segunda-feira, 29 de outubro de 2012

JESUS NOSSA UNICA SALVAÇÃO



PARA OS MODERNOS JESUS DEVERIA TER DITO ASSIM:

Eu sou o caminho (dos prazeres), 

a verdade (aquela que mais me agrada) 

e a vida (aquela que eu decido viver).

PARA OS CATÓLICOS FIÉIS  JESUS DISSE ASSIM:

Sou a Verdade  (  A única que leva a Deus na qual vocês devem crer.)

O Caminho ( O único que conduz a Deus. E que vocês devem seguir.)

A  Vida   ( A ÚNICA QUE TE GUARDA PARA A VIDA  ETERNA.)

quarta-feira, 24 de outubro de 2012

A SANTIDADE BÍBLICA, PROFÉTICA E TEOLÓGICA DE JOANA D´ARC.






         Na mentalidade popular santo é aquele que não peca. Não perde a paciência. Sofre calado, toda forma de injustiça e faz boas obras, principalmente dá muitas esmolas. É um tipo de pessoa raríssimo. Tanto que quando queremos justificar nossos defeitos dizemos quase que com orgulho: Não sou santo.
         Quando se conhecem os personagens da Bíblia, como Davi, Moisés, Josué e outros, que não foram sempre modelos de virtude e de paciência, as pessoas ficam escandalizadas com suas atitudes nada correta em certos fatos. E estes personagens foram verdadeiros santos. Porque na Sagrada Escritura o santo não é aquele que nunca pecou ou que deixou de pecar. É aquele que foi separado para Deus. (Ex 28,36-38) Que pertence a Deus e ao seu serviço. Santidade na Bíblia é uma escolha livre por Deus de uma criatura cheia de pecados em beneficio dos outros. Deus expressa isto em relação ao povo de Israel ao dizer que o escolheu não porque era melhor dos que os outros povos. Tudo o que pertence a Deus com a Arca da Aliança, o Templo, os pães da preposição e a própria Terra prometida é santo. E não apenas as pessoas são Santas.
         Não encontrei nenhuma outra forma de santidade mais próxima do conceito bíblico do que Santa Joana d´Arc. Ela não é igual aos outros santos em que após a conversão todos os defeitos humanos somem. Só  aparecem as virtudes em grau heroico. A santidade de Joana é originada numa eleição livre de Deus em favor do povo. “Agradou a Deus agir assim, por meio de uma simples virgem, para expulsar os inimigos do rei.” Disse ela justificado a sua vocação. Suscitada por Deus, toda sua vida se volta para agir de acordo com a missão que este lhe deu. E nunca esconde suas limitações, seus defeitos. Perde a paciência algumas vezes.  Em certos atos é agressiva porque os fatos não correspondem as suas expectativas e uma vez, até desobedeceu as vozes pulando de uma alta torre para escapar da prisão. Talvez estes fatos façam pensar que Santa Joana é menos santa do que os outros. Até mesmo porque foi fazer guerra e nesta época de pacifismo a qualquer custo uma santa guerreira desagrada modernistas e católicos sentimentais, tipo RCC ou  outros, em que tudo deve ser paz e amor.

         Santa Joana d´Arc encarna também o aspecto profético da santidade. Ela se define com uma mensageira do Rei dos Céus. Da verdade de Deus. É vontade de Deus que os ingleses deixem o território da França. É vontade de Deus que o Rei francês seja coroado rei de seu povo. Mensageira da verdade de Deus que não precisa justificar-se politicamente. Deus o quer, pode e ele faz. Mesmo através dos instrumentos mais frágeis. Não foi Davi o simples pastor,  eleito para eliminar o gigante inimigo do povo de Israel? Deus escolhe o que parece não ser,  para humilhar o que se acha.

