domingo, 30 de outubro de 2011

NOSSO SENHOR E NOSSA IGREJA

"A mim parece que é tudo uma coisa só. Nosso Senhor e a nossa Igreja e o que os separa é ruim."
Santa Joana em sua resposta sobre a submissão à Igreja no processo de condenação.

A Igreja inclui, como Corpo mistico de Cristo, todos os que estão unidos a Cristo pelo batismo e os que sem culpa e com reta intenção, em estado de ignorância invencível, servem a Deus rejeitando o mal e praticando o bem conforme sua capacidade de compreensão e  sua cultura. A Igreja INCLUI, mas não se reduz aos papas, padres, religiosos e religiosas e aos batizados, porque também todos, os que sem conhecerem ao Cristo, mas viverem de acordo com a sua consciência, acima de tudo procurando fazer o bem ao outro, estão incorporados ao Cristo e fazem parte da Igreja. Por isto a expressão "Fora da Igreja não há salvação" é verdadeira e nunca pode ser revogada. Assim como todos são salvos por Cristo, também o são por pertencerem à Igreja, porque Cristo reuniu a si me sua Igreja o todos os que o obedecem alem daqueles que nele crerem. É bem diferente desta frase: "Só os católicos se salvarão, porque nem todos os católicos embora pertença, ao corpo visível da Igreja, sem não estiverem na Graça de Deus, são como os galhos mortos da figueira  e por  não produzirem frutos serão arrancados e jogados ao fogo.
Santa Joana d´Arc foi acusada de insubmissão à Igreja militante, quando disse que que no se referias a sua ação militar dó devia submeter-se a Deus que a tinha enviado. A Igreja lá de cima, chamada de Igreja Triunfante. E desta forma protegeu a Igreja Grupo social e seu governo de tomar partido entre dois reinos cristãos.  Pois se os juízes declarassem suas vozes autenticas desagradaria aos ingleses ou se declarassem estas como enviadas pelo demônio iria desagradar os católicos franceses. Só Santa joana d´Arc entendia que não podia apelar para a Igreja dos ingleses e franceses nesta questão. A unica coisa que Igreja deveria fazer, foi o que fez o clero francês. Afirmar que ela era uma boa católica e que nada ensinava contra a fé. Sua missão era secular e não seria conveniente submete-la a autoridade religiosa para não causar divisão entre dois reinos cristãos. Alem disso, a Igreja militante está submetida à Igreja Triunfante, porque o que esta ordena, quer por meio dos anjos ou dos santos, é ordenado pelo Senhor da Igreja, Cristo Jesus e a Igreja na terra.  quer como grupo ou como fieis individuais, deve obedece-lo.
Porem, mesmo que se salvam sem conhecimento de Cristo, ou sem o batismo sacramental,  não justifica deixar de anunciar aos pagãos e aos hereges a verdade da fé: Que Cristo é nosso único mediador e Salvador e que institui uma só Igreja. De certa forma Deus dispõe para conduzir a Cristo os pagãos que vivem  com reta intenção na procura da verdade, para que a encontrem. Foi assim que Deus fez em Atos 10,34-49,com o pagão Cornélio, enviando a este o apostolo São Pedro para traze-lo ao rebanho de Cristo pela fé e o batismo. Comete um grande erro os missionários que não anunciam Cristo aos pagãos e aos grupos indígenas, deixando nas trevas do paganismo e numa cultura contraria aos mandamentos  do Evangelho. Cristo ordenou que fizessem discípulos dele  todos os povos. Se porventura muitos não ouviram falar dele e viveram  rejeitando o mal e fazendo o bem só alcançaram a salvação em vista da Redenção de Cristo, o único que fez o bem , sem ter pecado ou o debito do pecado, e desta forma tornar nossa boas obras agradáveis a Deus. Mas se estes, que ainda vivem no paganismo não conhecerem a Cristo pela acomodação dos cristãos,que em por um falso respeito as suas culturas não os procurou converter a Cristo, eles serão punidos por não haverem anunciado a  todos os povos de todas as religiões seja  em Assis ou em qualquer outra cidade da Terra, que há um só mediador entre Deus e os homens e um só é o verdadeiro Deus e um Só é o único Senhor, Jesus Cristo, o filho de Deus , que com a sua Igreja formam uma coisa só, como afirmou inspirada, a Virgem Santa Joana d´Arc.

sexta-feira, 28 de outubro de 2011

ORAÇÃO A DEUS E INTERCESÃO DOS SANTOS

Hoje, (28 de outubro)  celebramos a memória dos santos apóstolos Simão e Judas Tadeu, este ultimo muito famosa na devoção popular. Apresento duas orações ao santo. A primeira é da devoção ou religiosidade popular e a segunda é a oficial, ou seja a da liturgia do dia e é recitada na missa.
S. Judas Tadeu, glorioso Apóstolo,  fiel servo e amigo de Jesus, o nome do traidor é causa de serdes esquecido por muitos,  mas a Santa Igreja honra-vos e invoca-vos universalmente  como padroeiro de casos desesperados e sem remédio.  Intercedei por mim, que sou tão miserável; ponde em prática, eu vo-lo rogo, o privilégio particular que vos é concedido, a fim de trazer ajuda pronta e visível onde isso é quase impossível. Vinde valer-me nesta grande aflição para que eu possa receber as consolações e socorros do Céu em todas as minhas necessidades e sofrimentos  (aqui dizer a graça que se deseja obter), e que eu possa bendizer a Deus convosco e com todos os eleitos por toda a eternidade.Eu vos prometo, bem-aventurado S. Judas Tadeu, ter sempre presente esta grande graça e não cessar de honrar-vos, como meu especial e poderoso padroeiro e farei quanto possa para espalhar  a devoção para convosco. Assim seja. S. Judas Tadeu, rogai por nós  e por todos os que vos honram e vos invocam.

 ORAÇÃO LITÚRGICA
Ó Deus, que, pela pregação dos Apóstolos, nos fizestes chegar ao conhecimento do vosso Evangelho, concedei, pelas preces de São Simão e São Judas, que a vossa Igreja não cesse de crescer, acolhendo com amor novos fiéis. Por nosso Senhor Jesus Cristo, vosso Filho, na unidade do Espírito Santo.

O ideal seria que o oficial se tornasse popular. Não rezamos aos santos. Apeans pediomos a eles que orem por nós. A segunda oração demonstra bem isto.
A oração é dirigida sempre a DEUS PAI;

Nela se faz a menção dos santos, pedido suas orações por nós;
A oração é concluída sempre em nome de Jesus, o MEDIADOR DE TODAS AS GRAÇAS que recebemos de Deus Pai.

