quarta-feira, 30 de abril de 2014

A Religião do Bem Estar




 http://images01.olx.pt/ui/26/87/43/Fotos-de-Revistas-Religiosas_441388443_1.jpg


        Religião para o homem moderno não significa mais  exercícios das virtudes e a renuncia aos vícios como pregava a Igreja nos tempos da Cristandade. Procura-se a Religião para sentir-se bem, libertar-se dos problemas, curar as emoções; não é para tornar-se melhor mesmo a custa da renuncia pessoas. Não mais uma ascese que consiste em escalar uma escada íngreme a fim de tornar-se um novo ser humano, mas é para ter uma vida agradável. Percebe-se isto nas publicações religiosas atuais. Libertar-se de seus problemas, alcance graça com Nossa senhora Aparecida, Livre-se das dividas com Santa Edwiges e outras temas iguais.
         Por este motivo a vertente cristã que mais cresce no cristianismo é o neopentecostalismo com suas promessas de curas e libertação e prosperidade. E as terapias alternativas e o esoterismo. Tudo se resume na busca de um céu aqui mesmo na Terra e depois. A Religião não serve maios para nos tornar seres humanos melhores mas tornar nossa vida melhor. Por isto a recusa de que há o pecado, de que é melhor renunciar ao mal do que arriscar perde-se para sempre. Para transformar a natureza humana imperfeita a religião não precisa ser moralista. Basta ser realista e reconhecer que somos imperfeitos. Recorrer a misericórdia de Deus para suportar as adversidades desta vida e pedir o seu consolo em meio aos nossos sofrimentos neste mundo das quais ele mesmo afirmou, que todos sempre teríamos.
         Durante a maior parte de sua historia a Igreja Católica anunciou uma doutrina ética, pregou a disciplina o controle  dos sentidos e a penitencia. A mudança de vida. Sempre compreendeu que estamos em uma Vale de lágrimas mesmo que hoje com os benéficos das tecnologias este vale parece um jardim de prazeres, mas a busca sem freios por bem estar, mostra que no interior, os homens continuam sofrendo, na esperança de um  paraíso perdido. Jesus nos prometeu seguir adiante carregando a sua cruz e nos mandou carregar a nossa. E são Paulo mesmo disse que é preciso passar por muitas tribulações para entrar no reino de Deus. Renuncie qualquer doutrina que prometa um paraíso aqui mesmo e depois. Mas creia no Deus que nos consola e fortalece  mesmo em meio as nossas dificuldades.

segunda-feira, 21 de abril de 2014

RESSUREIÇÃO E IMORTALIDADE




http://3.bp.blogspot.com/_1Rx7cw4og-Q/TNA85gAa4QI/AAAAAAAABd8/Fza4ksS0FkI/s1600/creed_16_Resurrection_of_the_body_2.jpg





         Há uma grande diferença em se acreditar na vida após a morte e crer na ressurreição. Antes de Cristo os pagãos acreditavam que havia uma espécie de vida após a morte. Gregos, romanos, Mesopotâmicos criam que algo sobrava da natureza humana após a morte corporal. A qualidade desta vida pos-morte variava. Para as civilizações antigas era uma vida quase de sonâmbulos, sombras, sem atividade, sem esperança. Os mortos estavam prisioneiros do Hades para os gregos e de lá nunca mais se voltaria. Os egípcios entendiam a vida a morte  como uma continuidade com a vida presente e de certa forma pensavam que o corpo favorecia a sobrevivência pós túmulo. Por isto s mumificavam os corpos. Mas nenhuma civilização antiga acreditava que um morto pudesse retornar do reino dos mortos com possibilidade de viver neste mundo para nunca mais morrer. A ressurreição para o cristão é justamente isto. Libertar-se da morte. de forma definitiva. Não é voltar a ser um simples espírito como entendem os espíritas. Mas ser eternamente uma pessoa humana corpo e alma.
E Deus limpará de seus olhos toda a lágrima; e não haverá mais morte, nem pranto, nem clamor, nem dor; porque já as primeiras coisas são passadas.
Apocalipse 21:4