         No sentido teológico a santidade é pertencer a Deus. É ser separado por Deus,  para servi-lo. Neste aspecto todos nós, que fomos chamados  a sermos cristãos, a sermos um povo consagrado a Ele, somos santos. Desde o nosso batismo. Porque fomos retirados do império o das trevas, do reino de Satanás e transplantados para o Reino de seu filho, por quem temos a redenção de nossos pecados. Então porque a Igreja canoniza (declara santos) alguns cristãos? Há católicos de primeira classe? Não somos todos chamados a sermos bons e fieis católicos? Sem dúvida! Mas há alguns que se destacam  com maior brilho. Não  apenas por seus méritos, e nem por  uma perfeição acima de sua humanidade.  Mas por uma eleição especial de Deus. Por uma vocação especifica. Com os profetas do povo de Israel. Como instrumentos separados por Deus em favor de todo um povo, como o foi Santa Joana d´Arc.
         Também se Roma não houvesse definido  e imposto limitações para as declarações da santidade de uma pessoa, as canonizações,  teríamos um festival de canonizados. A Igreja na América Latina teria canonizado Che Guevara e os ecumênicos Gandhi. Quando a Igreja canoniza, tem o objetivo de perpetuar a memoria daquele cristão católico, através de um culto especifico.  Na verdade, se traduz numa foram humana o testemunho de Cristo junto ao Pai da vida daquele servo.  Por isso,  suas imagens são expostas e templos são erguidos em sua honra, porem nunca para eles. As igrejas templos são dedicadas apenas a Deus.

         Santa Joana d´Arc é o exemplo mais evidente da  santidade que indica uma eleição de Deus para colocar uma pessoa a seu serviço. Muitas pessoas evitam  chamar Joana d´Arc de santa. E nem sabem que ela foi canonizada. Creio que alguns até se escandalizem com esta canonização. Muitas vezes já ouvi me corrigirem indiretamente, quando digo, algo em relação a Santa Joana d´Arc;  dizem em seguida Joana d´Arc e retiram o termo  santa. Talvez seja porque ela não é muito popular no Brasil e aparece em alguns centros de Umbanda. Mas as imagens Jesus também estão  nestes e também da Virgem Maria. Talvez seja uma reação ao conceito de santidade que se impôs na mentalidade popular. Santo não briga. Não faz guerra. Joana fez outra guerra; a maior guerra interior. Defendeu com sua própria vida  o fato  de haver sido suscitada por Deus e o segredo de  santidade consistiu em obedece-lo apesar de suas fraquezas. Ela mesma o disse: “Se eu dissesse que Deus não enviou condenaria.”

         Quando entendemos a santidade na forma bíblica, de pertença a Deus, da escolha livre de Deus, e da resposta livre e amorosa do escolhido, jamais haverá a separação do santo de sua fonte de santidade. Deus. E primeiramente ele não será cultuado como um ente sobre humano que nunca pecou o u cristão de primeira categoria. A graça de Deus é a mesma para todos. O chamado de Deus a santidade é um só.
Francisco Silva de Castro

segunda-feira, 22 de outubro de 2012

O INIMIGO E O JOIO



..."mas, enquanto os homens dormiam, veio o inimigo dele, semeou joio no meio do trigo, e retirou-se.Quando, porém, a erva cresceu e começou a espigar, então apareceu também o joio.Chegaram, pois, os servos do proprietário, e disseram-lhe: Senhor, não semeaste no teu campo boa semente? Donde, pois, vem o joio? Respondeu-lhes o senhor: Foi algum inimigo que fez isto."  S. Mateus 13, 24-28

           Nesta parábola Jesus explica a razão do mal no mundo. Compara os filhos das trevas como o joio semeado no campo por um inimigo. Refletindo sobre esta ação do inimigo fiquei me perguntando. E porque este não destruiu o campo? Pelo simples fato de que o inimigo não quer uma demonstração de ódio tão evidente. Se houvesse destruído  o campo  o Senhor em breve faria outro e além disto todos perceberiam que foi a obra de um inimigo. Mas o inimigo quis agir se ser percebido ou identificado. Ele semeou uma semente semelhante ao trigo, que se poderia ser identificada quando crescida. Por sito   o dono do campo pro amor ao trigo permitiu que o joio crescesse como este.