O mais perfeito deveria ser o mais divulgado e o mais popular. Não é que a primeira oração esteja errada. O problema é que esta focaliza o santo como se ele fosse quem nos atendesse por seu próprio poder e Deus fica em segundo plano. A Igreja em sua liturgia soube conciliar a oração que  dirige apenas a Deus e distinguir a intercessão do santo. Este ora conosco e por nós e nós não rezamos diretamente a Ele. Se isto se tornasse popular e praticado entre nós, os católicos, haveria bem menos incompreensão da parte dos protestantes que de certa forma, devido a maneira como as pessoas se dirigem aos santos, entendem que estes tomam o lugar de Deus.

quarta-feira, 26 de outubro de 2011

A DEFICIENTE FORMAÇÃO CATÓLICA


         A deficiente formação católica exige uma atenção especial por parte dos católicos praticantes. O católico só recebe conteúdo sobre a fé no catecismo de primeira comunhão e hoje um conteúdo muito deficiente e também dado por católicos despreparados. Depois da primeira comunhão alguns chegam a se preparar para crisma e se tornam católicos de missas aos domingos e outros apenas de missas casuais ou por motivos sociais. Quando um católico se engaja na Igreja isto se deve aos movimentos da Igreja do que ao fato deste seguir o catolicismo. Explicando melhor:  ideal seria o católico já praticante escolher um movimento por ser católico, já consciente de sua fé e por segui-la e não tornar-se católico praticante pro causa do grupo ou movimento.
         Mesmo com todos as deficiências e doutrinas estranhas ao conteúdo da fé católica(Batismo no Espírito Santo, curas, Dom de línguas) A Renovação Carismática tem de certa forma servido para trazer muitos católicos de IBGE para a  Igreja. A Renovação Carismática Católica induz a leitura da Bíblia, a frequência regular a Santa missa e a pratica do amor a Nosso Senhor Jesus Cristo. Não como negar que é atualmente o mais e mais influente movimento dentro da Igreja. Os católicos que não estão participando de nenhum grupo limitam o seu catolicismo apenas a ir a missa aos domingos. Antes, quando os padres queriam confessar, eles se confessavam regularmente ou pelo menos na semana santa. Agora é quase impossível nas paroquias encontrar um  padre que atende confissões em dias e horas já marcadas.
         Os católicos nominais não tem uma vida de oração em família, um estudo regular da doutrina católica e nem se dão conta dos documentos da Igreja, dos pronunciamentos e orientações do papa e quando o sabem é pela televisão que altera tudo. Sob este apesto é um verdadeiro milagre ainda existir católicos convictos, Verdadeiro dom do Espírito Santo. Porque o mundo, as seitas protestantes, a mídia, a politica a diversão, tudo contribui para o afastamento do católico da fé e da Igreja. E a falta de formação e convicção é a causa deste catolicismo de massa, onde se pode dizer  católico mas não praticar ou até mesmo não aceitar isto que a Igreja ensina. Como se tivesse o direito de escolher  qual a doutrina em que se deve acreditar e rejeitar a que não entende ou gosta.
Tornar-se urgente um apostolado católico que tenha como final divulgar o catolicismo puro, sua riqueza doutrinal, sua história e o que realmente este ensina. Só com uma formação continua que não termina no catecismo da primeira comunhão, com praticas católicas vividas pela família, poderá o catolicismo se tornar uma religião maior do que os seus movimentos e espiritualidades e o católico será de membro de grupo ou movimento por ser católico; desta foram mesmo que o grupo acabe ou lhe decepcione por causa de um escanda-lo de seu fundador ou de seus membros este não se afastará e continuará sendo fiel à Igreja de Cristo.

sábado, 22 de outubro de 2011

O ESSENCIAL DO CATOLICISMO

Ser Católico consiste primeiramente em crer que Cristo deixou só uma Igreja Visível, com unidade de governo e de doutrina, desde os tempos dos apóstolos atá os dias de hoje e confessar como confessou Santa Joana d´Arc, que esta Igreja não pode errar ou enganar-se e que tem o dever de punir aos que não obedecem à sua doutrina e aos seus preceitos. Eis o essencial do Catolicismo. Sem crer que a Igreja, mesmo formada por homens pecadores, embora que sejam pastores e  autoridades da Igreja, mesmo que seja um papa, não pode errar em questões de doutrina, culto e moral porque é assistida pelo Espírito Santo, confiado aos apóstolos e que conduz a Igreja nos caminhos da história conforme seus eternos e sábios desígnios. Sem esta firme fé, estaremos sempre em dúvida quanto ao que ensina e ordena à Igreja. Crendo firmemente que a Igreja de Cristo é Católica, Una Santa, apostólica, estaremos seguros que tudo o que por ela foi ensinada, explicado e determinado  provem de Deus e não de mero homens.
Antes de sermos franciscanos, beneditinos, carmelitas ou da Renovação Carismática, nunca esqueçamos que ser Católico é o primeiro e único fundamento que nos permanecemos firmes na Igreja e não estarmos na Igreja apenas por pertencemos ao movimento ou grupo de tal espiritualidade, porque quando este grupo acabar ou não tivermos interesse nele,ou nos decepcionarmos com um mau exemplo de um de seus membros, podemos voltar a praticar e viver como as pessoas do mundo. Conhecer a doutrina da Igreja e viver conforme ela ordena, mesmo que vários de seus pastores não o vivam, é o essencial e fundamental do catolicismo.
Que o exemplo de Santa Joana d´Arc, a única dentre todos os santos, que foi acusada e condenada como herege, porem nunca deixou de  crer e defender o que a Igreja ensinava, nos ajude a perseverar na Santa Igreja verdadeira. A Igreja Católica.

