sexta-feira, 28 de outubro de 2011

ORAÇÃO A DEUS E INTERCESÃO DOS SANTOS

Hoje, (28 de outubro)  celebramos a memória dos santos apóstolos Simão e Judas Tadeu, este ultimo muito famosa na devoção popular. Apresento duas orações ao santo. A primeira é da devoção ou religiosidade popular e a segunda é a oficial, ou seja a da liturgia do dia e é recitada na missa.
S. Judas Tadeu, glorioso Apóstolo,  fiel servo e amigo de Jesus, o nome do traidor é causa de serdes esquecido por muitos,  mas a Santa Igreja honra-vos e invoca-vos universalmente  como padroeiro de casos desesperados e sem remédio.  Intercedei por mim, que sou tão miserável; ponde em prática, eu vo-lo rogo, o privilégio particular que vos é concedido, a fim de trazer ajuda pronta e visível onde isso é quase impossível. Vinde valer-me nesta grande aflição para que eu possa receber as consolações e socorros do Céu em todas as minhas necessidades e sofrimentos  (aqui dizer a graça que se deseja obter), e que eu possa bendizer a Deus convosco e com todos os eleitos por toda a eternidade.Eu vos prometo, bem-aventurado S. Judas Tadeu, ter sempre presente esta grande graça e não cessar de honrar-vos, como meu especial e poderoso padroeiro e farei quanto possa para espalhar  a devoção para convosco. Assim seja. S. Judas Tadeu, rogai por nós  e por todos os que vos honram e vos invocam.

 ORAÇÃO LITÚRGICA
Ó Deus, que, pela pregação dos Apóstolos, nos fizestes chegar ao conhecimento do vosso Evangelho, concedei, pelas preces de São Simão e São Judas, que a vossa Igreja não cesse de crescer, acolhendo com amor novos fiéis. Por nosso Senhor Jesus Cristo, vosso Filho, na unidade do Espírito Santo.

O ideal seria que o oficial se tornasse popular. Não rezamos aos santos. Apeans pediomos a eles que orem por nós. A segunda oração demonstra bem isto.
A oração é dirigida sempre a DEUS PAI;

Nela se faz a menção dos santos, pedido suas orações por nós;
A oração é concluída sempre em nome de Jesus, o MEDIADOR DE TODAS AS GRAÇAS que recebemos de Deus Pai.

O mais perfeito deveria ser o mais divulgado e o mais popular. Não é que a primeira oração esteja errada. O problema é que esta focaliza o santo como se ele fosse quem nos atendesse por seu próprio poder e Deus fica em segundo plano. A Igreja em sua liturgia soube conciliar a oração que  dirige apenas a Deus e distinguir a intercessão do santo. Este ora conosco e por nós e nós não rezamos diretamente a Ele. Se isto se tornasse popular e praticado entre nós, os católicos, haveria bem menos incompreensão da parte dos protestantes que de certa forma, devido a maneira como as pessoas se dirigem aos santos, entendem que estes tomam o lugar de Deus.

Nenhum comentário:

Postar um comentário