          Trazendo para nossa  época o joio representa todos os que espelham falsas idéias pelo o mundo e as apresentam como  boas idéias ou defesa do ser humano. São como o inimigo que age disfarçado. Vemos que em nossos dias os homossexuais desejam mais do que a liberdade para seus relacionamentos sexuais. Querem casar como se fossem um homem e uma mulher. E  isto não  é por amor ao casamento como Instituição. É para para avacalhar, denegri, ridicularizar o casamento como instituição elevada a sacramento pelo Cristianismo, pois o este,  é sinal da união mística entre Cristo e a Igreja. Não assisto novelas mas é impossível não saber o que estas apresentam. Nos telejornais, nas conversas é o que mais se fala. As novelas estão avacalhado  o casamento. Apresentando a poligamia como um ação legal e possível. Na novela Avenida Brasil, um homem casou em público com tres mulheres com quem já morava junto. E o pior é quem ninguém se escandaliza com isto. Talvez em breve, teremos marchas em defesa da poligamia, como temos em favor dos gays e outras reivindicações anti cristãs e desumanas, porque aviltm a digindiade de filhos de Deus concedida por Nosso Senhor Jesus Cristo.

           As feministas não desejam o dito "direito" de abortar porque defendem a saúde da mulher ou uma paternidade responsável. Lutam pelo direto de jogar fora no lixo a vida de um ser humano em potencial.   Em descartar um gravidez incomoda, que poderia ter sido evitada principalmente em nossa época, em que os meios de anticoncepção são muitos variados e há muito informação sobre estes. Querem consertar o erro de uma gravidez irresponsável com outro ainda maior. Uma homicídio horrendo perante um ser em formação e indefeso.

              Bem disse Jesus que os filhos da trevas são mais espertos do que os filhos da luz. Eles sabem disfarçar o veneno que desejam fazer apreciável  assim  como o inimigo soube danificar o campo onde havia o  trigo do Senhor semeando joio. Mas Jesus disse que o destino do joio como erva má e imprestável só pode ser  um: A fogueira eterna da destruição.

segunda-feira, 15 de outubro de 2012

CATOLICISMO FUNDAMENTAL



Nunca um domingo sem missa; nem uma  missa sem comunhão.





Nunca um ano sem confissão e  nem um dia sem oração; nunca  a mágoa no coração.


quinta-feira, 11 de outubro de 2012

A IMAGEM DE NOSSA ETERNA RAINHA E PADROEIRA: NOSSA SENHORA DA CONCEIÇÃO


IMAGEM APARECIDA EM OUTUBRO DE 1717, DE NOSSA SENHORA DA CONCEIÇÃO, ETERNA RAINHA E PADROEIRA DO BRASIL

O dia 12 de outubro é dedicado a nossa eterna Rainha e padroeira, Nossa Senhora da Conceição. A Virgem Maria, quis fazer aparecida para todo o Brasil, a imagem símbolo de sua santa e imaculada Conceição, venerada com muito fervor, antes mesmo de se tornar um dogma, por todos os brasileiros em todas as regiões do Brasil, desde o dia do descobrimento.

Que o Brasil, amado pela puríssima mãe de Jesus, seja a nação de sua santa e imaculada Conceição, suplicando a Deus, para  que esteja sempre em sua Graça e que jamais admita que  o pecado  se manifeste em variadas formas. Pecados contra a santa lei de Deus pela imposição de leis anti-cristãs e anti-católicas. Que o reinado social de Nosso Senhor Jesus Cristo, seja mais evidente no Brasil e defendido com fervor por todos os católicos brasileiros. E que a devoção à Santa e Imaculada Conceição de Maria, faça do povo brasileiro, um povo católico de fato e não apenas de nome.

terça-feira, 9 de outubro de 2012

ANUNCIAR JESUS E CONVERTER OS PAGÃOS: DEVER D0 VERDADEIRO MISSIONÁRIO



Se Deus realmente se servisse de outras religiões para salvar as pessoas, Jesus não teria ordenado aos apóstolos que fizesse discípulos dele, povos de todo o mundo. Na mesma proporção, em que não se deve obrigar por meios violentos ou por vantagens materiais, a crer em Cristo como Senhor e Redentor, também não se deve omitir que só em Jesus temos a salvação e em nenhuma outra religião desta Terra. Por mais que as mesmas ensinem o bem e a fraternidade entre os povos. Se negam Jesus como verdadeiro Deus, Filho de Deus enviado para redimir os homens, estão em completo erro e contra Jesus Cristo e quem é contra Jesus age como São Paulo, quando perseguia os cristãos, recalcitram contra os aguilhões (Atos 26,14) e só conseguem ferimentos inúteis,porque Jesus sempre triunfará de todos os seus inimigos.