quinta-feira, 20 de outubro de 2011

07 COISAS QUE TODO CATÓLICO DEVE SABER E PRATICAR




1. A Igreja Católica não é uma escolha igualmente válida entre muitas.
Cristo fundou uma só Igreja, que é o seu corpo e do qual ele é a  cabeça. Ele não disse fundarei as minhas igrejas. Mateus 16, 18. Desde o tempo dos apóstolos até hoje há apenas uma Igreja, a Católica, que tem no papa o sucessor de São Pedro, o primeiro entre os apóstolos, e nos bispos os sucessores dos apóstolos. Esta Igreja é a mesma desde o tempo dos apóstolos e nela não houve alteração da doutrina, apenas nova forma de expressa-la e maior compreensão das mesmas num desenvolvimento orgânico e harmonioso, sem rupturas e divisões, como aconteceu com os reformadores a partir do padre e  ex-monge e Lutero. Onde cada um fundou a sua Igreja e desta forma, mesmo que tenham só a Bíblia como única autoridade cada um se ver com autoridade pra interpretar a bíblia como quer; por isso entre eles há pastores, que apoiados na Bíblia aceitam o divórcio e até o casamento gay; além de recusarem algumas doutrinas e aceitarem outras. Só a Igreja Católica possui  unidade de governo e doutrina em todo mundo. As paróquias católicas não constituem novas igrejas como as ditas “denominações”  protestantes, pois nestas cada prédio  é uma igreja com um nome diferente, com organização e doutrinas próprias.  Mas Cristo só tem uma esposa. Uma só é a noiva do cordeiro e só a Igreja Católica se refere a si mesma com Católica e não tem o seu nome vindo de um homem, como os luteranos e os calvinistas, ou de uma nacionalidade como os anglicanos (Inglaterra)  ou de um aspecto de doutrina como os batistas, que só aceitam batizar adultos por imersão e há muitos outros exemplos semelhantes; Quando  na Bíblia há referências as igrejas, esta palavra indica os cristãos daquela comunidade e não outra instituição autônoma, com doutrina diferente  e não subordinada ao apóstolos. (Ap 2,29)  Veja : Mt 16:18; Atos 15; 1 Tm  3,5. 14-15:  CIC  (Catecismo da Igreja Católica)  74-100, 811-870
2. O Céu existe fomos criados para ele. Mas o podemos perder, infelizmente.
Deus nos criou para a Vida Eterna, para o Céu. Não são apenas os santos que vão para o céu. Ou melhor, todos que vão para o céu são santos, mesmo os que nunca serão declarados santos ou terão imagens suas nas igrejas. Somos chamados a Santidade. Jesus mesmo disse: “Sede santos, como o vosso Pai é Santo.” Mt  5,48 Se amarmos as trevas e recusarmos a luz ficaremos fora do céu, e isto é o inferno, que consiste em não aceitar a Deus e desta forma não ser apto para a vida com Deus. É uma possibilidade real afirmada por Jesus no Evangelho.
Veja : Lc 16:19-25; 1 Jo 3:2; 1 Cor 3:1; Mt 7:13-14; Ap 21,17; 1Pd 1,15; 1Ts 3,3   CCC (Catecismo da Igreja Católica)  1023-1037
3. Missa dominical é ainda obrigatória.
Quando a Igreja diz que os católicos devem ir à missa no domingo, isso significa que todos os domingos. Mesmo aos domingos, quando estamos em férias. Missa do dia 13 de cada mês ou na semana não vale. Domingo é o dia da Ressureição de Cristo e de adoração a Deus. Uma pessoa que só vai a missa quando quer não deve se declarar católica mas apenas batizada na Igreja.  Nunca devemos faltar à missa quando celebrada da forma correta (sim, por       que muitos padres estão alterado a forma de celebrar a missa transformando-a numa festa ou no comício politico.) E a missa é o sacrifico de Cristo, e o culto perfeito de adoração a Deus e não é do padre, para ele ser o centro e fazer tudo  o que ele quer;    se não tivermos a Santa missa da forma certa  em nossa paroquia, devemos ir a mais próxima ou pelo menos firmar o propósito de ir na ocasião oportuna. Quem se diz católico e não vai à missa aos domingos não deve mais se declarar mais católico, pois católico sem praticar a sua fé não é verdadeiro católico.
Confira: Hebreus 10, 25; CCC 2175-2183
4. Confissão ao padre no confessionário é uma obrigação.
Para aqueles em estado de pecado mortal – A recusa a um mandamento da Lei de Deus de forma consciente é pecado - a confissão é necessária para recuperar a graça santificante. Não podemos ser restaurados nas  relações com Deus, até que confessemos  os pecados, expressemos o verdadeiro arrependimento, e tendo uma intenção sincera de não mais pecar. Não basta confessar a Deus. É preciso confessa-lo ao padre a quem Cristo deu o poder para perdoar os pecados, porque o pecado é também uma separação da Igreja, e a confissão publica é reconhecimento de que pecamos e desejamos reatar nossa comunhão com Deus e com a Igreja.
Veja: Mt 16:19, ; Jo  20,22-23;Tg 5,16 CCC 277, 1422-1470, 1864, 2001
5. Todos os cristãos são obrigados a fazer orações e penitência.
Assim como sem alimento o corpo não vive, sem oração o Espirito morre. Pelo menos devemos agradecer a Deus pela manhã e a noite antes de deitar. São Paulo nos manda: “Orai sem cessar.” 1 Ts 5,17. O ideal seria rezar a Liturgia das horas que nos une a toda a Igreja e ao tempo litúrgico da Igreja: Advento, Quaresma, Pascoa e Tempo Comum.. A Penitência é a renúncia a alguma coisa licita por amor a Cristo. Consiste no jejum, principalmente nas sextas feiras de toda a quaresma ou na renuncia a algo que  for permitido. A principal penitência é dominar a nossa língua para evitar reclamações e a maledicência. E aceitar com paciência as contrariedades da vida.
Confira: Lc 5, 35; Mt 4, 2;  6,17;  Catecismo da Igreja Católica 1430-1433;1434-1439
6.  O Pecado existe e é o maior mal que fazemos a nós mesmos. Devemos viver uma vida santa conforme nos ensina a Igreja Católica.
Um católico não deve defender a pratica do aborto, o direito ao divórcio e o sexo sem compromisso entre pessoas solteiras; o adultério, a pratica de atos homossexuais, as orgias, bebedeiras, a desonestidade e a indiferença para com os pobres, principalmente se estes são católicos como ele. Marcos 7, 21-23.  Todos os que estão na Igreja Católica e faz tudo isto e dizem que ser católico é bom, porque pode fazer o quer, não são verdadeiros católicos e estão em perigo de perder a vida Eterna para a qual Deus os criou. Sexo não é uma coisa suja para a Igreja se for realizado após se receber o sacramento do matrimonio. Para a Igreja, a união entre um homem e uma mulher é um SACRAMENTO, ou seja, indica a união permanente entre Cristo e a sua Igreja. Desta forma todo católico ao casar deveria saber que tem como missão perante o mundo mostrar que ama sua esposa como Cristo ama a Igreja e é fiel a ela. E a esposa ama o marido e é fiel a ele como a Igreja ama Cristo e é fiel a Ele. Efésios 5,21-32.  O Casamento não é uma benção dada pelo padre ao casal. É verdadeiro compromisso assumido perante Deus pelos próprios noivos de viver este amor entre eles como imagem do amor de Cristo pela Igreja e da Igreja por Cristo.
7. A Leitura da Bíblia é útil ao católico e deve ser praticada regularmente.
A Bíblia é  um tesouro da Igreja. Pois a dela  veio a Bíblia e a ela  confiada; foi o magistério da Igreja quem definiu quais os Evangelhos e livros inspirados do Antigo e do Novo Testamento. Sem a Igreja, a Bíblia nem se quer existiria. Antes de ser escrita a Palavra de Deus foi anunciada pelos profetas e apóstolos. É recomendável e útil todo católico ler a Bíblia, principalmente o Evangelho do domingo antes de ir à missa. Bíblia não é o livro  do  protestante ou crente.  A leitura orante da Bíblia, dita em latim  Lectio divina, consiste em ler a Bíblia numa atitude de oração e silêncio diante da Palavra de Deus.



