segunda-feira, 30 de julho de 2012

PERSEVERAR NA IGREJA

O catolicismo, embora reúna no Brasil, a maior quantidade de membros batizados, na pratica, a maioria é católico de ocasião. Sem compromisso algum com a Igreja e sem plena consciência de que faz parte de uma comunidade fé. Para estes, a Igreja sempre significa os padres e as freiras. Um dos fenômenos mais comuns no catolicismo é a participação em certo período da vida em grupos de jovens ou movimentos da Igreja. Na  juventude ou quando já bem adulto. Chegam até a fazer parte das equipes de liturgia ou de alguma atividade na paróquia. Lêem nas missas. Depois abandonam o catolicismo e/ou ficam sem seguir religião alguma ou se convertem à outras ditas  igrejas.

Acredito que tal fato aconteça porque os que são batizados, não o são para se tornarem católicos. Os pais na maioria dos casos,  levam os filhos ao batismo, para cumprir um evento social. Filhos de politicos, de pessoas  que nem memso crêem em Deus, que criticam a Igreja e discorda de sua doutrina e moral, pessoas  que professam outra fé, como grupos esotéricos e orientais, que aceitam todo tipo de religião, também conduzem os filhos para o batismo. A criança  cresce sem uma educação na fé e algumas destas só vão receber, que naturalmente alem de ser muito ruim  e até deturpadas, o ensino sobre a doutrina da Igreja na preparação para a primeira comunhão. Quando jovem através de amigos ingressam em grupos de oração ou movimentos de jovens. Passam um determinado tempo depois se afastam por completo. A maioria dos grupos católicos apresentam uma enorme rotatividade de membros. Na verdade membros destes  grupos ou movimentos, se descobrem católicos por causa deste; deveria acontecer  o contrario, ser do grupo  porque este é CATÓLICO.

Acredito que só podemos perseverar na Igreja se tivermos um permanente vida de oração e sacramental. Participando regularmente da Santíssima eucaristia sempre que possível, consciente de que está entrando em comunhão com Cristo que nos salvou pela paixão e morte na cruz, mas  que se dá a nós sob as aparências de vinho e pão, porque está vivo pela sua ressurreição dentre os mortos. E também freqüentar pelo menos uma vez ao mês,  o sacramento da confissão dos pecados. Sem a pratica permanente de um vida sacramental, cujo os fundamentos são estes dois sacramentos, nenhum grupo o espiritualidade é capaz de manter um católico por muito tempo. O mundo oferece mais apelos. O testemunho dos maus católicos, inclusive de padres e religiosos  decepcionará a muitos. Só quando adquirirmos a certeza interna de que a Igreja não é só a Instituição visível organizada em pastores e ovelhas, mas o Corpo místico de Cristo, a sociedade instituída por Ele e conduzida pelo Espírito Santo é que permanecermos fieis à Igreja, mesmo que muitos pastores sejam infiéis a Esta como Judas foi infiel à Jesus.

Eucaristia e confissão freqüente. São as duas colunas que nos sustentarão na Igreja. Além disso, oração constante. "Orai sem  cessar" (1Ts 5,17) diz o apóstolo São Paulo. Na verdade toda a nossa vida diária deve ser uma liturgia. Um culto de louvor a Deus. Nosso trabalho, lazer, relações sociais; tudo o que dissermos ou fizermos deve ser para a glória de Deus e por amor a Nosso Senhor Jesus Cristo. Sem, a vivencia sacramental e de oração na Igreja, nenhum grupo manterá por muito tempo pessoas na Igreja, pois estar no grupo é apenas uma fase na vida desta pessoas. Ele vão pelas amizades, pelos eventos, por muitos outros motivos. Poucos são os que vão pelo fato de terem a consciência de que são católicos. Por mais rica que seja sua espiritualidade, por mais nobres que sejam os objetivos  de um Grupo ou movimento, não conseguirá fazer com que a maioria de seus membros  perseveram na Santa Igreja de Cristo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário