sábado, 10 de dezembro de 2011

ASSUMIR-SE CATÓLICO


O Brasil é indicado como a nação mais católica do mundo. Na realidade somos o país com o maior número de batizados na Igreja Católica. Nosso povo não relaciona o batismo com a pratica de uma religião. Pelo hábito batiza os filhos, como se toda criança precisasse ser batizada e não precisasse ao mesmo tempo crer em tudo o que crer os cristãos e ensina a Igreja.
Por que os brasileiros são tão feverosos em relação ao futebol? Sabem os nomes dos jogadores de seus times, as datas dos campeonatos, os lances melhores, vibram com seus ídolos de futebol. Porem, poucos sabem os mandamentos da Igreja, entendem o verdadeiro significado da missa (Mesmo sendo em português e o padre explicando a exaustão cada gesto, depois de falar as pessoas agem como se não tivesse ouvido nada.)
Nosso povo até se orgulha de declarar-se católico. E ainda justifica: Sou católico porque não preciso deixar de beber, de ir ao carnaval. de me vestir como quero, deixar de ver novelas, evitar conversas imorais. É ótima uma Igreja assim. Porem este católico quando descobre, para ele, a verdade, que está na Bíblia, segundo  afirmam os  convertidos para comunidades evangélicas, ele deixa de beber, frequenta quase todo dia os cultos; pois nestas igrejas há cultos quase todos os dias da semana. E porque acontece assim? Simplesmente porque este dito católico escolheu ser evangélico.  Assumiu uma fé consciente, Descobriu o que não conhecia. Ele era católico apenas de nome e de batismo. Nunca assumiu ser católico de verdade. E isto não é devido na maior parte das vezes, as pessoas. Mas as autoridades da Igreja que muitos vezes são omissas em relação a formação católico verdadeira e contínua.  Tudo se limita a uma catequese deficiente de primeira eucaristia. E depois de comprida esta obrigação a vida católica desta pessoa, quando ainda pratica alguma coisa, se limita em ir à missa aos domingos, sem saber nem para que serve a missa. Principalmente agora, que muitas missas são como encontros sociais para a comunidade mostrar  o que deve fazer para Deus.
Um possível caminho para um catolicismo comprometido seria as Associações de fieis, os grupos do oração e até  as comunidades da RCC, alem de outros movimentos. Mas estes católicos que participam destes movimentos, se mostram como se fossem católicos de primeira classe. Evitam o que todos católico deveria evitar. Levam uma vida espiritual que todo católico seria obrigado a levar, se o fosse por convicção. O correto seria que católicos fiéis e praticantes formassem grupos para oração, e não que os grupos formassem católicos fieis e praticantes, porque muitos destes grupos agem como pequenas igrejas dentro da Igreja.
Precisamos descobrir um meio de formar católicos centrados unicamente na vida católica. Independente de grupos e espiritualidade particulares. Cuja principal  meta seja uma vida sacramental com a comunhão regular, a confissão permanente e a oração continua, principalmente em família. O estudo do catecismo em família e em pequenos grupos. Só assim se assumira com plena liberdade o ser católico e não apenas ser mais um batizado na Igreja católica.
Eu recorro a Intercessão de Santa Joana d´Arc, que nunca participou de uma ordem terceira ou de uma congregação religosa, que vivei no meio do mundo em ações tipicamente do mundo, como a guerra e a politica, para que a  seu exemplo, nós católicos leigos possamos também dizer: "Sou bem batizado e bom cristão." como ela afirmou muitas vezes. E mesmo que ela nunca tenha lido a Bíblia, ou frequentado o catecismo, sabia muito mais da fé católica, dos que nós hoje, que temos tantos grupos de catequese e de oração. Ela amava a Igreja católica no que ela oferecia: o Corpo do Salvador, a santa missa, como sacrifico de Cristo, e o sacramento da confissão. 
Entrego também ao patrocínio dos santos apóstolos Pedro e Paulo, colunas da Igreja, e aos santo abade Bento de Núrsia, a conversão dos batizados na Igreja. Que assumam o catolicismo em suas vidas e se tornem mais fervorosos e convencidos na doutrina da Igreja, do que os nossos irmãos, que saíram da comunhão com a unica Igreja de Cristo. E que a Santíssima Virgem Maria, mãe da Igreja, nos acompanhe com sua proteção maternal, neste proposito de converter os católicos à Igreja e ao que ela nos ensina. Amem.

Nenhum comentário:

Postar um comentário