quarta-feira, 19 de outubro de 2011

DEUS É AMOR




"Tudo espero em Deus meu Criador. Eu O AMO de todo o meu coração."
                       Santa Joana d´Arc

segunda-feira, 17 de outubro de 2011

O CULTO AO SAGRADO CORAÇÃO DE JESUS.



É doutrina Católica, que a revelações particulares nada acrescentam ao depósito da fé, (1Tm 6,20) ao fundamental e ao que todo católico é obrigado a crer; mesmos as revelações e manifestações de Jesus revelando o culto ao seu Sagrado Coração a Santa Maria Margarida Alocoque, cuja memória é celebrado a  16 de outubro. Porém, se nada acrescentam, podem enriquece-lo. Por isto a Igreja muitas vezes as aprova e as recomenda aos fiéis. Dentre as devoções surgidas como revelações particulares, nenhuma foi mais popular do que a do Coração de Jesus. Sob esta forma, mostrando aos homens um coração em chamas e coroado de espinhos, Jesus é representado na maioria das imagens em nossas igrejas. Institutos religiosos de ambos os sexo se consagraram a esta devoção. De certa forma, o culto ao coração de Jesus evidencia e coloca em destaque a santa humanidade de Cristo, como que ofuscada entre os católicos por sua divindade; O Jesus homem, que por sua natureza humana, é inferior até mesmo ao Verbo eterno antes de encarnar-se, ao Pai  e ao Espírito Santo. Jesus o Cristo deve sempre ser visto à luz do mistério da encarnação. O Verbo se fez carne. O Logos, que estava como Deus e era Deus, esteve com os homens e fez-se verdadeiro homem. É assim que São Paulo ver a Cristo. Sempre como homem ou como o Filho de Deus feito à nossa imagem e semelhança (Cf. Fl 2,5;Cl 1,15) Comtempla sempre o Cristo histórico e por isto o ostra subordinado ao Pai (Cf 1Cor 3,23;11,3).


O culto ao coração de Jesus é a simbologia de seu amor e obediência ao Pai Eterno. O distingue enquanto pessoa do Pai e nos mostra que Jesus nos amou como homem. Além de pensar como homem, compreender como homem. No homem Jesus, e não na Segunda Pessoa da Trindade, antes de assumir a nossa natureza humana, é que temos o único mediador entre Deus e nós."Há um só Deus e um só mediador entre Deus e os homens: o HOMEM  Cristo Jesus. (1Tm 2,5) É no homem Jesus que tivemos o nosso Redentor, pois Deus é impassível à morte. 

Jesus é chamado nos Atos dos apóstolos de SERVO DE JAVÉ. Ou seja, servo de Deus. (At 3, 13; 4,27) Jesus ora ao Pai. Pede ao Pai por ele e pelos apóstolos. João 17, 1-26 Por causa destas passagens e outras do Novo Testamento, em que aparece distinto e atuante o homem Jesus de Nazaré,  muitos heresias surgiram negando a Divindade dele. E a Igreja para defende-la e anuncia-la, reforçou-a bastante, chegando ao ponto de Jesus, para muitos, nem mais se distinguir do Pai Eterno e confundir-se com a próprio divindade. É comum o povo referir-se a Jesus como Deus, desligando-o do Pai e do Espírito Santo.  Desta forma a humanidade de Cristo ficou escondida e muito do que é próprio dela e exclusivamente dela, do homem Jesus de Nazaré, foi atribuído a Santíssima Virgem Maria. Só ela intercede por nós sem cessar junto ao Pai, pensam proclamam muitos; Só ela é a medianeira de todas as graças. E Cristo, o Filho, como homem, some no culto e na devoção popular. Nem mesmo o culto ao divino Pai Eterno tão popular no centro-oeste do Brasil, e divulgado pela mídia,  restabelece este vínculo do homem Jesus com Deus Pai, porque neste culto isola-se a pessoa do Pai da Pessoa do Filho. 

Creio que o culto mais adequado a tornar evidente a santa humanidade de Cristo, nosso verdadeiro irmão, é o do Sagrado Coração. Por que podemos através da simbologia do coração falar do amor de Cristo ao Pai e do amor de Cristo por nós. Foi por amar a Deus acima de tudo, até da própria vida que Cristo veio para fazer a vontade do Pai; Hb 10,5-7. Foi por amor a suas criaturas que Deus enviou o seu Filho a Terra e foi por amor aos homens que o Filho aniquilou-se e tomou a condição de Servo, fazendo-se obediente até a morte e morte de  cruz. (Fl 2, 7-8) Antes, arianos e hoje  Testemunhas de Jeová, espíritas e outras seitas, negam a Divindade de Cristo. Mas os Católicos e a maioria dos protestantes ignoram a sua humanidade. Muito mais os católicos. Infelizmente a devoção ao Sagrado Coração hoje, não é incentivada mais pelos padres. Praticamente não existe  o Apostolado da Oração. Além disso, em muitos aspectos esta devoção reforçou apenas praticas externas e quantitativas, como as primeiras sexta feiras de cada mês. No entanto, precisamos redescobrir através dela,  o homem que pensou como homem e agiu como homem, porque tinha sentimentos e emoções iguais as nossas. Em síntese, porque tal e qual um de nós, tinha um CORAÇÃO que pulsava de Amor por Deus e pela humanidade e que ainda ama a toda humanidade. Que  assumiu nossa humanidade para nos amar como nós podemos e sabemos amar, e continua nos amando apesar de todas as nossas ingratidões, como ele revelou a Santa Margarida Maria. Que pela devoção ao coração de Jesus redescubramos o homem Jesus de Nazaré, confessando-o como Deus, mas Deus feito carne, Deus humanado, Deus nosso irmão.

