quinta-feira, 6 de outubro de 2011

TRINDADE: O MISTERIO DO SER DE DEUS

Como podem os cristãos afirmarem que só crêem um Deus se para estes em Deus há o Pai, o Filho e o Espírito Santo? Tres pessoas plenamente distintas? Sabemos que há uma só natureza humana. Ou seja, não importando o nome ou sexo, os seres humanos possuem uma natureza em comum. Mas são milhares e milhares de pessoas. Poderia haver apenas uma natureza divina e milhares de deuses? Claro que não. Crer nisto seria voltar ao politeísmo grego e romano. Em que havia vários deuses e estes possuíam a mesma natureza divina. Eles eram imortais e poderosos. Mas o mistério do Deus revelado em Cristo e por Cristo Jesus não é uma variedade de deuses e uma natureza unica. É um só Deus. Unico. Completo. Não composto. Indivísivel, pois onde estiver o Pai, também estará aí o Filho e o Espírito Santo.
O Filho é Deus porque gerado do Pai. Sem o Pai não haveria o Filho. Ele depende do Pai para o ser de sua existência. Mas o Filho ou a Palavra, o Logos, não foi criado. Ele é o único gerado de Deus. Ele não veio a existência do nada, como as criaturas. ?Ele recebe o ser da fonte, Deus. Podemos afirmar que o Filho depende do Pai, pois sem um Pai ele não seria Filho. Mas também com toda razão o Pai depene do Filho. Pois sem o Filho não poderia ser o Pai. E de ambos depende o Espírito Santo, pois sem amor não haveria a geração do Filho pelo Pai e nem a existência do Espírito Santo pelo amor entre o  Pai e o Filho.Mas nenhuma pessoa está subordinada pela natureza a outra. Ambas são iguais no Poder e no Saber. Tudo o que é uma pessoa a outra o é também. Disse o próprio Jesus enquanto homem. "Tudo o que é meu é teu e tudo o que teu é meu." Jo 17,10 No Amor as duas pessoas se formam na eternidade e por Amor se doam.  O Eterno ser de Deus é como Pai, Filho e Espírito Santo. De modo que se fosse possível faltar ao Pai o Filho não haveria Deus. Se faltasse o Filho ao Pai, também não haveria Deus e se faltasse o Espírito Santo ao Pai e ao Filho, também Deus deixaria de existir. Pois é da natureza de Deus ser Pai, Filho, Espírito Santo. Por isso ao final de cada missa o padre diz: A benção o DEUS TODO-PODEROSO, Pai, Filho e Espírito Santo e não abençoe-vos os deuses poderosos.
O Filho é Deus porque é o unigênito de Deus. Ou seja, o unico formado de Deus mesmo; não foi tirado do nada para a existência como as outras criaturas. Ele mesmo atinha consciência disto quando afirmou: "Antes que Abraão existisse EU SOU!" Jo 8, 58. Não disse eu já existia ou eu já havia sido criado. Afirmou que sua origem é eterna. Sem principio, sem começo. Mas ela se dá no seio do Pai. Deus nunca pode ser Deus se não for como Trindade. Faz parte de sua natureza de Deus ser Pai, Filho e Espírito Santo. Este é o mistério de Deus revelado a nós por Jesus, o homem Deus. Esta é a fé que nos diferencia dos deístas, dos filósofos e dos pagãos. Deus é para o cristão mais do que o Ser Supremo. O Absoluto. É o Deus comunhão de Amor. Cremos em um Deus que é comunhão e relação consigo mesmo sem ser egocentrismo. Sem egoísmo. No Deus que se dá de si mesmo para o mundo por amor. E se dá pelo Espírito Santo, que como que transborda o poder de Deus criando o universo e o organizando. Sem necessidade alguma. Sem que isto lhe acrescente nada em sua essência perfeita. Mas apenas como um natural expandir-se do  amor. É neste amor eterno que nos movemos, existimos agora e somo que temos sido. E nossa atitude perante esse Deu que é Amor deve ser igual a de Maria Santíssima. Prostrada perante a grandeza da Divindade e clamando: Eis aqui o Escravo(a) do Senhor! 
Deus no sustenta no SER porque Ele, unicamente Ele, é o SER. A Ele, Pai, Filho, Espírito Santo seja dada a glória.

Nenhum comentário:

Postar um comentário