Deus não se serve do erro e de falsas doutrinas para salvar ninguém. Se assim o fosse, os apóstolos não teria enfrentado tantas perseguições e até o martirizo para anunciar o Evangelho. Embora, haja elementos cristãos entre as outras religiões, estes não salvam, antes, estes aspectos induzem a que seja dado aos mesmos a oportunidade de conhecer a Nosso Senhor Jesus Cristo como Senhor e Salvador. Erram  contra a fé todos os que pregam a fidelidade de cristãos à sua fé e ao mesmo tempo afirmam, que os pagãos não devem conhecer a Cristo e professar a religião verdadeira. Estão contra o Evangelho, contra todos os Apóstolos e contra todos os  missionários cristãos e contra dois mil anos de historia da Igreja.

Neste mês missionário, ofereçamos nossas orações e sacrifícios, pela conversão dos pagãos, dos hereges e dos apostatas. Que conheçam o único Deus verdadeiro e a Jesus Cristo, que ele enviou para que o mundo seja salvo, por seu nome e não pelo nome de nenhum outro.


domingo, 7 de outubro de 2012

ORAÇÃO PELA PÁTRIA


IMAGEM APARECIDA DE NOSSA SENHORA DA CONCEIÇÃO 
ETERNA RAINHA E PADROEIRA DO BRASIL.
Ó Senhor Jesus,
Apenas vós sois o Caminho, a Verdade e a Vida.
Em Vossa Igreja, Vós nos mostrais o Caminho,
Vós nos ensinais a Verdade, Vós nos dais a Vida.

Concedei-nos, humildemente Vo-lo suplicamos,
que, sempre e em tudo, possamos
ser fiéis a Vós em Vossa Igreja,
E ao Vosso Vigário na Terra, o Soberano Pontífice,
o Papa Bento XVI.
Concedei-nos também, nós Vo-lo suplicamos,
que, nestes tempos decisivos,
todos os que se professam Católicos
e aos quais está confiado o sagrado dever de participar na vida pública,
possam, pela força de Vossa graça,
inabalavelmente seguir o Vosso  Caminho e
fielmente aderir à Vossa Verdade,
vivendo em Vós com toda a sua mente e coração,
para a Vossa maior glória, salvação
das almas
e bem de nossa nação. Amém.

Nossa Senhora da Conceição Aparecida, Rainha e Padroeira do Brasil, rogai por nós!

Oração composta pelo Cardeal Raymond Leo Burke, Prefeito do Supremo Tribunal da Assinatura Apostólica.