sábado, 15 de outubro de 2011

VIVA O PAPA PASTOR

Jesus, isto é certo e fundamental para se afirmar católico, entregou a Pedro antes que aos outros onze, o poder de ligar e desligar no Reino dos Céus. Mt 16, 17-18. E  confiou após a ressurreição dele, as ovelhas e os corderinhos ao mesmo Pedro.Jo 21,16-17. Ele é o pastor visível de todas as igrejas locais e sua sede está em Roma porque era necessário que o cristianismo chegasse a capital do Império ( Atos 23,11) sustentáculo do paganismo, para que o derrotando o mais forte,(Lc.11,21-22) se apoderasse de seus bens. Satanás dominava o mundo pagão por meio do Império romano, que promovia todas as religiões falsas. Jesus toma a cátedra de Satã e o derruba do poder pelo sangue de Pedro, que foi martirizado em Roma e pelo de Paulo, que também morreu em Roma em Testemunho da fé.
No decorrer da história da Igreja, a primazia de Pedro assumiu vários formas externas de apostolado. Uniu-se ao papa pastor, o papa rei de todos os estados cristãos, a quem deveria estar submetido o poder temporal dos governantes. E certas formas de honra-lo ficou semelhante em muitos aspectos ao culto que se prestava aos imperadores de Roma. Até o título pagão que o imperador usava, Pontífice Máximo, ou Sumo pontífice, foi e é utilizado pelo papa. Mas São Bernardo mesmo em certa ocasião chamou a atenção do papa da época, a não esquecer que ele, o papa devia agir mais como pastor do que como juiz de coisas mundanas. (Carta de São Bernardo ao Papa Eugênio III  V. 6 a 8 Link www.ricardodacosta.com/textos/bernado2.htm) 
Muitos católicos tradicionalistas sonham em ver novamente o papa erguido nos ombros de outros homens como se estivesse em um andor para ser visto por todos, como se isto o fizesse mais papa, mais pastor. Grande engano. O papa se torna mais papa, quando mais se assemelha ao divino mestre na humildade. E não perde um pingo de sua autoridade e primazia por causa disto. Nunca houve um rei tão glorioso e tão vitorioso como Jesus montado em jumento e entrando em Jerusalém. Nunca houve glória maior do que a de um Deus que se oculta nas aparências de um pequeno pedaço de pão e que necessita de uma custódia de ouro puro para torna-lo mais visível e apresentável e no entanto é  o Cristo sacramentado mil vezes mais valioso do que a custódia mais cara e mais rica de pedras preciosas. Assim toda a glória humana prestado ao papa como rei ou novo imperador, não o faz mais papa e nem mais sucessor de Pedro. Se no passado ergue-lo em cadeira  ou sede gestatória era de certa forma compreensível para que visse a todos e fosse visto por todos, hoje temos recursos tecnologias melhores que se prestam a isso. O que desejam, um papa triunfalista e poderoso a semelhança dos que governam o mundo não compreenderam ainda a valiosa frase de São Lerão  Papa, o Grande. Maior é o papa quanto mais ele se portar e se proclamar como O SERVO DOS SERVOS DE DEUS.



quinta-feira, 13 de outubro de 2011

GRANDES OPORTUNIDADES

Cem mil romeiros em Aparecida! Que grande oportunidade para catequizar os católicos. A Igreja Católica com seus santuários e as grandes romarias, reúne muitas pessoas para ouvir missas. E nesta ocasião, os padres poderiam ensinar ao povo que é ser católico. Não é fazer promessas aos santos, beijar as imagens e pagar promessas. Este é o catolicismo deficiente, que não muda nada na vida da pessoa. Onde a pregação sobre a salvação por Cristo? Sobre o pecado, sobre os sinais da verdadeira Igreja, sobre os sacramentos? Oportunidades perdidas. O que se percebe nas reportagens sobre estas festas de santos é que o povo se limita a dizer que recebeu uma graça, estava em perigo, que a imagem trouxe sorte... e outras coisas semelhantes como "Eu adoro ela, Ela é poderosas..." foi o que eu ouvi ontem nas entrevistas aos romeiros em Aparecida. Nem mesmo os padres, aproveitam para dizer que a Imagem representa a mãe de Jesus e a imagem aparecida, é uma pequena imagem de Nossa Senhora da Conceição;  a virgem redimida por Cristo, a Cheia de Graça desde o primeiro instante de vida, no seio de sua mãe Santa Ana, e que a sua imagem está presente em todo o Brasil e muitas paróquias tem o seu nome.
Quem dera padres como São Pedro, que com apenas um sermão converteu milhares ao Senhor. Hoje com milhões de sermões são poucos os convertidos. Ser´que é por isso, por esta falta de compromisso em viver a fé, que o Brasil ainda continua sendo o país com mais "católicos" no mundo? Se  a Igreja exigisse mais do Católico brasileiro ele continuaria católico? Se os padres ensinassem o que ser católico estes ainda se entenderiam católicos? Deixo como reflexão uma frase de um aluno da minha escola estes dias: "Eu sou católico mas eu vejo que o evangélico faz a coisa certa; nunca vi um crente bêbado, e eles são honestos..." Bem, pelo menos é isto que aparece muito mais para os católicos. Onde estão os católicos comprometidos? Que sejam exemplo de boa conduta por ser católico e por ser  evangélico?

