sábado, 1 de janeiro de 2011

2011 ANNO DOMINI 'ELE SERÁ A PAZ!" Miq. 5,5


Dois e mil e onze anos do nascimento de Nosso Senhor e Salvador Jesus Cristo. Nosso calendário que marca a contagem dos anos a partir do nascimento do homem mais influente e importante da história da humanidade é universalmente conhecido. Mesmo que alguns povos usem um calendário próprio, ontem no Japão, na China nações de minoria cristã, festejou-se os 2011 anos da vinda do Cristo jesus a Terra. No primeiro dia do ano do Senhor de 2011 festejamos também o dia da Confraternização Universal ou dia da paz no calendário civil e no litúrgico o mistério tão profundo de uma Virgem Mãe de Deus. O mundo pede a paz, promove a paz. Mas promove a paz dele. Uma paz conveniente ao mundo. Não se lembra ou se ignora ou não se dá mais importância o fato de contarmos o tempo a partir de nossa fé cristã. Esta fé que dominou povos e nações bárbaras. Nesta fé em que reis orgulhosos tiveram que dobrar os joelhos perante um carpinteiro crucificado. Fé em que os mártires preferiram perder a vida para não ser infiéis ao Senhor da vida, o Cristo. Em que ricos abandonaram suas riquezas e nobres renunciaram tronos. Jovens arriscaram a vida para livrar os lugares santos por onde o Cristo passou e sofreu a paixão e morte por nossa salvação. Nesta fé filhos foram rejeitados e denunciados pelos próprios pais e pais rejeitados por seus filhos. Esta fé que como bem afirmou o Senhor, em que estes criam disse:"Julgais que vim trazer a paz ao mundo? Não vim trazer a paz, mas espada, porque de hoje em diante estarão dividos por causa do meu nome, pais contra filho e filha contra mãe." O mundo quer a paz Romana que havia no Império Romano antes de Cristo. A paz da mistura entre a mentira e a verdade, entre a luz e as trevas. Cristo é aceito contanto que ao seu lado se aceite os deuses pagãos e os deuses do fazer. O poder, o sexo, o dinheiro. Cristo e Belial juntos como se estivessem em um altar um ao lado do outro. Cristo e entidades afro brasileiras. Cristo e Buda, Cristo e Shiva, Cristo e os deuses hindus. Este ecumenismo almejado pelo mundo trará a paz. Será verdadeira esta paz que por medo de divisões e perseguições por causa de Cristo encobre a verdade? Paz que faz igualar Cristo aos deuses criados pelos homens? Será esta a paz que Cristo disse que nos daria? Não é. Como ele mesmo disse esta é a paz que o mundo quer dar. A paz de uma falsa concórdia. De um mentiroso acordo em nome de um convivência sem problemas. Em nome de uma situação de tranqüilidade. Não foi esta a paz que os mártires almejaram. Não por esta paz que eles deram as próprias vidas. Cristo mesmo é a paz. E ele é o príncipe da paz não porque quis trazer a paz ao mundo a qualquer preço e porque veio eliminou todas as divisões. Quando ele mesmo disse "ninguém vem ao Pai a não ser por meio de mim."Jo 14,6 com esta afirmativa já criou uma divisão irreconciliável. Já estabeleceu uma separação entre os que crêem e os que não querem crer. Ele mesmo é a paz. Como escreveu o profeta Míqueas 5,5. A paz verdadeira está nele pois é ele o fundamento da verdade. Verdade unica, que nunca admite a convivência entre luz e trevas. Entre e o bem e o mal. Se é certo que todos os que sem culpa, são salvos mediante Cristo, é certo também que todos que se recusam a viver como Cristo e o renegam como Filho unico de Deus, Deus feito homem, se colocam em uma situação de extremo perigo quanto à sua salvação, pois disse o mesmo Cristo: "Quem me rejeita, rejeita também o meu Pai." ou seja, não se pode crer em Deus sem crer no Filho a quem ele enviou. Ele será a paz. Porque só nele o amor teve a sua maior expressão em relação as criaturas que ele mesmo fez. Só ele revelou a dignidade para a qual os seres humanos foram criados. A dignidade de Filhos de Deus. Ele revelou em si mesmo a verdade sobre Deus, Sobre o mundo e sobre o mal e só ele nos trouxe a vida eterna e a ressurreição. Ele não é um arauto de uma paz de diplomatas. Jamais aceitará um tratado de amizade e cooperação com o príncipe deste mundo porque ele mesmo disse."Eis que está chegando o príncipe deste mundo e ele não tem nada em comum comigo." Jo 14,30. Ele jamais aceitaria que o honrassem ao lado de outros senhores ou deuses que reivindicam a mesma divindade. Que se intitulam deuses do ar, da terra ou do céu. Não presta verdadeira adoração a Ele quem crer e cultua a Rainha do Mar, a Sereia Iemanjá, a deusa das tempestades Iansã e outras entidades que nada tem a ver com ele. Que não podem crer nele e o amar e que não tem existência real.Ele é o Senhor dos apóstolos e evangelistas, dos mártires, confessores das virgens e viuvas. Ele é o Senhor dos anjos, dos profetas, dos patriarcas e juízes. Ele é o Senhor que se faz servo nascido de Maria, a Virgem mãe de Deus, que o estreitou nos braços como mãe e o adorou com o seu Deus.

Nenhum comentário:

Postar um comentário