sábado, 6 de outubro de 2012

O CELIBATO COMO SINAL DE CONSAGRAÇÃO A DEUS



         O celibato não é exclusivo do clero. Na verdade, ele surgiu entre os monges e eremitas na Idade Antiga. O celibato clerical é posterior ao celibato religioso. São Paulo, quando diz, que o solteiro cuida das coisas do Senhor, não se refere aos bispos e padres, mas a todos os batizados que queiram se dedicar de corpo e alma a Cristo. (1cor 7,32) É preciso entender que o sacramento da ordem, não é invalidado se concedido a um homem casado, caso fosse abolido o celibato obrigatório para ordenar-se; porque o celibato não é matéria e nem forma do sacramento da ordem. Há que se valorizar  celibato por causa de Cristo e não por causa do sacramento da ordem, pois são distintos; se não  o fosse, não se compreenderia o motivo de haver homens celibatários, que não desejam serem padres. E nem a existência dos monges que não eram padres  e dos religiosos não ordenados. São Bento e São Francisco de Assis, eram religiosos e celibatários, mas nunca foram ordenados.
         É possível hoje viver a castidade consagrada  reconhecida pela Igreja, nos Institutos de Vida Secular Consagrada. De certa forma, estes Institutos, também masculinos, embora muito poucos, ajudam a compreender o Celibato, com valor em si mesmo, sem o status do estado clerical. Acredito que  pouca procura pelo estado celibatário consagrado, desvinculado do sacramento da ordem, se dá pelo fato, de que o celibato só é entendido e até mesmo aceito, se o rapaz ou homem  desejar ser padre. Na verdade, muitos se perguntam “Se não quis casar porque não ser padre?” Esquecem que a amor pelo Reino dos céus, a dedicação exclusiva a Cristo, não fica restrita a um ministério, ou à ordenação sacerdotal. Quando São Paulo diz: “... o solteiro procura cuidar das coisas do Senhor.” (1Cor 7,32) Ele não está dizendo isto referindo-se ao bispo ou ao presbítero; indica o homem solteiro, que decidiu permanecer solteiro, por amor aos interesse de Cristo, no mundo e para anunciar a nova vida ou o novo mundo, em que as relações afetivas sexuais estão superadas, porque os homens não terão mais mulheres e estas não terão mais maridos. (Lucas 20,34-36)
         O celibato é tão valioso em si mesmo, que veio ajuntar-se posteriormente ao ministério ordenado e enriquece-lo; porque, nada mais conveniente, do que aquele que dentre os irmãos que assumiu o pastoreio do rebanho, se dedicar apenas a este e não dividir o amor ao Reino de Deus com interesses de sua própria família.
Francisco Silva de Castro

quinta-feira, 4 de outubro de 2012

A SINGULARIDADE DO CRISTIANISMO

Naõ há como negar que em sua essência  o cristianismo sempre  foi e é sectário e proselitista. Este não teria sido perseguido durante três séculos, se não  o fosse. Roma era tolerante com todas as religiões e todos os deuses. Mas nunca admitiu que uma religião afirmasse que todas as outras eram e são falsas. Só um povo da antiguidade defendia culto exclusivo ao seu Deus.  O povo judeu. E tendo Jesus nascido judeu,  se revelando como a realização da promessa de Deus, apresentando-se como o Cristo anunciado pelos profetas, naturalmente, jamais admitiria outro cristo igual a Ele. Ou a adoração a outro Deus quem não fosse o Pai.

No entanto, o sectarismo cristão, embora pregasse o Deus unico e a falsidade e imperfeição das outras religiões, se diferenciava das religiões pagãs, porque não tinha como meta  a morte dos seus seguidores. Mas que se livrasse de seus culto sanguinários e de suas doutrinas erradas e conhecessem a Cristo. O seu proselitismo não se fazia pelo uso da força ou do poder, mas pela pregação da palavra. E acima de tudo, pelo convencimento do Espírito Santo, na alma dos que ouviam.

Jamais o cristianismo teriam conquistado quase o mundo todo, construindo a civilização  ocidental, se fosse sincrético e ecumênico. Se ao lado de Cristo, houvesse admitido algum deus romano ou pagão. Os Atos dos Apóstolos, a vida dos santos e pastores, o testemunho dos mártires, revelam ao mundo, esta consciência que todos os cristãos sempre tiveram de estar com a verdade e da necessidade de denunciar a  mentira das  religiões pagãs. O ardor missionário de São Paulo, que tinha como meta, fazer-se de tudo  com o  fim de conquistar o maior numero para Cristo.  A firmeza com que ele disse que os pagãos, ao cultuarem deuses que não são verdadeiros e nem existem, oferecem seus sacrifícios ao demônios, demonstra que o cristianismo nunca teve em meta defender nem mesmo  o que poderia haver de bom nas outras religiões, ou  pregar tolerância ao erro e aos falsos deuses. Pelo contrario, o missionário cristão estava disposto, não a matar, mas a perder a própria vida, para que Jesus se tornassem conhecido e amando, pois estes o amavam acima de tudo e neste  amor a Ele, mostravam a verdadeira caridade ao outro, ao anunciar Jesus, aos que se encontravam nas trevas do paganismo. 