quarta-feira, 12 de outubro de 2011

MARIA SANTISSIMA; IMACULADA PELA REDENÇÃO POR CRISTO

Hoje, dia em que o Brasil celebra a sua padroeira, honrando na imagem aparecida,  a sua Imaculada Conceição, reflitamos sobre o mistério desta grandiosa graça concedida à mãe do Filho de Deus. Todos nascemos sob a mancha do pecado original que se propagou por todo genro humano, fruto da desobediência de nossos primeiro pais. Por causa do pecado necessitávamos de um salvador imaculado e separado dos pecadores.Hb. 7,26. Este salvador, puro e sem nenhuma mancha é Nosso Senhor Jesus Cristo homem. Mas crer  a  Igreja, que aquela associada de modo mais próximo possível, ao Filho único de Deus feito homem, é  também ela Imaculada, livre da mancha do pecado original. No entanto grandes santos, dentre eles São Bernardo e Santo tomás de Aquino, não aceitavam esta piedosa crença, que em 1854 foi definida como dogma e que até hoje escandaliza protestantes e deixa confusos e divididos os cristãos orientais em cisma com Roma. Os últimos não admitem que esta crença seja definida como dogma. Pode até ser admitida livremente como piedosa crença; os ditos ortodoxos não aceitam dogmas marianos.
Admiro-me,e porque uma grande santo como São Bernardo, ele mesmo fervoroso devoto de Maria, que escreveu ao final da oração Salve Rainha  a invocação "Ó  clemente, o piedosa, ó doce, sempre  Virgem Maria"  não a tenha aceitado. Provavelmente não era desconhecido a ele e nem a Santo Tomás de Aquino, a possibilidade de Maria haver sido preservada do pecado. Pois a Deus tudo é possível. Mas  a forma como a Imaculada Conceição era defendida e cultuada pelo povo , colocava a Virgem acima dos redimidos e fazia como que ela fosse a  causa de Jesus haver nascido sem pecado. De certa forma a deixava de fora da Redenção. E  Jesus é veio para salvar a todos. A carta do apóstolo aos romanos também é definitiva neste assunto: "Todos pecaram e estão privados da glória de Deus."Rm.  3,23. Não conhece exceção. Era dito que  Jesus não poderia  ser o  santo e imaculado sem nascer de uma mulher sem mancha, sem pecado. Sabemos que Jesus, sendo concebido pelo Espírito Santo, mesmo que nascesse de uma mulher nascida sob o pecado, nasceria sem a mancha do pecado original, porque o Espírito Santo, só realiza criação santa e pura. Jesus não veio da semente do homem. E assim que anjo justifica a concepção Virgem, por Maria, de Jesus.Lc 1, 35. Por este motivo muitos teólogos resistiram a admitir a Imaculada conceição da Virgem. Se esta precisava não ter a mancha do pecado original, seus pais e ancestrais também deveriam ter nascidos da mesma forma, a fim de não atingir Jesus. Era preciso encontrar uma forma de fazer Maria ser Imaculada sem deixar de ser redimida, salva por Cristo. E para adequar estas crença ao deposito da fé, que diz expressamente que todos foram salvos pro Cristo, é que entra a questão do débito do pecado. Jesus ao entrar no mundo jamais poderia ser dever a uma outra pessoa a sua santidade. Nem mesmo de à sua mãe. Então a justificativa de que Maria deveria ser imaculada para que Jesus o fosse, até com citação bíblica de que o puro não nasce do impuro, não se aplica a este caso, porque Jesus quebrou a corrente de gerações por homens, tendo sido concebido pelo Puro, o Santo, a Santidade de Deus o Espírito Santo, que o fez ser gerado em Maria. 
Mas os merecimentos de Cristo e sua futura paixão poderia sim, pagar o debito ou a divida do pecado original, para que uma criatura humana tanto quanto  nós,  já nascesse revestida da  graça santificante; que Deus derramou sobre nós unicamente por meio de Cristo, como está na carta aos Éfesios, 1, 6-7.  Mas este aspecto que focava a redenção de Maria, não era anunciado no culto à Imaculada Conceição e o povo geralmente o desconhece; por isto a rejeição de que Maria fora concebida sem pecado por muitos teólogos medievais e sua rejeição por outras correntes cristãs, protestantes e ortodoxos.
Havia tal necessidade de Maria receber o fruto da Redenção desde o primeiro instante de sua existência?  Se afirmarmos que era necessário para que Jesus fosse imaculado e santo, estaremos compreendendo errado o dogma da Imaculada Conceição de Maria. Pela explicação já mostrada acima, Jesus é o separado dos pecadores, santo e imaculado por merecimento próprio e não deve a nenhuma criatura a sua santidade singular; Mas se entendermos que era necessário para a própria Maria de Nazaré, ser a A cheia da  Graça santificante, desde o inicio, ser ela mesma amparada por Deus,  a fim de não sucumbir ao pecado, levada pela soberba ou pelo temor, ao saber-se mãe do Filho de Deus, e para que ela fosse uma digna mãe de Deus, então sim, era necessário que Deus a redimisse antes dela  contrair o pecado, pela mesma graça, que todos recebemos do Filho e pelo Filho. Nenhuma mancha MORAL poderia existir entre Maria em Jesus. Em simples palavras, nenhum padre ou pastor poderá sentir-se a vontade em dizer em uma homilia ou pregação: Jesus, meu Salvador, o filho DAQUELA PECADORA de Nazaré;  ou Jesus, o Filho da  pecadora, me salvou..."Já ouvi evangélicos chamarem Maria de pecadora igual a todos nós. Mas não ouvi nenhum chamar a Jesus de "o filho da  pecadora. e creio sinceramente, que eles, mesmo que o chamem assim, não se sentirão a vontade com esta expressão. Pois de certa forma afirmar que Jesus é o Filho de Maria e ao mesmo tempo dizer que Maria é uma pecadora, atinge moralmente a própria pessoa do Filho de Deus. Como foi dito, Maria foi criada, concebida por Deus, para ser UMA DIGNA mãe de seu filho. Uma casa feita toda de ouro e diamantes para abrigar um poderoso rei , ou uma serva adornada da mais preciosa jóias dadas a ela gratuitamente, não pode se julgar merecedora de receber o rei,  pois nada possui de si mesma. Mas ninguém pode negar que esta casa ou pessoa,  é uma digna casa para o rei ou uma serva que está a sua altura,  pois ele a fez assim, por causa de sua própria dignidade. Por isso Maria foi preservada do pecado.  Primeiramente, para ser a escrava do Senhor e  a mais devedora de todas as criaturas a Ele mesmo;"Olhou para o nada de sua Serva." Lc 1, 48.; depois para ser uma digna mãe de Deus, "O Senhor fez POR MIM GRANDES COISAS" Lc 1,49.  de forma que nenhuma mancha moral atingisse indiretamente o filho, atreves da mãe.
Evidenciando a força da redenção de Cristo, que está álem do tempo, pois que Jesus morreu também por todos os que nasceram antes dele, a Imaculada Conceição de Maria não está em contradição com a Bíblia, quando esta afirma que Jesus é o Salvador de Todos, inclusive e primeiramente de Maria.  Devemos sempre que nos referirmos à Conceição, fruto de uma relação normal entre os pais deles, nunca esquecer de afirmar, que ela, tal como todos, recebeu unicamente por Cristo, a Graça que a fez a Santa, a sem pecado. 
Que o Brasil, que tem como protetora a Virgem redimida, desde o primeiro momento de sua existência, possa cada vez mais recusar o pecado e submeter-se à seu exemplo a vontade de Deus, dizendo: Eis aqui a nação que é serva do Senhor e que também quer que seja feita, agora, já, neste momento, a sua vontade.

domingo, 9 de outubro de 2011

APELO A CNBB JUNTE-SE A MIM OS DEVOTOS DA PADROEIRA DO BRASIL.



