostra que o mesmo não fez pelo próprio Filho(salva-lo da morte,embora este o merecesse) o que não poderia fazer por todos os outros, que no pecado, mas inocentes de alguns atos também foram injustiçados. A resposta de Deus à cruz foi a Ressurreição, triunfo sobre a morte e o pecado. Mas para se chegar a Ressurreição Este Assumiu a Cruz. Eis um ato misterioso de Amor e não de satisfação a Deus irado pelos pecados de suas criaturas inferiores e limitadas.Uma frase bela e que resume todo o mistério da nossa Redenção ouvi no filme o Leão, A feiticeira e o Guardaroupa quando o Leão Diz: “Quando um inocente aceita morrer por um culpado, a pedra do sacrifício se quebra e a própria morte é vencida.” Fato este desconhecido pela feiticeira e também pelo próprio Demônio, pois foi este e não Deus que quis e induziu o povo a matar Jesus, crendo que o venceria com a morte forçando- o a usar seus poderes divinos para livrar-se dela. Jesus manteve-se fiel a Deus mesmo perante a morte que o inimigo lhe forjou. Cristo abraçou a cruz que para o demônio era sinal de derrota e onde este esperava vencer Cristo triunfou. Quem não amaria um Deus que amou tanto assim?

Nenhum comentário:

Postar um comentário