Este cristianismo autentico, seguro, convicto, fervoroso no amor a Cristo é que faz grande falta em nossos dias. Que o Espírito Santo suscite novos missionários, que no espírito de São Paulo anunciem Jesus, o único salvador, para todos os povos que ainda não  conhecem e o amam.

terça-feira, 2 de outubro de 2012

OS SANTOS ANJOS



DOZE COISAS, A SABER, SOBRE ANJOS "
POR PETER KREEFT.


    
Doze coisas mais importantes para saber sobre eles.
    1. Eles realmente existem. Não apenas em nossas mentes, ou os nossos mitos, ou os nossos símbolos, ou a nossa cultura. Eles são tão reais quanto o seu cão, ou a sua irmã ou a eletricidade.
    2. Elas estão presentes, aqui, agora, ao seu lado, lendo estas palavras com você.

    
3. Eles não são bonitinhos, bochechudos, delicados ou "coquetes"e  afeminados. Eles são temíveis e formidáveis. Eles são extraordinários. Eles são guerreiros.

    
4. Eles são os verdadeiros "extraterrestres", os verdadeiros "super-homens", os alienígenas reais. Seus poderesestão muito além de todas as criaturas ficionais.

    
5. Eles têm a mente mais brilhante do que Einstein.
    6. Eles podem, literalmente, mover os céus e a terra, se Deus lhes permite.

    
7. Há também os anjos maus, anjos caídos, demônios ou diabos. Estes também não são mitos. Possessões demoníacas, e exorcismos, são reais.
    8. Anjos estão cientes de tudo, mesmo que você geralmente não possa ver ou ouvir. Mas você pode se comunicar com eles. Você pode falar com eles, mesmo sem falar.
    9. Você realmente tem o seu próprio "anjo da guarda". Todo mundo tem.

    10. Anjos muitas vezes vêm disfarçadas. "Não negligencie a hospitalidade, pois alguns hospedaram anjos sem saberem"
    11. Estamos de certa forma, protegidos em um grande campo de batalha entre anjos e demônios, que se estende pela a eternidade.
    12. Os anjos são as sentinelas  no cruzamento onde a vida encontra a morte. Eles trabalham especialmente em momentos de crise, à beira de um desastre para os corpos, almas, e para as nações.
    Por que as pessoas acham que é estúpido para acreditar em anjos?

    
Uma razão é um erro sobre si mesmo: a falha em distinguir entre (1) a percepção dos sentidos ou da imaginação (que é um tipo de sensação inferior) e (2) a razão, ou inteligência, ou compreensão. Nós não vemos espíritos  e não podemos imaginá-los. Isso não significa que nós não podemos conhecer-los ou compreende-los. Podemos ver e imaginar a diferença entre uma figura de cinco lados (um pentágono) e uma figura de seis lados (um hexágono), e também podemos entender intelectualmente a diferença destas. Nós não podemos ver qualidades como o bem eo mal também. Qual é a cor ou a forma ou o tamanho do mal? No entanto, podemos entendê-los. Podemos imaginar o nosso cérebro, mas não as  nossas mentes, nossas personalidades.      Muitos dos que negam anjos negam ou não sabem do ser  espiritual de si mesmos. Os anjos são uma pedra de toque do "conhece a ti mesmo". Assim, são animais.
    Não são anjos irrelevantes hoje? Esta é a idade do homem, não é?
    Sim, esta é a idade do homem, da autoconsciência, da psicologia. E, portanto, é crucial  "conhecer a si mesmo"  hoje. As heresias de nossos dias não são sobre Deus, mas sobre o homem.     O homem é o único ser que é tanto anjo e animal, tanto espírito e corpo. Ele é o menor espírito;  é anjo porque é  mais inteligente do que o animal, o ponto mais baixo da hierarquia das mentes e o ponto alto da hierarquia dos corpos. Mais precisamente dizendo, o homem não é tanto o anjo ou  animal, pois ele não é nem anjo nem animal, ele está entre os anjos e animais, um ser único na escada cósmica. O homem deve saber sobre os anjos para conhecer a si mesmo, assim como ele deve conhecer os animais para se conhecer, pois ele deve saber o que ele é, e ele deve saber o que ele não é.