 IMAGEM DE NOSSA SENHORA DA CONCEIÇÃO
APARECIDA EM 1717 SEM MANTO E COROA

+Jesus-Maria+
Venho mui respeitosamente apelar e suplicar junto a Diocese da cidade de Aparecida que sugira à CNBB que no dia 12 de outubro, em todas as dioceses e paróquias do Brasil haja missas e não apenas naquelas em q tem a Virgem Maria com o nome "aparecida" como padroeira. Afinal não é a mesma Virgem, em sua Imaculada Conceição, a padroeira de todo o Brasil?
Necessário e útil que pelo menos houvesse missas nas paróquias dedicadas a NOSSA SENHORA DA CONCEIÇÃO. Que a pequena imagem aparecida na rede dos pescadores, seja A IMAGEM OFICIAL DE NOSSA SENHORA DA CONCEIÇÃO NO BRASIL e uma replica desta esteja em toda paróquia deste nome.
Vi o cartaz da festa no santuário Nacional  de 2011. Neste nenhuma referencia à Imaculada Conceição de Maria. Nenhum tema que trate do pecado original, da Graça e da Redenção. Nada que indique o culto NACIONAL a Nossa Senhora da Conceição, invocada em todo Brasil, desde os tempos do Brasil colônia.
Separou-se a imagem de seu título original. Esta se tornou como que OUTRA SANTA que passou a ser venerada só a partir de 1717; o que não é verdade. Mesmo após o encontro da imagem se venerava a mesma como Nossa Senhora da Conceição.(Em sua simplicidade, o povo acrescentou o nome "aparecida" só para diferencia-la das milhares de imagens de Nossa Senhora da Conceição, presentes em todo Brasil.) E a prova disto é o monumento erguido em frente à Basílica velha em comemoração à proclamação da Imaculada Conceição de Maria. 
Espero ser compreendido, pois a minha única intenção é que seja realidade o que se diz na oração da coleta da missa do dia 12 de outubro.
Oração

Ó Deus todo-poderoso, ao rendermos culto à Imaculada Conceição de Maria, Mãe de Deus e Senhora nossa, concedei que o povo brasileiro, fiel à sua vocação e vivendo na paz e na justiça, possa chegar um dia à pátria definitiva. Por nosso Senhor Jesus Cristo, vosso Filho, na unidade
do Espírito Santo.

sábado, 8 de outubro de 2011

ROSÁRIO: UM MODO DE ORAÇÃO


O Rosário foi uma adaptação ao catolicismo dos mantras orientais. Era comum nas religiões orientais recitar várias vezes um nome para concentrar a mente. O cristianismo espalhou-se entre várias culturas não poderia destruir-las. Mas centraliza-las em Cristo. Já os cristãos orientais possuem um modo de oração semelhante ao recitar várias a oração "Jesus Filho do Deus vivo, tende piedade de mim, pecador." Ainda hoje é o rosário deles.
No Catolicismo esta forma de oração tem um sentido diverso. Está associada diretamente à pessoa da Virgem Maria, mãe de Nosso Senhor Jesus Cristo. E como é composto da união de várias orações, nele predomina a saudação do anjo, a conhecida Ave-Maria e oração da Igreja, recorrendo à intercessão da Virgem." Santa Maria, mãe de Deus..."São 150 Ave-Marias. O terço é a terça parte de um rosário e no caso 50 Ave-Marias. Cada recitação da Ave-Maria foi simbolizada como uma rosa oferecida à mãe de Cristo. Daí a origem do nome rosário. Alem das saudação do Anjo, juntou-se a esta forma de oração o Pai-Nosso, oração ensinada pelo próprio Cristo e a Profissão de Fé, o credo com o Glória Santíssima Trindade. Só após as aparições em Fátima foi acrescentada a oração: "Ó meu Jesus perdoai-nos, livrai-nos do fogo do inferno, levai as almas todas para o céu e socorrei as que mas precisarem."
No entanto o mais importante no rosário é a contemplação e meditação dos mistérios da vida de Cristo. Estes são divididos em mistérios gozosos, que indicam felicidade, alegria; mistérios dolorosos, que indicam os sofrimento e a morte de Cristo e mistérios Gloriosos que nos conduzem a refletir sobre a Ressurreição de Cristo e glória que ele concede aos que crerem nele; O papa João Paulo II acrescentou os mistérios luminosos que apresentam a vida publica de pregação de Jesus.

Para não passar a ser um foram de oração mecânica repetitiva e não cair na condenação do Senhor, o Rosário deve ser recitado unido estes três aspectos. Oração vocal pela recitação dos pai-nosso e Ave-Marias e meditação, contemplando os mistérios da vida do Senhor. E fazendo isto como Nossa Senhora o fez conforme Lucas 2,19-20. "Maria conservava todas estas cosias meditando-as em seu coração." Assim com olhar de Maria e pedindo a ela sua intercessão para que possamos obter os frutos deste método de oração que é como que o sinal externo do catolicismo. Todo católico porta um terço.Até mesmo os católicos de IBGE. Mas o Rosário ou o terço, não é uma moeda de troca. Não se pode barganhar com Deus prometendo rezar tantos terços para receber em troca alguma coisa. Não é pela força do muito falar que alcançaremos o que Deus quer para nós. Fazendo assim agimos como agiam os pagãos que pensavam que obteriam ajuda dos deuses por meio de formulas mágicas. Só com a concentração nos mistérios e a reta intenção de obter os frutos e seguir os exemplos que ele nos mostram, o terço se torna um forma de oração agradável a Deu e útil à nossa vida espiritual e eficaz perante a intercessão de nossa mãe Santíssima. Embora rico em conteúdo, o Rosário não tem poder por si mesmo. Ele é um sacramental e como todo sacramental depende das disposições interiores e da reta intenção de quem o recita.