         Cristo ressuscitado venceu a morte em si mesmo e em nossa natureza. Nosso corpo ainda é mortal, mas é destinado a ressurgir imortal. O Hades ,entendido como o reino dos mortos não  existe mais. Todos os prisioneiros da morte foram libertados e haverá tempo em que nunca mais haverá morte como afirma Deus no livro da Revelação ou apocalipse. Infelizmente a crença apenas  na imortalidade da alma ofuscou muito a fé na ressurreição corporal e pessoal. O Cristianismo é original justamente neste aspecto. É a pessoa que é imortalizada e  não apenas a sua alma. Meu corpo mortal é destinado à imortalidade e não apenas o meu espírito. Mesmo na época de Jesus já se acreditava em espíritos dos mortos. (Lc 24, 39) E Jesus mesmo cria na sobrevivência logo após a morte e a chamava de ressurreição. (Mc 12,26) Mas a Ressurreição como volta do reino dos mortos em corpo e alma aconteceu primeiramente com Jesus e por ele com os outros. Ele, só ele nos mereceu a imortalidade de nosso corpo. A morte deixou de ser ontologicamente inerente à nossa natureza humana. Embora ainda seja um fenômeno biológico natural sob o ponto de vista material não é mais um fato definitivo Seu fim já foi decretado. Por isto diz são Paulo  o ultimo inimigo a ser vencido será a morte, porque quando todos ressuscitarem em pessoa nunca mais haverá morte para os seres conscientes e livres que Deus criou. (1Cor 15, 26) Louvado seja Deus porque nos imortalizou em Cristo Jesus. Ele é nossa Páscoa, da morte física,  para a vida Eterna.

A todos os leitores do Blog uma feliz e santa Páscoa em Cristo


E Deus limpará de seus olhos toda a lágrima; e não haverá mais morte, nem pranto, nem clamor, nem dor; porque já as primeiras coisas são passadas.

Apocalipse 21:4
E Deus limpará de seus olhos toda a lágrima; e não haverá mais morte, nem pranto, nem clamor, nem dor; porque já as primeiras coisas são passadas.

Apocalipse 21:4
E Deus limpará de seus olhos toda a lágrima; e não haverá mais morte, nem pranto, nem clamor, nem dor; porque já as primeiras coisas são passadas.

Apocalipse 21:4
E Deus limpará de seus olhos toda a lágrima; e não haverá mais morte, nem pranto, nem clamor, nem dor; porque já as primeiras coisas são passadas.

Apocalipse 21:4
E Deus limpará de seus olhos toda a lágrima; e não haverá mais morte, nem pranto, nem clamor, nem dor; porque já as primeiras coisas são passadas.

Apocalipse 21:4
E Deus limpará de seus olhos toda a lágrima; e não haverá mais morte, nem pranto, nem clamor, nem dor; porque já as primeiras coisas são passadas.

Apocalipse 21:4
E Deus limpará de seus olhos toda a lágrima; e não haverá mais morte, nem pranto, nem clamor, nem dor; porque já as primeiras coisas são passadas.

Apocalipse 21:4

sábado, 12 de abril de 2014

Os Santos e as imagens




         Quem são os santos cristãos? Todos aqueles que foram lavados, santificados e justificados pelo sangue de Cristo (1Cor 1)Aqueles a quem Jesus declarou Felizes porque ouviram a Palavra de Deus e a obedeciam. (Lc 11, 28) São os que Deus escolheu, para por meio deles manifestar o seu nome aos outros. Como Paulo, o Vaso de eleição.  Todos os santos o são por Cristo, e em Cristo. Eles creram que Jesus veio do Pai e o amaram e fizeram a sua vontade.  São também os que servem de exemplo para os outros. Jesus mesmo afirmou que se devia perpetuar a memoria e anunciar o que se fez em favor dele; foi isto que disse Jesus em relação  à mulher que lavou seus pés e os enxugou com os cabelos. (Mc 14, 9) São aqueles que após o termino desta vida estão no céu com Cristo E muitos destes são apresentados como modelos para nós, que somos também chamados à santidade. É nisto que consiste a canonização de alguns cristãos que se destacaram no amor a Cristo e aos irmãos.

