domingo, 30 de outubro de 2011

NOSSO SENHOR E NOSSA IGREJA

"A mim parece que é tudo uma coisa só. Nosso Senhor e a nossa Igreja e o que os separa é ruim."
Santa Joana em sua resposta sobre a submissão à Igreja no processo de condenação.

A Igreja inclui, como Corpo mistico de Cristo, todos os que estão unidos a Cristo pelo batismo e os que sem culpa e com reta intenção, em estado de ignorância invencível, servem a Deus rejeitando o mal e praticando o bem conforme sua capacidade de compreensão e  sua cultura. A Igreja INCLUI, mas não se reduz aos papas, padres, religiosos e religiosas e aos batizados, porque também todos, os que sem conhecerem ao Cristo, mas viverem de acordo com a sua consciência, acima de tudo procurando fazer o bem ao outro, estão incorporados ao Cristo e fazem parte da Igreja. Por isto a expressão "Fora da Igreja não há salvação" é verdadeira e nunca pode ser revogada. Assim como todos são salvos por Cristo, também o são por pertencerem à Igreja, porque Cristo reuniu a si me sua Igreja o todos os que o obedecem alem daqueles que nele crerem. É bem diferente desta frase: "Só os católicos se salvarão, porque nem todos os católicos embora pertença, ao corpo visível da Igreja, sem não estiverem na Graça de Deus, são como os galhos mortos da figueira  e por  não produzirem frutos serão arrancados e jogados ao fogo.
Santa Joana d´Arc foi acusada de insubmissão à Igreja militante, quando disse que que no se referias a sua ação militar dó devia submeter-se a Deus que a tinha enviado. A Igreja lá de cima, chamada de Igreja Triunfante. E desta forma protegeu a Igreja Grupo social e seu governo de tomar partido entre dois reinos cristãos.  Pois se os juízes declarassem suas vozes autenticas desagradaria aos ingleses ou se declarassem estas como enviadas pelo demônio iria desagradar os católicos franceses. Só Santa joana d´Arc entendia que não podia apelar para a Igreja dos ingleses e franceses nesta questão. A unica coisa que Igreja deveria fazer, foi o que fez o clero francês. Afirmar que ela era uma boa católica e que nada ensinava contra a fé. Sua missão era secular e não seria conveniente submete-la a autoridade religiosa para não causar divisão entre dois reinos cristãos. Alem disso, a Igreja militante está submetida à Igreja Triunfante, porque o que esta ordena, quer por meio dos anjos ou dos santos, é ordenado pelo Senhor da Igreja, Cristo Jesus e a Igreja na terra.  quer como grupo ou como fieis individuais, deve obedece-lo.
Porem, mesmo que se salvam sem conhecimento de Cristo, ou sem o batismo sacramental,  não justifica deixar de anunciar aos pagãos e aos hereges a verdade da fé: Que Cristo é nosso único mediador e Salvador e que institui uma só Igreja. De certa forma Deus dispõe para conduzir a Cristo os pagãos que vivem  com reta intenção na procura da verdade, para que a encontrem. Foi assim que Deus fez em Atos 10,34-49,com o pagão Cornélio, enviando a este o apostolo São Pedro para traze-lo ao rebanho de Cristo pela fé e o batismo. Comete um grande erro os missionários que não anunciam Cristo aos pagãos e aos grupos indígenas, deixando nas trevas do paganismo e numa cultura contraria aos mandamentos  do Evangelho. Cristo ordenou que fizessem discípulos dele  todos os povos. Se porventura muitos não ouviram falar dele e viveram  rejeitando o mal e fazendo o bem só alcançaram a salvação em vista da Redenção de Cristo, o único que fez o bem , sem ter pecado ou o debito do pecado, e desta forma tornar nossa boas obras agradáveis a Deus. Mas se estes, que ainda vivem no paganismo não conhecerem a Cristo pela acomodação dos cristãos,que em por um falso respeito as suas culturas não os procurou converter a Cristo, eles serão punidos por não haverem anunciado a  todos os povos de todas as religiões seja  em Assis ou em qualquer outra cidade da Terra, que há um só mediador entre Deus e os homens e um só é o verdadeiro Deus e um Só é o único Senhor, Jesus Cristo, o filho de Deus , que com a sua Igreja formam uma coisa só, como afirmou inspirada, a Virgem Santa Joana d´Arc.

Nenhum comentário:

Postar um comentário