quinta-feira, 6 de outubro de 2011

TRINDADE: O MISTERIO DO SER DE DEUS

Como podem os cristãos afirmarem que só crêem um Deus se para estes em Deus há o Pai, o Filho e o Espírito Santo? Tres pessoas plenamente distintas? Sabemos que há uma só natureza humana. Ou seja, não importando o nome ou sexo, os seres humanos possuem uma natureza em comum. Mas são milhares e milhares de pessoas. Poderia haver apenas uma natureza divina e milhares de deuses? Claro que não. Crer nisto seria voltar ao politeísmo grego e romano. Em que havia vários deuses e estes possuíam a mesma natureza divina. Eles eram imortais e poderosos. Mas o mistério do Deus revelado em Cristo e por Cristo Jesus não é uma variedade de deuses e uma natureza unica. É um só Deus. Unico. Completo. Não composto. Indivísivel, pois onde estiver o Pai, também estará aí o Filho e o Espírito Santo.
O Filho é Deus porque gerado do Pai. Sem o Pai não haveria o Filho. Ele depende do Pai para o ser de sua existência. Mas o Filho ou a Palavra, o Logos, não foi criado. Ele é o único gerado de Deus. Ele não veio a existência do nada, como as criaturas. ?Ele recebe o ser da fonte, Deus. Podemos afirmar que o Filho depende do Pai, pois sem um Pai ele não seria Filho. Mas também com toda razão o Pai depene do Filho. Pois sem o Filho não poderia ser o Pai. E de ambos depende o Espírito Santo, pois sem amor não haveria a geração do Filho pelo Pai e nem a existência do Espírito Santo pelo amor entre o  Pai e o Filho.Mas nenhuma pessoa está subordinada pela natureza a outra. Ambas são iguais no Poder e no Saber. Tudo o que é uma pessoa a outra o é também. Disse o próprio Jesus enquanto homem. "Tudo o que é meu é teu e tudo o que teu é meu." Jo 17,10 No Amor as duas pessoas se formam na eternidade e por Amor se doam.  O Eterno ser de Deus é como Pai, Filho e Espírito Santo. De modo que se fosse possível faltar ao Pai o Filho não haveria Deus. Se faltasse o Filho ao Pai, também não haveria Deus e se faltasse o Espírito Santo ao Pai e ao Filho, também Deus deixaria de existir. Pois é da natureza de Deus ser Pai, Filho, Espírito Santo. Por isso ao final de cada missa o padre diz: A benção o DEUS TODO-PODEROSO, Pai, Filho e Espírito Santo e não abençoe-vos os deuses poderosos.
O Filho é Deus porque é o unigênito de Deus. Ou seja, o unico formado de Deus mesmo; não foi tirado do nada para a existência como as outras criaturas. Ele mesmo atinha consciência disto quando afirmou: "Antes que Abraão existisse EU SOU!" Jo 8, 58. Não disse eu já existia ou eu já havia sido criado. Afirmou que sua origem é eterna. Sem principio, sem começo. Mas ela se dá no seio do Pai. Deus nunca pode ser Deus se não for como Trindade. Faz parte de sua natureza de Deus ser Pai, Filho e Espírito Santo. Este é o mistério de Deus revelado a nós por Jesus, o homem Deus. Esta é a fé que nos diferencia dos deístas, dos filósofos e dos pagãos. Deus é para o cristão mais do que o Ser Supremo. O Absoluto. É o Deus comunhão de Amor. Cremos em um Deus que é comunhão e relação consigo mesmo sem ser egocentrismo. Sem egoísmo. No Deus que se dá de si mesmo para o mundo por amor. E se dá pelo Espírito Santo, que como que transborda o poder de Deus criando o universo e o organizando. Sem necessidade alguma. Sem que isto lhe acrescente nada em sua essência perfeita. Mas apenas como um natural expandir-se do  amor. É neste amor eterno que nos movemos, existimos agora e somo que temos sido. E nossa atitude perante esse Deu que é Amor deve ser igual a de Maria Santíssima. Prostrada perante a grandeza da Divindade e clamando: Eis aqui o Escravo(a) do Senhor! 
Deus no sustenta no SER porque Ele, unicamente Ele, é o SER. A Ele, Pai, Filho, Espírito Santo seja dada a glória.

terça-feira, 4 de outubro de 2011

SÃO FRANCISCO E JESUS CRUCIFICADO

No dia de São Francisco de Assis, gostaria de lembrar um aspecto da personalidade deste santo tão popular e considerado tão moderno para os nossos dias. O Seu amor a Nosso Senhor Jesus Cristo crucificado.  Este amor que chegou ao ponto de no momento de extremo êxtase, considerando a paixão do Senhor, de receber as chagas de Cristo. Por isso também é o mesmo santo, chamado de São Francisco das Chagas e é desta forma que ele é invocado em Canindé, cidade do interior do Ceará. Os frades capuchinhos trouxeram esta devoção ao seu fundador, para o meu estado, de modo que São Francisco no Ceará é até mais popular e venerado do que São José,o padroeiro do Ceará.
São Francisco se tornou o santo do ecumenismo e da ecologia. Protetor da paz e dos animais. Mas há um outro lado, e este é muito  mais importante: São Francisco amava e honrava a paixão de Jesus Cristo e como um novo São Paulo podia dizer: "Não quero outro coisa se não gloriar-me na cruz de Cristo, pela qual o mundo está crucificado para mim e eu para o  mundo." Gl 6,14
Que o exemplo de São Francisco, em seu amor  pela paixão e morte por Jesus Crucificado, faça a sagrada cruz voltar as nossas igrejas e capelas, e que ninguém se envergonhe da cruz de Nosso Senhor Jesus Cristo, pois por este meio ele quis nos salvar do pecado. 
São Francisco,fervoroso arauto de Jesus Crucificado,  Rogai por nós!

domingo, 2 de outubro de 2011

OS ANJOS - 02 DE OUTUBRO





"Eles, os anjos, vem muitas vezes entre os cristãos mas não são vistos; eu os vi muitas vezes entre os cristãos."
Santa Joana d´Arc, respondendo sobre os anjos que ela afirmava ver,   no processo inquisitorial por heresia. Interrogatório do dia 12 de março de 1431, 2° Audiência na prisão.

Que no dia dos santos Anjos da Guarda, voltemos a crer e a honrar estas criaturas espirituais que manifestam a onipotência de Deus. Hoje se acredita em extraterrestres, com as mais variadas formas e até monstruosas, mas bons e inteligentes;  porém se recusam a crer nos anjos, puros espíritos, que manifestam a variedade da criação de Deus.
Sejam os santos anjos, nossos protetores nas aflições da vida e perante a influencia dos espíritos malignos, pela vontade Deus, amém.

sábado, 1 de outubro de 2011

TERESINHA E JOANA, IRMÃS NA SANTIDADE



Hoje, 01 de outubro, é o dia de Santa Teresinha. Virgem. A Doutora da Igreja que viveu e divulgou a espiritualidade da infância espiritual ou do abandono à vontade de Deus. Santa Teresinha, francesa como a Virgem Joana d´Arc; que sem o saber, viveu esta mesma espiritualidade. Por isso Santa Teresinha chama Joana d´Arc de sua querida irmã. Percebemos que Santa Joana, viveu na pratica a infância espiritual por seu total abandona à vontade de Deus. "Tudo espero de Deus meu criador. Eu o amo de todo o meu coração." Frase da Virgem guerreira que lembra as palavras da Virgem das Rosas e da cruz. Santa Teresinha e Santa Joana, Rogai  pela Igreja, Rogai pela França e também pelo Brasil.