         Para perpetuar a memoria destes cristãos e indicar sua existência aos outros a Igreja não recusa que sejam feias imagens deles. Assim como Jesus Cristo não é um ídolo, a imagem dele não é um ídolo. Assim como a virgem Maria não é uma falsa deusa, a imagem dela não é um ídolo ou um deus falso. Assim como a imagem de São Paulo, representa um apóstolo de Cristo e não um ídolo pagão. O que identifica um ídolo?  A sua existência imaginária e sua independência de Deus e de Cristo. Os ídolos são deuses imaginados pelos homens e ligados às forças da natureza. Iemanjá é sim um ídolo, porque representa o poder do mar e nada tem a ver com a fé em Cristo Jesus, Na verdade nunca existiu.  Ter uma imagem de Iemanjá em casa é praticar a idolatria. E embora haja semelhanças em relação ao culto das imagens na Igreja católica e nas celebrações aos ídolos, há também importantes diferenças. Não oferecemos holocaustos de animais às imagens dos santos. Nem alimentos. Para cada orixá do Candomblé há um alimento preferido. Não há alimento preferido para a Virgem Maria e os outros  santos. A igreja nunca admitiu fazer isto.
         Mas se uma pessoa pensa que por ter a imagem de um santo ela tem poder sobre ele, está agindo como uma pessoa pagã. O Concilio de Trento é bem claro."Além disso declara este santo concílio, que as imagens devem existir, principalmente nos templos, principalmente as imagens de Cristo, da Virgem Mãe de Deus, e de todos os outros santos, e que a essas imagens deve ser dada a correspondente honra e veneração, não por que se creia que nelas existe divindade ou virtude alguma pela qual mereçam o culto, ou que se lhes deva pedir alguma coisa,"(sessão XXV) Não honramos as imagens dos santos porque há nelas algo de poder ou divino, mas porque elas representam os servos de Deus. Se comprar uma imagem de Santa Luzia para nunca ficar doente da vista, ou de São Rafael para sarar de uma doença, ou de Santo Expedito pra resolver um problema urgente, você está crendo que por possuir  imagem deste santo  terá poder sobre o mesmo. E isto é puro paganismo. Ter em cassa uma imagem da Virgem ou de outro santo deve ser com um único objetivo, divulgar a vida d santo ou manifestar seu amor pessoa por ele e para lembra-lo do que ele fez como cristão. Tudo o que ultrapassar isto chegas próximo a idolatria pagã. A Bíblia permitiu a mando do Deus que se fizessem imagens de anjos e animais para o templo porque entendia desta forma o sentido das imagens. Elas indicavam o poder a presença do único Deus verdadeiro.

Eu lhes asseguro que onde quer que o evangelho for anunciado, em todo o mundo, também o que ela fez será contado em sua memória".

Marcos 14:9
Eu lhes asseguro que onde quer que o evangelho for anunciado, em todo o mundo, também o que ela fez será contado em sua memória".

Marcos 14:9
Eu lhes asseguro que onde quer que o evangelho for anunciado, em todo o mundo, também o que ela fez será contado em sua memória".

Marcos 14:9

sábado, 5 de abril de 2014

O Calvário e a Missa

 http://www.padresanto.com.br/sub_imagem/15.12.2013_41c8a13f063f293195b4f005c8c66024.jpg
         O culto público externo de Adoração a um deus consiste em oferecer um sacrifico ao mesmo; como maior dom que temos é a vida, todas as religiões antigas ofereciam entes vivos aos deuses. Alguns até vitimas humanos, porem o povo judeu só oferecia animais em sacrifícios. Por isto curvar-se perante uma pessoa, solicitar suas prece em favor de alguém ou sua intervenção junto a Deus, nunca foi, na bíblia sinônimo de adoração.
         Com a vinda de Jesus cessaram os sacrifícios da antiga lei de animais porque Jesus ofereceu-se a si mesmo a deus pela remissão de nossas pecados. no calvário Jesus deu sua vida pela fidelidade a deus e isto trouxe para todos os que nele creem a remissão dos pecados e a vida eterna. Mas não cessou o sacrifico. Pois o próprio Deus afirma em que do nascer ao por do sol seria oferecido a ele um sacrifício perfeito. (Ml 1, 11) O sacrifício da Igreja é a oferenda de cristo no calvário. Por isto em cada missa retornarmos misticamente àquele instante único em que o filho ode deus grita poucos antes de render o espírito. "Está Consumado! “ (Jo 19,30) de modo que até hoje não houve mais que uma só missa; a do calvário,  sendo que cada Missa celebrada é o mesmo sacrifício da cruz  de  forma incruenta, porque Cristo uma vez ressuscitado não morre mais. Porem, perante o eterno  presente de Deus o calvário é um fato de agora e somos unidos a este acontecimento  em cada missa que é celebrada. A missa nada mais é do que este sacrifício perpétuo que Deus estabeleceu para anular e revogar todos os sacrifícios dos pagãos e dos hebreus.
         Por isto a santa Igreja é a única que possui o verdadeiro e único culto de adoração a Deus. Porque a missa não oferecida a virgem Maria, nem a nenhum outro santo. É oferecia apenas a deus. e a vítima é perfeita e pura. É o mesmo nosso senhor Jesus cristo.